Teatro na Prisão: A Extensão e a Pesquisa como caminhos formativos em Pedagogia do Teatro

Autores

  • Andressa da Silva Santos Universidade Federal do Amapá - UNIFAP
  • Emerson de Paula Silva Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)

DOI:

https://doi.org/10.5965/14145731033920200117

Palavras-chave:

Teatro, Prisão, Extensão, Pesquisa

Resumo

Este relato refere-se a uma experiência discente junto a uma ação de extensão e a um projeto de pesquisa sobre Teatro e Educação Penitenciária promovido pelo Curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP. Procuramos discorrer sobre a participação junto ao projeto temático e como a prática extensionista se transformou em investigação científica sobre a relação do fazer teatral junto ao espaço prisional e o reflexo destas ações na formação discente/docente dos licenciandos do curso em questão.

Biografia do Autor

Andressa da Silva Santos, Universidade Federal do Amapá - UNIFAP

Licencianda em Teatro na Universidade Federal do Amapá - UNIFAP. Bolsista Iniciação Científica NECID - PROBIC - UNIFAP. Integrante do Projeto de Extensão Teatro e Prisão: Ressocialização Através da Arte - PROEAC - UNIFAP.

Emerson de Paula Silva, Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)

Professor do Curso de Teatro da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Doutorando em Estudos Literários (UNESP). Mestre em Artes da Cena pela UNICAMP, Licenciado em Artes Cênicas pela UFOP.

 

Referências

CONCÍLIO, Vicente. Teatro e Prisão – Dilemas da Liberdade Artística em Processos Teatrais com População Carcerária. Dissertação de Mestrado apresentada na ECA/USP, sob Orientação de Maria Lúcia de Souza Barros Pupo. São Paulo. 2006.

FERREIRA, F. C. Pedagogia palhacesca: uma poética de atravessamentos, transgressões e comicidade na escola básica. 2016. (Mestrado Profissional em Arte) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GONÇALVES, Nadia Gaiofatto. Indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão: um princípio necessário. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 33, n. 3, p. 1229 - 1256, set./dez. 2015.

LIGIÉRO, Zeca. Teatro e comunidade: uma experiência. Uberlândia: Universidade

Federal de Uberlândia, 1983.

KOUDELA, Ingrid Dormien. Jogos Teatrais. São Paulo: Perspectiva, 2006.

SILVA, Emerson de Paula...[et al.]. Trajetórias da pele: Teatro e educação penitenciária em Macapá. In: VASQUEZ, Eliane Leal; ABREU, Almiro Alves; FEIO, Leila do Socorro Rodrigues (Org.). Educação Penitenciária Amapaense: Pesquisas, demandas recorrentes e formulação de políticas educacionais. Uberlândia: Navegando Publicações, 2020. (Coleção Educar na Prisão e Escola, Vol. 1).

SPOLIN, Viola. Improvisação para o Teatro. Tradução e revisão Ingrid Dormien Koudela e Eduardo José de Almeida Amos. São Paulo: Perspectiva, 2010.

VASQUEZ, Eliane. Sociedade Cativa, entre cultura escolar e cultura prisional. 2 ed. Rio de Janeiro-RJ. Editor: George Martins, 2015.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

SANTOS, A. da S.; SILVA, E. de P. Teatro na Prisão: A Extensão e a Pesquisa como caminhos formativos em Pedagogia do Teatro . Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 39, p. 1-15, 2020. DOI: 10.5965/14145731033920200117. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18570. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê temático: Artes da Cena atrás das grades