PROJETO HORTA ESCOLA E SUA ATUAÇÃO EM CAMPO GRANDE – MS

ATUAÇÃO, DESAFIOS E PERCEPÇÕES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2594641205022021133

Palavras-chave:

Horta educativa, Educação ambiental, Educação alimentar.

Resumo

A atuação da universidade junto à sociedade pode ser vista através de projetos de extensão como o “Horta Escola” da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). Criado há vários anos tem contribuído com o desenvolvimento de atividades ligadas ao cultivo de plantas do grupo das hortaliças, medicinais e plantas alimentícias não convencionais (PANC). A implantação das hortas escolares visa influenciar os hábitos alimentares dos alunos e servir como laboratório vivo para as disciplinas. Os cultivos se dão no formato de hortas convencionais e também hortas verticais utilizando os mais diferentes materiais que as escolas, CRAs (Centro de Referência de Assistência Social), EMEIs (Escola Municipal de Educação Infantil) e outras entidades disponibilizam. A parceria entre o projeto de extensão e as comunidades atendidas se dá através da implantação das hortas, acompanhamento técnico, palestras e oficinas. Nas palestras e oficinas são abordados assuntos como escolha da área para a horta, irrigação, produção de mudas, controle fitossanitário, produção de húmus, tratos culturais, PANC, hortas verticais e alimentação saudável. Durante as fases que a horta passa até que a entidade parceira consiga conduzi-la de forma independente, destaca-se sempre um responsável, que coordena as atividades sendo que nas escolas e EMEIs geralmente é um dos professores e nos CRAs é a direção e o encarregado dos cuidados gerais. Percebe-se que esta figura é determinante para o sucesso das propostas da horta. Nas escolas e EMEIs o envolvimento das crianças é bastante representativo principalmente nos primeiros anos. As crianças demonstram muita curiosidade e relatam o que fazem em suas residências quanto ao cultivo das hortaliças. Nessas instituições as professoras descrevem a alterações positivas no comportamento dos alunos, muitos esperam ansiosos pelas atividades na horta. Os adolescentes se interessam mais pelos aspectos científicos relacionados aos cultivos, sendo que a maioria participa das atividades na horta. Os resultados obtidos pelas parcerias têm demonstrado que é de extrema importância o incentivo a produção de alimentos no ambiente urbano e que muitos se interessam e tem curiosidades sobre o assunto. Percebe-se também que a implantação das hortas em ambiente escolar serve de vitrine e pode estimular o aproveitamento de áreas urbanas para produção de uma variedade de alimentos, enriquecendo assim a alimentação da população envolvida e promovendo mudanças nos hábitos alimentares dos alunos e de toda comunidade escolar.

Biografia do Autor

Lucas Castro Torres, UCDB

Curso de Agronomia, UCDB

Antonio Paulo Nunes de Abreu, UCDB

Curso de Agronomia, UCDB

Francilina Araújo Costa, UCDB

Curso de Agronomia, UCDB

Paula Alessandra da Silva, UCDB

Curso de Nutrição, UCDB

Referências

BIANCO, S.; ROSA, A. C. M. Hortas escolares: o ambiente horta escolar como espaço de aprendizagem no contexto do ensino fundamental – livro do professor. 2.ed. Florianópolis: Instituto Souza Cruz, 2005. 79 p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2.ed. Brasília, 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf. Acesso em: 28 jun. 2020.

ROSSETTI-FERREIRA, M. C. Os fazeres na educação infantil. São Paulo: Cortez, 1998. 195 p.

SANTOS, A. P. R. Implantação da horta escolar em uma escola pública em Araras-SP. 2014. 38 f. Monografia de Especialização – Pós-graduação em Ensino de Ciências –Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Medianeira, 2014.

TURANO, W. A didática na educação nutricional. In: GOUVEIA, E. Nutrição Saúde e Comunidade. São Paulo: Revinter, 1990. 246 p.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

TORRES, L. C.; NUNES DE ABREU, A. P.; COSTA, F. A.; DA SILVA, P. A. PROJETO HORTA ESCOLA E SUA ATUAÇÃO EM CAMPO GRANDE – MS: ATUAÇÃO, DESAFIOS E PERCEPÇÕES. Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura, Florianópolis, v. 5, n. 2, p. 133-144, 2021. DOI: 10.5965/2594641205022021133. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/18375. Acesso em: 20 jan. 2022.