Relação entre mobilidade urbana e qualidade de vida a partir das representações sociais de pessoas idosas em um município de médio porte

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246242023e0114

Palavras-chave:

mobilidade urbana, mobilidade de pessoas idosas, direito à cidade, representações sociais, qualidade de vida

Resumo

O envelhecimento populacional e a urbanização são dois fenômenos mundiais em crescimento. Esse cenário exige mudanças que envolvem a mobilidade urbana vivenciada pelas pessoas idosas. Assim, objetivou-se analisar a relação entre mobilidade urbana e qualidade de vida a partir das representações sociais de pessoas idosas. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que realizou levantamento documental e entrevista semiestruturada. Participaram do estudo 11 pessoas idosas integrantes do Projeto SUPERidade da Secretaria de Assistência Social do município de Chapecó, Estado de Santa Catarina. Para análise das informações utilizou-se a técnica de análise temática de conteúdo, delimitando-se à categoria “Mobilidade Urbana e Qualidade de Vida como Direito à Cidade”. A mobilidade urbana possibilita que as pessoas idosas alcancem os destinos desejados, o acesso à saúde e ao lazer, que representam qualidade de vida. A influência do espaço urbano na mobilidade das pessoas idosas pode promover qualidade de vida e inclusão social ou seu inverso, na medida em que possibilita ou restringe as oportunidades de usufruir o que a cidade oferece. Entende-se que a mobilidade urbana seja um dos fatores que compõem os determinantes sociais da saúde, haja vista a influência no acesso das pessoas idosas à cidade. Tendo em vista que o envelhecimento é um processo progressivo, irreversível e previsível no curso de vida, o espaço urbano pode ser redimensionado, contribuindo para a inclusão de pessoas idosas com diferentes graus de capacidade funcional, a fim de promover um espaço urbano mais justo, democrático e saudável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joanna de Paula Mynarski, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó

Mestra em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó.

Márcia Luíza Pit Dal Magro, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó.

Adriana Remião Luzardo, Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS

Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Professora Adjunta da Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS.

Referências

ARLINDO. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 24 jul. 2019.

BERNARDETE. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 13 ago. 2019.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: TAQ, 1979.

BRASIL. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a Política Nacional do Idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [1994]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8842.htm. Acesso em: 14 nov. 2018.

BRASIL. Portaria nº 2.528 de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Brasília, DF: Presidência da República, [2006]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2006/prt2528_19_10_2006.html. Acesso em: 25 fev. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto da Pessoa Idosa e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2003]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm. Acesso em: 10 jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Estatuto da Cidade. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2001]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10257.htm. Acesso em: 15 dez. 2018.

BRASIL. Projeto de Lei 7.061-A de 2017. Altera a lei 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, para incluir o direito à mobilidade; tendo parecer da Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, pela aprovação. Brasília, DF: Presidência da República, [2017]. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=156102. Acesso em: 10 set. 2020.

BUSS, Paulo Marchiori; PELLEGRINI FILHO, Alberto. A Saúde e seus Determinantes Sociais. Rev. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 77-93, 2007.

CHAPECÓ. Croqui bairros de Chapecó. 2023. Disponível em: https://web.chapeco.sc.gov.br/documentos/Croquis/Bairros%20de%20Chapec%c3%b3.pdf. Acesso em: 15 mar. 2023.

COLAÇO, Kleber et al. Análise da acessibilidade e mobilidade urbana para a terceira idade no município de Santos/SP. UNISANTA Bioscience, Santos-SP, v. 9, n. 1, p. 69-78, 2020. Disponível em: https://periodicos.unisanta.br/index.php/bio/article/view/2215/1776. Acesso em: 28 out. 2020.

DARCI. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 12 set. 2019.

DORALICE. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 8 ago. 2019.

FERREIRA, Olívia G. L. et al. Envelhecimento ativo e sua relação coma independência funcional. Texto Contexto Enferm., Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 513-518, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tce/v21n3/v21n3a04.pdf. Acesso em: 21 mar. 2019.

FONTANELLA, Bruno, José B.; RICAS, Janete; TURATO, Egberto R. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 7-27, jan, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v24n1/02.pdf. Acesso em: 16 abr. 2019

FRANCISCO, Priscila M. S. B.; ASSUMPÇÃO, Daniela de.; BACURAU, Aldiane G. M.; SILVA, Diego S. M.; MALTA, Derbora C.; BORIM, Flávia S. A. Multimorbiddae e uso de serviços de saúde em idosos muito idosos no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, [s.l.], v. 24, supl. 2, dez. 2021. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rbepid/2021.v24suppl2/e210014/pt/. Acesso em: 16 mar. 2023.

GAGLIONE, Federica; GARGIULO Carmela; ZUCARO Floriana. Um conjunto de variáveis de acessibilidade de idosos em áreas urbanas. TeMA Journal of Land Use, Mobility and Environment, Nápoles, p. 53-66, 2018. Disponível em: http://www.politics.unina.it/index.php/tema/article/view/5738. Acesso em: 10 set. 2020.

GEIB, Lorena Teresinha Consalter. Determinantes Sociais da Saúde do Idoso. Ciência e Saúde Coletiva, São Paulo, p. 123-133, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/fbHvqCDM5Hcx5VKY3SXXXjP/?lang=pt. Acesso em: 15 dez. 2021.

IBGE. Taxa de urbanização. [Rio de Janeiro]: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010a. Disponível em: https://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspx?vcodigo=POP122. Acesso em: 14 abr. 2019.

IBGE. População idosa e população urbana e rural em Chapecó. [Rio de Janeiro]: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010b. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/chapeco/pesquisa/23/25207. Acesso em: 15 de abr. 2019.

IBGE. Número de idosos cresce 18% em 5 anos e ultrapassa 30 milhões em 2017. [Rio de Janeiro]: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20980-numero-de-idosos-cresce-18-em-5-anos-e-ultrapassa-30-milhoes-em2017. Acesso em: 17 jul. 2020.

IBGE. Em 2021, rendimento domiciliar per capita cai ao menor nível desde 2012. [Rio de Janeiro]: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2022. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/34052-em-2021-rendimento-domiciliar-per-capita-cai-ao-menor-nivel-desde-2012. Acesso em: 16 mar. 2023.

IVONE. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 3 set. 2019.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

LEFEBVRE, Henry. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

LEFEBVRE, Henry. A produção do espaço. Tradução Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins. 4. ed. Paris: Éditions Anthropos, 2006.

MANUELA. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 3 jul. 2019.

MARICATO, Ermínia. Metrópoles desgovernadas. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. 25, n. 71, p. 7-22, 2011. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/10595/12337. Acesso em: 21 fev. 2020.

MARICATO, Ermínia. Para entender a crise urbana. CaderNAU - Cadernos do Núcleo de Análises Urbanas, Rio Grande, v. 8, n. 1, p. 11-22, 2015. Disponível em: https://periodicos.furg.br/cnau/article/viewFile/5518/3425. Acesso em: 20 fev. 2020.

MARILDA. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 29 ago. 2019.

MINAYO, Maria Cecília de S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MINAYO, Maria Cecília de S.; HARTZ, Zulmira Maria de A.; BUSS, Paulo M. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 7-18, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v5n1/7075.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

OBSERVATÓRIO NACIONAL DE SEGURANÇA VIÁRIA (ONSV). Taxa de óbitos no trânsito por 100 mil habitantes idosos. Indaiatuba-SP: ONSV, 2019. Disponível em: https://www.onsv.org.br/idosos-sao-os-que-mais-morrem-em-atropelamentos-no-brasil/. Acesso em: 10 jul. 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. The speed of urbanization aroun the world. Department of Economic and Social Affairs. [Washington, DC]: Population Divison, 2018. Disponível em: https://population.un.org/wup/Publications/Files/WUP2018-PopFacts_2018-1.pdf. Acesso em: 31 mar. 2019.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. World population prospects: the 2017 revision, key findings and advance tables. [Washington, DC]: Department of Economic and Social Affairs. Population Division. Disponível em: https://esa.un.org/unpd/wpp/publications/files/wpp2017_keyfindings.pdf. Acesso em: 10 set. 2018.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Guia global cidade amiga do idoso. Genebra, Suíça: Organização Mundial da Saúde, 2008. Disponível em: https://www.who.int/ageing/GuiaAFCPortuguese.pdf. Acesso em: 15 mar. 2023.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Estratégia e plano de ação regional para um enfoque integrado à prevenção e controle das doenças crônicas, inclusive regime alimentar, atividade física e saúde. Washington, DC: OPAS, 2007. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategia_plano_acao_regional.pdf. Acesso em: 15 dez. 2021.

ORGANIZATION FOR ECONOMIC COOPERATION AND DEVELOPMENT (OECD). Ageing in Cities, [Paris: OECD], 2015. Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/ageing-in-cities_9789264231160-en. Acesso em: 10 set. 2020.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. Genebra, Suíça: Organização Mundial da Saúde, 2015. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/186468/WHO_FWC_ALC_15.01_por.pdf?sequence=6. Acesso em: 15 jun. 2019.

OSVALDO. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 17 jul. 2019.

SANTOS, Maria Izabel P. O; GRIEP, Rosane H. Capacidade funcional de idosos atendidos em um programa do SUS em Belém (PA). Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 753-761, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232013000300021. Acesso em: 10 jan. 2020.

SEVERINA. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 22 ago. 2019.

UTIDA, Karina A. et al. Medo de cair associado a variáveis sociodemográficas, hábitos de vida e condições clínicas em idosos atendidos pela Estratégia de Saúde da Família em Campo Grande-MS. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 441-452, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v19n3/pt_1809-9823-rbgg-19-03-00441.pdf. Acesso em: 17 fev. 2020.

PNUD – PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. [S.l.: ONU], 2010. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/chapeco_sc. Acesso em: 11 fev. 2019.

PRADO, Adriana R. A.; LICHT, Flavia B. Idosos, cidade e moradia: acolhimento ou confinamento? a terceira idade. SESC - São Paulo, São Paulo, v. 15, n. 29, jan. 2004. Disponível em: https://portal.sescsp.org.br/online/artigo/8469_IDOSOS+CIDADE+E+MORADIA+ACOLHIMENTO+OU+CONFINAMENTO. Acesso em: 10 out. 2018.

ROCHA, Luis Fernando. Teoria das representações sociais: a ruptura de paradigmas das correntes clássicas das teorias psicológicas. Psicologia, Ciência e Profissão, [S.L.], v. 34, n. 1, p. 46-65, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pcp/a/wrWbcH7fPm37DBzk6x4JmKK/. Acesso em: 12 fev. 2023.

ROSÁRIA. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 8 jul. 2019.

SILVA, Nathalie de A.; PEDRAZA, Dixis Figueroa; MENEZES, Tarciana N. Desempenho funcional e sua associação com variáveis antropométricas e de composição corporal em idosos. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v.20, n. 12, p. 3723-3732, dez. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232015001203723&script=sci_arttext. Acesso em: 22 abr. 2020.

VALDEMAR. [Entrevista cedida a] Joanna de Paula Mynarski. Chapecó (SC), 6 set. 2019.

VERAS, Renato P., 2012. Gerenciamento de doença crônica: equívoco para o grupo etário dos idosos. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 6, p. 929-34, 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v46n6/01.pdf. Acesso em: 20 mar. 2020

WORLD HEALTH ORGANZATION. A conceptual framework for action for social determinants of health. Geneva: World Health Organzation, 2010, p. 79. Disponível em: https://www.who.int/sdhconference/resources/ConceptualframeworkforactiononSDH_eng.pdf. Acesso em 15 dez. 2021.

Downloads

Publicado

2023-06-07

Como Citar

MYNARSKI, Joanna de Paula; MAGRO, Márcia Luíza Pit Dal; LUZARDO, Adriana Remião. Relação entre mobilidade urbana e qualidade de vida a partir das representações sociais de pessoas idosas em um município de médio porte. PerCursos, Florianópolis, v. 24, p. e0114, 2023. DOI: 10.5965/19847246242023e0114. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/22625. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “A multidimensionalidade das velhices: perspectivas do envelhecimento nas agendas do século XXI”