A representação do híbrido na pintura de Bosch

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234612272020148

Palavras-chave:

Bosch, híbrido, pintura, história da arte

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo conceituar historicamente o híbrido, evidenciando as significações a ele atribuídas, e relacioná-lo com a obra de Hieronymus Bosch. Para a compreensão dessas relações, é preciso entender separadamente cada elemento, por isso, o artigo é dividido em três partes: o conceito de híbrido, a vida e obra de Hieronymus Bosch e análise de uma obra deste artista. Esta breve análise de imagem deixa evidente as visões e conotações atribuídas ao híbrido desde a Antiguidade. Como metodologia de pesquisa foram utilizados livros e artigos científicos que abordam o tema, além do levantamento e estudo de obras de Bosch.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yasmin Pol, Federal University of Rio Grande do Sul

Graduanda de Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ALIGHIERI, D. A Divina Comédia. São Paulo: Scipione, 2002.

BALDASS, L. V. Hieronymus Bosch. Abrams, 1960. In: Mestres da Pintura. Hieronymus Bosch (1450?-1516). São Paulo: Editora Abril, 1977.

BECKET, W. História da pintura. São Paulo: Ática, 2006.

BOSING, W. Hieronymus Bosch: cerca de 1450 a 1516. Entre o Céu e o Inferno. Tr a-dução Casa das Línguas, Lda. Londres, Benedikt Taschen Verlag GmbH, 1991.

BURKE, P. Hibridismo Cultural. Saõ Leopoldo: Editora Unisinos, 2003.

BURKE, P. Testemunha ocular. História e imagem. Bauru: EDUSC,2004.

CATTANI, I. B. (org.). Mestiçagens na Arte Contemporânea. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007.

ECO, U. História da feiúra. Rio de Janeiro: Record, 2007.

HARRIS, B.; ZUCKER, S. Hieronymus Bosch, Last Judgment Triptych. 2015. Disponí-vel em: https://smarthistory.org/hieronymus-bosch-last-judgment-triptych/. Acesso em: 21 mar. 2018.

GOMBRICH, E. H. A História da Arte. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora Ldta, 1999.

HANSEN, J. A. A sátira e o engenho: Gregório de Matos e a Bahia do século XVII. São Paulo: Atelie Editorial e Editora Unicamp, 2004.

MESTRES DA PINTURA. Hieronymus Bosch (1450?-1516). São Paulo: Editora Abril, 1977.

VAZQUEZ, A. S. Convite à estética. Rio de Janeiro: Editora Record, 1999.

WILKINSON, P. O livro ilustrado da mitologia: lendas e histórias fabulosas sobre grandes heróis e deuses do mundo inteiro. São Paulo: Publifolha, 2002.

Downloads

Publicado

2020-05-01

Como Citar

POL, Yasmin. A representação do híbrido na pintura de Bosch. Palíndromo, Florianópolis, v. 12, n. 27, p. 148–166, 2020. DOI: 10.5965/2175234612272020148. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/12843. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta