As Fotografias de Tônia Carrero e sua Construção como Estrela Nacional através das Imagens Veiculadas em o Cruzeiro e Scena Muda (1947-1955)

Gabriela Soares Cabral, Maria Claudia Bonadio

Resumo


O objetivo deste artigo é estabelecer relações entre a construção da imagem
de Tônia Carrero (1922-2018) enquanto estrela do cinema nacional através de
suas fotografias divulgadas nos periódicos O Cruzeiro e Scena Muda durante o
período de 1947 e 1955, momento da industrialização da produção
cinematográfica brasileira e consequente tentativa de emplacar um estrelismo
nacional aos moldes hollywoodianos. Neste período, Tônia Carrero iniciava sua
carreira e estrelava filmes da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, nos quais
interpretando papéis associados ao arquétipo hollywoodiano da good-bad girl.
Já em suas fotografias divulgadas na imprensa a construção de sua imagem
como estrela era reforçada a partir do uso de roupas, acessórios e poses que
conectavam a imagem da atriz ao glamour ou ao erotismo ingênuo das pin-ups
– elementos, que eram também explorados pelo cinema hollywoodiano na
construção da imagem de suas estrelas.


Palavras-chave


Tônia Carrero, fotografia, star system

Texto completo:

PDF PDF EN

Referências


ADAMATTI, Margarida Maria. A crítica cinematográfica e o star system nas revistas de fãs: A Cena Muda e Cinelândia (1952 – 1955). Dissertação (Mestrado em Estudos do Meio e da Produção Mediática) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

BARTHES, Roland. Mitologias. São Paulo, DIFEL, 1985.

BASINGER, Jeanine. A woman’s view: How Hollywood spoke to women 1930 – 1960. London: Wesleyan University Press, 1993.

BAZIN, André. Entomologia da Pin-up. In: O que é cinema? São Paulo: Ubu Editora, 2018.

BENDER, Flora Christina. A Scena Muda. 1979. Tese (Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1979.

BERGER, John. Modos de Ver. Lisboa: Edições 70, 1972.

BURTON, Laini Michelle. The Blonde Paradox: Power and Agency Trough Feminine Masquarede and Carnival. Thesis (Professional Doctorate), Griffith University, Brisbane, 2006. Disponível em: http://www120.secure.griffith.edu.au/rch/items/e3ce50c2-557d-ddcf-d373-fe71afccd1ev/1/. Acesso em: 05 ago. 2017

CABRAL, Gabriela Soares. A construção midiática de Tônia Carrero em a Scena Muda e O Cruzeiro: representações de glamour e sex-appeal (1947-1955). Dissertação de Mestrado apresentada ao programa de Pós-graduação em Artes, Cultura e Linguagens da UFJF, 2018.

CARVALHO, Priscilla Afonso de; SOUZA, Maria Irene Pellegrino de Oliveira. Pin-ups: fotografias que encantam e seduzem. In: Discursos Fotográficos. Londrina, v.6, n.8, p.119-144, jan/jun 2010.

CATANI, Afrânio Mendes. A avenida industrial e o cinema paulista (1930-1955). In: RAMOS, Fernão (Org.). História do Cinema Brasileiro. São Paulo: Círculo do Livro, 1987.

CRANE, Cheryl; DE LA HOZ, Cindy. Lana: the memories, the myths, the movies. Philadelphia: Running Press, 2008.

DE CARLI, Ana Mery Sehbe. O corpo no cinema: as variações do feminino. Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica) – Pontíficia Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

DULCI, Luciana Crivellari. Moda e cinema no Brasil dos anos 1950: Eliana e o tipo mocinha nas chanchadas cariocas. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

DYER, Richard. Stars. London: British Film Institute, 1998.DYHOUSE, Carol. Glamour: women, history, feminism. London: Zed Books, 2010.

HARRIS, Thomas. The building of popular images: Grace Kelly and Marilyn Monroe. In: GLEDHILL, Christine. Stardom: industry of desire. London: Routledge, 1991.

HIGONNET, Anne. Mulheres, imagens e representações. In: DUBY, Georges; PERROT, Michelle (Orgs.). História das mulheres no ocidente: o século XX. Porto: Edições Afrontamento, 1991.

LANDIS, Deborah Nadoolamn (Ed.) Hollywood Costume. London: V&A Publishing, 2012.

LIPOVETSKY, Gilles. La troisième femme. France: Nrf essais, 1997.

MACIEL, Ana Carolina de Moura Delfim. “Yes nós temos bananas”. Cinema industrial paulista: a Companhia Cinematográfica Vera Cruz, atrizes de cinema e Eliane Lage. Brasil, anos 1950. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

MENEGUELLO, Cristina. Poeira de estrelas: o cinema hollywoodiano da mídia brasileira das décadas de 40 e 50. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

MIRA, Maria Celeste. O leitor e a banca de revistas: a segmentação da cultura no século XX. São Paulo: Olho d’Água/Fapesp, 2001.

MORIN, Edgar. As estrelas de cinema. Lisboa: Livros Horizonte, 1980.

MULVEY, Laura. Prazer visual e cinema narrativo. In: XAVIER, Ismail (Org.). A experiência do cinema: antologia. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

RODRIGUEZ, Miguel Angel Schmitt. Cinema clássico hollywoodiano e produção de subjetividades: o cigarro em cena. 2008. Dissertação (Mestrado em História) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

PERROT, Michelle. Minha história das mulheres. São Paulo: Contexto, 2015.

RAINHO, Maria do Carmo. Moda e revolução nos anos 1960. Rio de Janeiro: Contra capa, 2014.

STEAM, Sinty. A to Z of Hollywood Style. V&A Publishing, 2012.

VELASQUEZ, Musa Clara Chaves. O Cruzeiro. Acervo CPDOC. S.d. Disponível em http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/cruzeiro-o, Acesso em 16 nov 2018.

VIEIRA, João Luiz. A chanchada e o cinema carioca (1930-1955). In: RAMOS, Fernão (Org.). História do Cinema Brasileiro. São Paulo: Círculo do Livro, 1987.

VIGARELLO, Georges. História da beleza. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

WILSON, Elizabeth. Enfeitada de sonhos. Lisboa: Edições 70, 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.5965/1982615x12252019101

Direitos autorais Gabriela Soares Cabral, Maria Claudia Bonadio

Licença Creative Commons

      http://www.revistas.udesc.br/public/site/images/rocha1/ceart1.png