O poder disciplinar escolar e a resistência freireana: atitude parresiastica chamando ao cuidado de si

Autores

  • Amanda Chraim Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Poder disciplinar, Resistência, Parresia, Cuidado de si.

Resumo

Este artigo tematiza os conceitos de poder disciplinar, resistência, parresia e cuidado de si, todos com base nas proposições foucaultianas, buscando discutir teoricamente, a partir deles, a configuração escolar brasileira da primeira metade do século XX, numa tentativa de perceber as táticas das manifestações de poder desse dispositivo. Embasando-se nessa discussão, propõe-se, então, a partir dos escritos de Paulo Freire (2014a, 2014b), uma aproximação desse educador com a atitude parresiástica, numa postura de resistência ao dispositivo escolar. Percebendo, assim, a perspectiva freireana como um chamado ao cuidado de si para os trabalhadores brasileiros em processo de alfabetização, o texto aproxima esse autor com a perspectiva foucaultiana no que se refere à busca de práticas de liberdade como um investimento micropolítico.

Referências

AVELINO, Nildo. Apresentação: Foucault e a anarqueologia dos saberes. In: FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos: Curso no Collège de France, 1979-1980 (org Nildo Avelino). 2 ed. São Paulo: Centro de Cultura Social; Rio de Janeiro: Achiamé, 2011. p. 17-37.

FIORI, Ernani Maria. Prefácio: aprender a dizer a sua palavra. In: FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 58 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014b.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 8 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014a.

______. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. 8ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

______. Aula de 6 de janeiro de 1982 – primeira hora. In: A hermenêutica do sujeito. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006. p. 3-33.

______. Do governo dos vivos: Curso no Collège de France, 1979-1980 (org Nildo Avelino). 2 ed. São Paulo: Centro de Cultura Social; Rio de Janeiro: Achiamé, 2011.

______. Microfísica do poder. 13 ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1998.

______. O dispositivo da sexualidade. In: A história da sexualidade I: a vontade de saber. 13 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1999a. p. 75-123.

______. O sujeito e o poder. In: Ditos e escritos IX: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense universitária, 2014b. p. 231-249.

______. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20 ed. Petrópolis: Vozes, 1999b.

______. 1ª Conferência: o significado da palavra parrhesia. Prometeus: filosofia em revista, Sergipe, ano 6, n. 13, p. 3-12, 2013.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 38 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014a.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 58 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014b.

GALLO, Silvio. Do cuidado de si como resistência à biopolítca. In: BRANCO, Guilherme Castelo; VEIGA-NETO, Alfredo (Org.). Foucault: filosofia & política. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011. p. 371-391.

MACHADO, Roberto. Foucault, a ciência e o saber. 3 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

SAVIANI, Dermeval. A escola pública brasileira no longo século XX (1890-2001). In: III Congresso Brasileiro de História da Educação, 2004, Curitiba. Disponível em:

<http://sbhe.org.br/novo/congressos/cbhe3/Documentos/Coord/Eixo3/483.pdf>. Acesso em: 25.06.2015.

WEFFORT, Francisco C. Educação e política: reflexões sociológicas sobre uma pedagogia da liberdade. In: FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 38 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014a. p. 7-39.

Downloads

Publicado

2018-01-01