Uma dramaturgia original sobre a tortura, a partir do Sul: os 50 anos de Torquemada, de Augusto Boal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102442022e0111

Palavras-chave:

Augusto Boal, Torquemada, Dramaturgia teatral, Ferida colonial, Tortura

Resumo

O artigo apresenta uma investigação reflexiva sobre Torquemada (1971), peça de Augusto Boal, para além de convenções modernas/ coloniais, a fim de ampliar os estudos sobre as “dramaturgias do Sul”. O objetivo é situar tal dramaturgia, entendida como “história esquecida” (raramente comentada/ estudada/ encenada) e “atual” (refere-se a problemas sociais crônicos enfrentados na América Latina contemporânea, tais como a tortura por agentes de Estado). O texto se organiza em três momentos: Boal para além do Teatro do Oprimido; Torquemada em sua forma-conteúdo, apresentada como “ferida colonial”; os sentidos e significados da tortura em uma leitura decolonial do (con)texto. Conclui-se que a relevância histórica do teatrólogo na luta contra o regime civil-militar brasileiro e o reconhecimento internacional como criador do Teatro do Oprimido relegaram a um segundo plano seu trabalho autoral e que Torquemada é um documento-testemunho de tempos sombrios da tormenta que se abateu sobre o Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giovani José da Silva, Universidade Federal do Amapá

Mestrando no Mestrado Profissional em Artes da Cena da Escola Superior de Artes Célia Helena. Especialista em História do Teatro Brasileiro e Ocidental pela Faculdade CAL de Artes Cênicas. Licenciado em Teatro pelo Centro Universitário Ítalo-Brasileiro (UniÍtalo). Prof. Dr. Universidade Federal do Amapá. 

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo? In: AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó: Argos/ Unochapecó, 2009.

ALBUQUERQUE, Severino João. Conflicting signs of violence in Augusto Boal's Torquemada. Modern Drama, Toronto, University of Toronto Press, Volume 29, Number 3, p. 452-459, Fall 1986.

ALBUQUERQUE, Severino João. Representando o irrepresentável: encenações de tortura no teatro brasileiro da Ditadura Militar. Latin American Theatre Review, (21/ 1), Lawrence, Kansas, p. 5-18, 1987.

ANDRADE, Clara de. “Murro em ponta de faca”: um retrato de Augusto Boal no exílio. In: LIGIÉRO, Zeca; TURLE, Licko; ANDRADE, Clara de (orgs.). Augusto Boal: arte, pedagogia e política. Rio de Janeiro: Mauad X, 2013. p. 53-68.

ANDRADE, Clara de. O teatro sem fronteiras de Augusto Boal: censura, exílio e a internacionalização de um método. Concinnitas, Rio de Janeiro, ano 19, n. 33, dez. 2018.

ANDRADE, Clara de. Torquemada de Augusto Boal: uma catarse do trauma. Revista Cena, Porto Alegre, n. 11, p. 1-22, 2012.

BELÉM, Elisa. Afinal, como a crítica decolonial pode servir às artes da cena? ILINX Rev. do Lume, n. 10, p. 99-106, 2016.

BISSETT, Judith Ismael. Victims and Violators: The Structure of Violence in Torquemada. Latin American Theatre Review, (15/2), Lawrence, Kansas, p. 27-34, Spring 1982.

BOAL, Augusto. Hamlet e o filho do padeiro: memórias imaginadas. São Paulo: Record, 2000. 339 p.

BOAL, Augusto. Milagre no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

BOAL, Augusto. Teatro de Augusto Boal. São Paulo: Hucitec, 1986. (Vol. 1).

BOAL, Augusto. Teatro de Augusto Boal. São Paulo: Hucitec, 1990. (Vol. 2).

BOAL, Augusto. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

BOAL, Augusto. Técnicas latino-americanas de teatro popular. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 1984.

BRANDÃO, Tania. Artes Cênicas: por uma metodologia da pesquisa histórica. In: CARREIRA, André et al. (Orgs.). Metodologias de pesquisa em Artes Cênicas. Rio de Janeiro: 7 Letras/ Abrace, 2006. p. 105-119.

DIAS, Clarice César. Pingado: comicidade e estereótipos como caminhos para reflexão e (re) existência em um processo composicional. 2020. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas), Universidade de Brasília, UnB, 2020.

FABRINI, Veronica. Sul da cena, Sul do saber. Moringa – Artes do Espetáculo, João Pessoa, PB, v. 4, n. 1, p. 11-25, 2013.

FIUZA, Sandra Alves. Práticas de tortura narradas em Torquemada (1971), de Augusto Boal. 2005. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal de Uberlândia, UFU, 2005.

FIUZA, Sandra Alves. Representações políticas e estéticas da tortura no Brasil: uma análise do texto teatral Torquemada (1971), de Augusto Boal. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, XXII., 2015, João Pessoa. Anais..., 2003.

FON, Antonio Carlos. Tortura: a história da repressão política no Brasil. São Paulo: Global, 1979. 79 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 68. ed. Rio de Janeiro/ São Paulo: Paz e Terra, 2019.

LIMA, Eduardo Campos. Na USP, teatro foi palco de resistência à ditadura militar. Revista Adusp, p. 50-60, out. 2013.

MACHADO, João Victor Sanches da Matta. Para (re)pensar a América Latina: a vertente descolonial de Walter D. Mignolo (Resenha). Espaço e Economia, ano III, n. 5, p. 1-4, 2014. Disponível em: http://journals.openedition.org/espacoeconomia/8992014. Acesso em: 10 ago. 2022.

MIGNOLO, Walter D. Histórias locais/ projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Trad. Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: UFMG, 2003. 505 p.

MIGNOLO, Walter D. La idea de América Latina. La herida colonial y la opción decolonial. Trad. Silvia Jawerbaum; Julieta Barba. Barcelona: Gedisa, 2007. 241 p.

RAZUK, José Eduardo Paraíso. Muito além do Teatro do Oprimido: Um panorama da obra dramatúrgica de Augusto Boal. 2019. Estágio de Pós-Doutorado (Relatório), Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, USP, 2019.

RIBEIRO, Benair Alcaraz Fernandes. Arte e inquisição na Península Ibérica (A Arte, os Artistas e a Inquisição). 2006. Tese (Doutorado em História). Universidade de São Paulo, 2006.

RIBEIRO, Paula Chagas Autran. A montagem da peça Ratos e Homens, de John Steinbeck, pelo Teatro de Arena e a apropriação do conceito de realismo stanislavskiano. Conceição/ Concept, Campinas, SP, v. 5, n. 1, p. 131-140, jan./jun. 2016.

SANT’ANNA, Catarina. O riso na corda bamba: o humor na obra de Augusto Boal no exílio. Revista Art Cultura, Uberlândia, v. 19, n. 34, p. 153-169, jan./jun. 2017.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. 637 p.

SOUZA, Edimilson Evangelista de. Heleny Guariba: luta e paixão no teatro brasileiro. 2008. Dissertação (Mestrado em Artes), Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Campus São Paulo, 2008.

TOLEDO, Paulo Vinicius Bio. Debates sobre teatro e sociedade após o golpe de 1964: reflexão e trabalho teatral de José Celso Martinez Corrêa e Augusto Boal. 2018. Tese (Doutorado em Artes), Universidade de São Paulo, 2018.

TORRES, Walter Lima. Os ensaiadores e as encenações. In: FARIA, João Roberto (dir.). História do teatro brasileiro: das origens ao teatro profissional da primeira metade do século XX. Vol. I. São Paulo: Perspectiva/ Sesc SP, 2012. p. 479-496.

TOSTADO, Erick López Álvarez. Decolonizar el imaginario: reflexiones en torno a la herida colonial y el racismo en América Latina. REALIS – Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais, v. 1, n. 01, jan./jun. 2011.

VILLAS BÔAS, Rafael Litvin; ESTEVAM, Douglas. Trabalho teatral latino-americano: pedagogias dissonantes em dois tempos históricos. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, ago./set. 2020.

ZAMARIOLA, Paola Lopes. Cena latino-americana contemporânea: correspondências entre as teatralidades dissidentes de agora, de outrora e do porvir. Anais Abrace, v. 17, n. 1, p. 250-269, 2016.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

SILVA, G. J. da. Uma dramaturgia original sobre a tortura, a partir do Sul: os 50 anos de Torquemada, de Augusto Boal. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 44, p. 1-28, 2022. DOI: 10.5965/1414573102442022e0111. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22265. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Produção de dramaturgia a partir do Sul - Perspectivas críticas