Gênero e embelezamento na educação infantil <em>DOI: 10.5965/1984724614262013125</em>

Autores

  • Bianca Salazar Guizzo Universidade Luterana do Brasil

Resumo

O principal objetivo desse artigo é apresentar como as crianças de uma escola pública se valem de algumas práticas corporais para se tornarem belas, de acordo com os padrões que predominam em seus cotidianos. Meninos e meninas preocupam-se com suas aparências e essas preocupações são influenciadas por discursos e imagens aos quais têm acesso através da mídia. Por meio dessa intensa presença de discursos e imagens, as crianças – especialmente as meninas – são encorajadas a investir na modelação de um corpo considerado ideal. No entanto, apesar de meninos e meninas se preocuparem com a aparência, as meninas almejam ter um corpo perfeito como manequins e modelos e elas investem em práticas para serem ou se parecerem com uma. Para as problematizações aqui realizadas, utilizo como referências os Estudos Culturais e de Gênero, em especial os que se aproximam da perspectiva pós-estruturalista de análise.

Biografia do Autor

Bianca Salazar Guizzo, Universidade Luterana do Brasil

Licenciada em Pedagogia (habilitação Educação Infantil), Mestre e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é pesquisadora e professora de graduação e pós-graduação na Universidade Luterana do Brasil.

Downloads

Publicado

2013-08-02

Como Citar

Guizzo, B. S. (2013). Gênero e embelezamento na educação infantil <em>DOI: 10.5965/1984724614262013125</em>. PerCursos, 14(26), 125 - 143. Recuperado de https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724614262013125