A dramaturgia antiescravista no Brasil Imperial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101462023e0802

Palavras-chave:

João Roberto Faria, Escravidão, Teatro, Século XIX

Resumo

O estudo de João Roberto Faria abarca toda a dramaturgia nascida no século 19 no Brasil, tematizando a presença de pretos e pretas sobre as ribaltas, bem como sua recepção crítica através da imprensa do período. São abordadas desde as primeiras menções, através de figurantes sem falas, até seus protagonistas maiores, já no período próximo à abolição. A análise contempla, igualmente, o papel e a função das associações pró-abolição e os espetáculos em benefício destinados à alforria, o teatro amador, a participação de artistas e companhias teatrais no movimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edelcio Mostaço, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutorado em Teatro pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Titular da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), na graduação e pós-graduação em Artes Cênicas no Centro de Artes (CEART).

 

Referências

FARIA, João Roberto. Teatro e escravidão no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 2022, 416 p.

Downloads

Publicado

2023-04-27

Como Citar

MOSTAÇO, Edelcio. A dramaturgia antiescravista no Brasil Imperial. Urdimento: Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 46, p. 1–10, 2023. DOI: 10.5965/1414573101462023e0802. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23402. Acesso em: 21 abr. 2024.