CATARSE: APROXIMAÇÕES CONCEITUAIS COM O ENSINO DA ARTE

Autores

  • Priscila de Souza Chisté Instituto Federal do Espírito Santo

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234607142015045

Palavras-chave:

arte , cartase, educação

Resumo

A Catarse é considerada por muitos autores como um “efeito” ligado a um processo que leva à tomada de consciência. Que “efeito” é esse? Por quem foi sistematizado? Quais abordagens foram construídas a partir desse conceito? Qual a sua relação com a educação e com os espaços escolar e expositivo? O artigo em tela pretende refletir sobre essas questões ao revisitar o conceito de Catarse a partir de autores como Aristóteles, Vigotski, Jauss e, em especial, Georg Lukács. Busca relacionar as ideias desse esteta húngaro ao campo da  educação e, principalmente, ao ensino da arte. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila de Souza Chisté, Instituto Federal do Espírito Santo

Professora do Instituto Federal do Espírito Santo, atua no PROEJA e nos mestrados em Educação e Matemática, em Letras e em Humanidades.

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Tradução de Eudoro de Souza. Lisboa: Imprensa Nacional/ Casa da Moeda, 1992.

BARBOSA, Ana Mae. A imagem no ensino da arte: dos anos 80 e novos tempos. São Paulo: Perspectiva, 1991.

. Arte-educação: leitura no subsolo. São Paulo: Cortez, 1997.

(Org.). Inquietações e mudanças do ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2002a.

BARBOSA. Tereza Virgínia Ribeiro. A Kátharsis trágica: uma entrega consciente ao desconhecido. In: DUARTE, Rodrigo; FIGUEIREDO, Virgínea; FREITAS Verlaine; KAN- GUSSU, Imaculada (Org.). Kátharsis: reflexão sobre um conceito estético. Belo Hori- zonte: C/Arte, 2002b. p. 28-41.

DUAYER, Juarez Torrez. Lukács e a arquitetura. 2003. Tese (Doutorado em Filosofia e Ciências Humanas) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

DUARTE, Newton. Educação escolar, teoria do cotidiano e a escola de Vigotski. Cam- pinas: Autores Associados, 1996.

FOERSTE, Erineu. Parceria na formação de professores. São Paulo: Cortez, 2005.

FOERSTE, Gerda Margit Schütz. Leitura de imagens: um desafio à educação contem- porânea. Vitória: EDUFES, 2004.

FONTANA, Roseli A. Cação. Mediação pedagógica na sala de aula. Campinas: S.P: Autores Associados, 2005.

FRANZ. Terezinha Suely. Educação para uma compreensão crítica da arte. Santa Ca- tarina: Letras Contemporâneas, 2003.

GONÇALVES, Lisbeth Rebollo. Entre cenografias: o museu e a exposição de arte no século XX. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/FAPESP, 2004.

HELLER, Agnes. Sociologia de la vida cotidiana. Barcelona: Península, 1977.

JAUSS, Hans Robert. O Prazer estético e as experiências fundamentais da poiésis, aisthésis e kathársis. In: LIMA, Luis Costa (Org.). A literatura e o leitor. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979a. p. 63-132.

. A estética da recepção: colocações gerais. In: LIMA, Luis Costa (Org.). A lite- ratura e o leitor. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1979b. p. 43-62.

KONDER, Leandro. O que é dialética. São Paulo: Brasiliense, 1998.

LEÓNTIEV, Alexei Nikolaevich. Artículo de introduccíon sobre la labor creadora de L.

S. Vygotski. In: VYGOTSKI, Lev Semenovith. Obras escogidas I. Madri: Visor, 1997. p. 419-450.

LUKÁCS, Georg. Estética 1-La peculiaridad de lo estético. Barcelona: Ediciones Gri- jaldo, 1966.

. Estética 1-La peculiaridad de lo estético, 4 vol., Barcelona: Ediciones Grijal- do, 1982.

MARCUSE, Herbert. A Ideologia da sociedade industrial: o homem unidimensional. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1973.

PILLAR, Ana Alice Dutra. A educação do olhar no ensino da arte. Porto Alegre: Editora Mediação, 1999.

PUENTE, Fernando Rey. A khátarsis em Platão e Aristóteles. In: DUARTE, Rodrigo; FIGUEIREDO, Virgínea; FREITAS Verlaine; KANGUSSU, Imaculada (Org.). Kátharsis: re- flexão sobre um conceito estético. Belo Horizonte: C/Arte, 2002. p. 10- 27.

REGO, Pedro Costa. Immanuel Kant e o problema da universalidade do belo. In: SE- MINÁRIO INTERNACIONAL ARTE NO PENSAMENTO, 1., Vitória, 2006. Anais eletrôni-

cos. Disponível em: <http://arte.artenopensamento.org.br/pdf/immanuel_kant_uni- versalidade_do_belo.p df>. Acesso em: 20 abr. 2006.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. São Paulo, Cortez/Autores Associados, 1991.

VEER, René Van Der; VALSINER, Jaan. Vygotsky: uma síntese. São Paulo: Loyola, 1996.

VIGOTSKI, Lev Semenovich. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

. Psicologia da arte. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

ZILBERMAN. Regina. Estética da recepção e a história da literatura. São Paulo: Ática, 1989.

Downloads

Publicado

2015-12-18

Como Citar

CHISTÉ, Priscila de Souza. CATARSE: APROXIMAÇÕES CONCEITUAIS COM O ENSINO DA ARTE. Palíndromo, Florianópolis, v. 7, n. 14, p. 045–063, 2015. DOI: 10.5965/2175234607142015045. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/6821. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta