Suplementação de vitamina D (25(OH)D) para mulheres idosas fisicamente ativas, residentes na comunidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246242023e0122

Palavras-chave:

suplementação de vitamina D, mulheres idosas, independência física e funcional

Resumo

Conhecer os níveis séricos de 25(OH)D e o perfil ósseo de mulheres idosas é relevante para a manutenção de sua independência física e funcional. Objetivo: Avaliar a suplementação da 25(OH)D em mulheres idosas fisicamente ativas. Métodos: Ensaio de intervenção em grupos. Foram avaliadas 348 mulheres idosas com idade ≥ 60 anos (67±5 anos), praticantes de exercício físico há pelo menos um ano, na Unidade de Santana do Sesc - Serviço Social do Comércio - São Paulo (SP). Comparamos 146 praticantes de Hidroginástica (HD); 99 idosas que praticavam Ginástica Multifuncional (GMF); e 103 idosas não praticantes de exercício físico supervisionado, as quais foram classificadas como sedentárias (SED). As idosas com níveis de 25(OH)D abaixo da mediana do respectivo grupo foram suplementadas com colecalciferol, 21 mil UI/semana, por 12 meses. Foi realizada a dosagem sérica de 25(OH)D, o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) e a Densitometria Óssea (Dexa). A comparação dos dados basais foi realizada pelo Modelo Linear Geral (General Linear Model - GLM) univariado e para o tempo da suplementação, o GLM para medidas repetidas, considerando o nível de significância α<0,005. Resultados: A suplementação aumentou significativamente os níveis de 25(OH)D na HD (12,06±2,64 - 39,42±13,82 ng/mL - p<0,001), GMF (13,01±3,43 - 37,36±10,46 ng/mL - p<0,001) e SED (10,86±2,26 ng/ml - 38,30±13,77 ng/mL - p<0,001). Não houve diferenças significativas sobre o perfil ósseo. Conclusão: As idosas dos grupos, mesmo independentes fisicamente, apresentaram osteopenia, osteoporose e insuficiência de 25(OH)D, esta corrigida após o protocolo de suplementação, mostrando sua efetividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neide Alessandra Périgo Nascimento, Sesc São Paulo

Doutora em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo – Unifesp. Assistente técnica da Gerência de Desenvolvimento Físico e Esportivo do Sesc São Paulo.

Referências

ADAMS, M. A. et al. Patterns of neighborhood environment attributes related to physical activity across 11 countries: A latent class analysis. Int J Behav Nutr Phys Act, [s. l.], v. 10, n. 34, p. 11-33. 2013.

AGOSTINI, D.; ZEPPA S. D.; LUCERTINI, F. et al. Muscle and bone health in postmenopausal women: role of protein and vitamin D supplementation combined with exercise training. Nutrients, [s. l.], v. 10, n. 8, e1103, 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6116194/. Acesso em: 23 abr. 2022.

BANCO INTERNACIONAL PARA A RECONSTRUÇÃO E O DESENVOLVIMENTO; BANCO MUNDIAL. Envelhecendo em um país mais velho. Washington: BIRD - Banco Mundial, 2011.

BILEZIKIAN, JP et al. Vitamin D: dosing, levels, form, and route of administration: does one approach fit all? Reviews in Endocrine and Metabolic Disorders, São Paulo, v. 22, p. 1201–1218, 2021.

BOUCHER, B. J. Vitamin D status and its management for achieving optimal health benefits in the elderly. Expert Review of Endocrinology & Metabolism, [s. l.], v. 13, n.6, p. 279-293, 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30317909. Acesso em: 23 abr. 2022.

BROE; K. E.; CHEN, T. C.; WEINBERG, J. et al. A higher dose of vitamin d reduces the risk of falls in nursing home residents: a randomized, multiple-dose study. J. Am. Geriatr. Soc., [s. l.], Feb; v. 55, n.2: 234-9. 2007. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17302660. Acesso em: 22 abr. 2022.

CEGLIA, L. et al. A randomized study on the effect of vitamin D (3) supplementation on skeletal muscle morphology and vitamin D receptor concentration in older women. The Journal of Clinical Endocrinology and Metabolismo, [s. l.], v. 98, n. 12, p. E1.927-35, Dec. 2013.

CENTRO INTERNACIONAL DE LONGEVIDADE BRASIL. Envelhecimento ativo: um marco político em resposta à revolução da longevidade. 1. ed. Rio de Janeiro: [s. n.], 2015.

CONFORTIN, S. C. et al. (2020). Osteopenia/Osteoporosis and Its association with Sarcopenia: EpiFloripa aging study 2013/2014. Port J Public Health, [s. l.], v. 38, p. 15-22, 2020.

COSTA, G. et al. Estudo comparativo das adaptações fisiológicas agudas durante a execução de três variantes de um exercício básico de hidroginástica. Rev. Bras. Cineantropom. Desempenho Hum., [s. l.], v. 10, n. 4, p. 323-329, 2008.

DORING, M.; MORETTO, C. F.; DIEHL, A. A. et al. Envelhecimento humano: aspectos populacionais e de saúde na contemporaneidade. Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo, 2018. 314 p.

FREITAS, C. et al. Intervalos de referência da vitamina D – 25(OH)D: posicionamento oficial da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) e da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) – Intervalos de Referência da Vitamina D - 25(OH)D. [s. l.: s. n.], 2017.

FRIED, L. P. et al. Risk factors for 5-year mortality in older adults. The Journal of American Medical Association, [s. l.], v. 279, n. 8, p. 622-623, 1998.

HOLICK, M. F. The vitamin D deficiency pandemic: approaches for diagnosis, treatment, and prevention. Endocr Metab Disord, [s. l.], v. 18, p. 153-165, 2017.

KALISCH, T. et al. Questionnaire-based evaluation of everyday competence in older adults. Clinical Interventions in Aging., [s. l.], v. 6, p. 37-46, 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3066251/. Acesso em: 23 abr. 2019.

KUCZMARSKI, M. F.; KUCZMARSKI, R. J.; NAJJAR, M. Descriptive anthropometric reference data for older Americans. J. Am. Diet. Assoc., [s. l.], v. 100, p. 59-66, 2002.

LACHMAN M. E. et al. When adults don’t exercise behavioral strategies to increase physical activity in sedentary middle-aged and older adults. Innovation in Aging., [s. l.], v. 2, n. 1, p. 1-12, 2018.

LEBRÃO, M. L.; DUARTE, Y. A. O. Sabe: saúde, bem-estar e envelhecimento: o projeto Sabe no município de São Paulo: uma abordagem inicial. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2003. 255 p.

LIM, K.; THADHANI, R. Toxicidade da vitamina D. Braz. J. Nephrol. (J. Bras. Nefrol.), [s. l.], v. 42, n. 2, p. 238-244, 2020.

MOREIRA, P. F. P. Efeito da suplementação com colecalciferol no tecido adiposo de idosas ativas. 2015. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2015.

MOREIRA, L. D. et al. High-intensity aquatic exercises (HydrOS) improve physical function and reduce falls among postmenopausal women. Menopause, São Paulo, v. 20, n. 10, p. 1012-1019, Oct. 2013.

MOREIRA-PFRIMER, L. D.; PEDROSA, M. A.; TEIXEIRA, L. et al. Treatment of vitamin D deficiency increases lower limb muscle strength in institutionalized older people independently of regular physical activity: a randomized double-blind controlled trial. Ann Nutr. Metab, [s. l.],v. 54, p. 291-300, 2009.

NASCIMENTO, N. A. P. et al. Effect of vitamin D level and physical exercise on the physical performance and functional test results in elderly women. J Geriatr Med Gerontol., São Paulo, v. 5, n.61, 2019.

NASCIMENTO, N. A. P. Efeito dos níveis de vitamina D e exercício físico no desempenho físico e funcional de idosas ativas, após suplementação com Colecalciferol. 2019. Tese (Doutorado em Ciências) – Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2019.

NASCIMENTO, N. A. P. et al. Relation among 25(OH)D, aquatic exercises, and multifunctional fitness on functional performance of elderly women from the community. J Nutr Health Aging, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 376-82, 2016. DOI: 10.1007/s12603-015-0569-x.

PEREIRA, S. R. M.; CARVALHO DE MENDONÇA, L. M. Tratado de geriatria e gerontologia: osteoporose e osteomalácia. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016.

ROSS, A. C.; MANSON, J. E.; ABRAMS, S. A. et al. The 2011 report on dietary reference intakes for calcium and vitamin D from the Institute of Medicine: what clinicians need to know. J. Clin. Endocrinol Metab., [s. l.], v. 96, p. 53-58, 2011.

ROSSI, E.; SADER, C. S. Tratado de geriatria e gerontologia: envelhecimento do sistema osteoarticular. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016.

SESC. Serviço Social do Comércio. Realizações. São Paulo: [s. n.], 2011. 161 p.

WILLET, W. C. Nutritional epidemiology. 2. ed. New York: Oxford University Press, 1998.

Downloads

Publicado

2023-07-03

Como Citar

NASCIMENTO, Neide Alessandra Périgo. Suplementação de vitamina D (25(OH)D) para mulheres idosas fisicamente ativas, residentes na comunidade. PerCursos, Florianópolis, v. 24, p. e0122, 2023. DOI: 10.5965/19847246242023e0122. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/22448. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “A multidimensionalidade das velhices: perspectivas do envelhecimento nas agendas do século XXI”