Entre memórias e narrativas de vida desde a Escola de Aprendizes Artífices em Campos dos Goytacazes (RJ)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530407012022e0101

Palavras-chave:

Bandas escolares. Bandas civis. Memória social. História oral. Políticas culturais.

Resumo

Com o objetivo de abordar o papel das bandas marciais e civis para a educação social e a memória cultural das cidades, esse artigo apresenta narrativas orais de dois mestres de banda que passaram pela antiga Escola de Aprendizes Artífices de Campos, hoje, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense,cujo campus histórico denomina-se Campus Campos Centro. Por meio da metodologia história oral de vida foi possível coletar narrativas decorrentes de práticas sociais e vivências com a música, que corroboraram para o enlace de experiências musicais e a construção de memórias coletivas. Ricardo de Azevedo e Valmir da Conceição são dois ex-alunos do Instituto, cujas trajetórias de vida são fundamentais para a efetivação de políticas culturais de caráter coletivo. Apesar de terem trilhado percursos diferentes na música, ambos são oriundos de bandas civis, tendo se tornado mestres de referência e resistência pela cultura de bandas na região Norte Fluminense. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Karina Barra Gomes, UENF

Possui curso técnico em Piano, concluído em 1996, no Centro de Integração Artística; licenciada em Educação Artística - habilitação em Música, no ano de 2003, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-RIO), onde iniciou a pesquisa em música brasileira. Em 2008, obteve o título de Mestre em Políticas Sociais e, em 2019, o título de Doutora em Políticas Sociais, na linha de pesquisa: Educação, Cultura, Política e Cidadania, pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Em suas publicações, discute questões relacionadas as práticas musicais e culturais, bem como, aos aspectos que tratam da memória social, identidade e políticas culturais. Tem experiência profissional com o segundo segmento do Ensino Fundamental regular e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Atuou no curso de Licenciatura em Artes Visuais do Centro Universitário Fluminense UNIFLU/FAFIC de 2009 à 2012, onde orientou trabalhos monográficos, bem como no curso de Licenciatura em Pedagogia da FAETEC, no Instituto Superior de Educação Professor Aldo Muylaert (ISEPAM), de 2010 à 2014. Tem prática com as seguintes disciplinas: Metodologia do Trabalho Científico; Trabalho de Conclusão de Curso; Corpo e Movimento; Gestão e Coordenação do Trabalho Pedagógico na Ed. Infantil e Ensino Fundamental; Didática; Arte e Educação; História da Arte; Música, Educação e Cidadania; Música na Ed. Infantil e no Ensino Fundamental; Políticas Públicas na Ed. Básica; Pesquisa e Prática; Educação de Jovens e Adultos e Regência Coral. Fundou e foi diretora musical do Coral do ISEPAM, entre 2011 e 2014.

Referências

BOSI, Eclea. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. 22. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

CEVASCO, Maria Elisa. Dez lições sobre estudos culturais. São Paulo: Boitempo, 2008.

CHAGAS, Viviane. Nos tempos da Federal. Jornal O Diário, p.1, 23 abr. 2009.

DANTAS, Fred. Bandas, fanfarras e filarmônicas. In: DANTAS, Fred. Bandas de música: formações e repertórios: circuito 2017/2018. Rio de Janeiro: Sesc, Departamento Nacional, p. 12-29, 2017.

DIAS, Jair Duncan Navega. O 23 de setembro. O aprendiz: órgão oficial dos alunos da Escola Técnica de Campos, Campos, p.1, set. 1965.

GARCÍA-CANCLINI, Nestor. Políticas culturales y crisis de desarrollo: um balance latino-americano. In: GARCÍ-CANCLINI, Nestor. (org). Políticas Culturales en América Latina. Miguel Hidalgo, México: Grijalbo, 1987, p.13-61.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom; HOLANDA, Fabíola. História Oral: como fazer, como pensar. São Paulo: Contexto, 2007.

NORA, Pierre. Entre memória e história. A problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo: PUC, n.10, p.7-28, 1993.

O INSTITUTO. Tempo, Memória e Transformação: 110 anos da criação da Escola de Aprendizes Artífices em Campos. Campos dos Goytacazes: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos Centro, Diretoria de

Extensão, Pesquisa e Pós-graduação, Coordenação de Cultura, 2020.

SILVA, Valdir Pierote; BARROS, Denise Dias. Método história oral de vida: contribuições para a pesquisa qualitativa em terapia ocupacional. Rer. Ter. Ocup. Univ. São Paulo, v. 21, n.1, p. 68-73, jan./abr. 2010.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Rio de Janeiro Paz e Terra, 1998.

VENTOSA, Victor Juan. Didática da participação: teoria, metodologia e prática. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2016.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e Literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

Downloads

Publicado

2022-04-28

Como Citar

BARRA GOMES, K. Entre memórias e narrativas de vida desde a Escola de Aprendizes Artífices em Campos dos Goytacazes (RJ). Orfeu, Florianópolis, v. 7, n. 1, p. e0101, 2022. DOI: 10.5965/2525530407012022e0101. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/2525530407012022e0101. Acesso em: 23 maio. 2022.