Educação matemática: uma experiência da escola do campo

Autores

  • Paulo Marcos Ferreira Andrade SEDUC - Rede estadual de Mato Grosso SEMEC- Rede Municipal de Barra do Bugres- MT

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984317816012020082

Palavras-chave:

Ensino, Matemática, Relato de Experiência, Educação do campo,

Resumo

O presente artigo relata uma experiência de ensino de matemática que envolve os conceitos de número, numeral e a compreensão do sistema monetário, por meio de atividades ligadas ao cotidiano dos aprendizes. O aprendizado matemático será muito significativo quando são trazidos para o cenário de ensino os elementos que matizam as vivências imediatas dos aprendentes. Neste sentido a escola do campo tem sido favorecida pelas múltiplas experiências dos sujeitos que tomam parte do processo de ensino. Compreendendo que a etnomatemática, seja de fato a concepção multicultural e holística da educação, tem-se como objetivo principal evidenciar por meio da pesquisa exploratória o jeito de fazer educação matemática na educação do campo, na experiência de uma turma multisseriada de alfabetização, vivenciando a experiência da escola do campo consubstanciando com os aportes teóricos de Ubiratan D’Ambrósio (2002) e outros autores cujo pensamento corrobore para compreensão da temática. É  necessário compreender como se ensina e se aprende matemática na escola a fim de que esta seja vista como parte indissociável da vida humana. O trabalho está dividido em seções que se dispõe: A educação do campo: breve reflexão, breve histórico da escola Raimunda Leão, relatando a experiência abordando, discutindo os dados.

Biografia do Autor

Paulo Marcos Ferreira Andrade, SEDUC - Rede estadual de Mato Grosso SEMEC- Rede Municipal de Barra do Bugres- MT

Licenciado em Pedagogia pela UNEMAT - Universidade do Estado de mato Grosso - e em Letras Português/Espanhol pela UFMT- Universidade Ferderal de Mato Grosso. Especialista em “Coordenação Pedagógica” e em “Gestão Escolar” pela UFMT- e em Educação do Campo pela Faculdade Afirmativo, Mestrando do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e Matemática – PPGECM – UNEMAT.

Referências

ARROYO, Miguel. Gonzalez. Escola Cidadania e Participação no Campo. Em Aberto. Brasília: nº 9, Set., 1992.

BRASIL. MEC/CNE. Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo. Parecer CNE/CEB nº 36/2001, aprovado em 4 de dezembro de 2001.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira - (LDB 9.394/96)

BOAVENTURA S. S. Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: Das linhas globais a uma ecologia de saberes. Revista Crítica de Ciências Sociais, 78, outubro 2007: 3-46

CALDART, Roseli Salete. Pedagogia do Movimento Sem Terra. Petrópolis. Editora Vozes, 2000.

D’AMBRÓSIO. Ubiratan Elo entre as tradições e Modernidade. 2ª Ed. Belo Horizonte. Autentica. 2002

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire [tradução de Kátia de Mello e silva; revisão técnica de Benedito Eliseu Leite Cintra]. – São Paulo: Cortez & Moraes, 1979.

KERSTENETZKY, Célia Lessa. Políticas sociais: focalização ou universalização. Niterói: UFF, 2005. (Texto para discussão, n. 180).

MACHADO, I. F. Educação do campo e diversidade. Perspectiva, Florianópolis, v. 28, n. 1, 141-156, jan./jun. 2010 disponível em <http://www.perspectiva.ufsc.br> aceso em 19/07/2017

MOLINA Mônica Castagna. FREITAS Helana Célia de Avanços E Desafios Na Construção Da Educação Do Campo Abreu Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 85, p. 17-31, abr. 2011.

OLIVEIRA Renata Leite de. PEREIRA Talita Vidal. Igualdade & diferença: tensões que articulam os discursos pedagógicos. Periferia Educação cultura e comunicação v.6 n.2 jul-dez 2014 Disponível em acesso em 05/07/201

Downloads

Publicado

2020-01-01