Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao <p>Periódico da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Comunidade da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), que divulga a produção extensionista da Udesc e de outras Instituições.<br /><strong>Periodicidade</strong>: semestral<br /><strong>Ano de criação</strong>: 2006</p> Universidade do Estado de Santa Catarina pt-BR Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura 2594-6412 Editorial https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/21463 <p>Editorial da v.5, n.2 jul./dez. 2021.</p> Ana Maria Pereira Igor Soares de Amorim Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 1 3 10.5965/25946412050220211 CINEPET NA QUARENTENA https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/21306 <p><span style="font-weight: 400;">O relato de experiência aqui presente destaca o impacto da COVID-19 na realização do planejamento acadêmico do PET Biblioteconomia no ano de 2020, em específico, a exibição de filmes para debates enquanto um espaço de reflexão sobre pautas sociopolíticas. O documento tem como objetivo geral demonstrar as adaptações requeridas durante as atividades, a realização de eventos em espaço virtual e a importância da pesquisa e divulgação científica em período de quarentena, e como específicos, identificar e caracterizar as pautas extraídas do audiovisual enquanto composição de material para debate. A metodologia utilizada é baseada nas concepções adquiridas através das bibliografias indicadas e na observação da abordagem adaptativa no evento. Conclui-se que a realização do CinePET no contexto adaptativo de pandemia e quarentena proporcionou um novo olhar sobre a valorização da pesquisa científica no Brasil e a importância das mídias e tecnologias para produção e disseminação de informação.</span></p> Laís Batista Melo Maria da Glória Serra Pinto de Alencar Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 67 72 10.5965/259464120502202167 ANÁLISE DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NO MUNICÍPIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/20818 <p><strong>Por solicitação dos autores em 20/01/2022, esse artigo foi excluido desta publicação.</strong></p> Alex Mota dos Santos Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 73 92 CONSTRUINDO PONTES PARA A TRAVESSIA DA PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/21253 <p>Este artigo objetiva relatar a experiência da Liga Interdisciplinar em Saúde Mental (LISAM), durante a pandemia do novo coronavírus. Trata-se de relato de experiência vivenciado pelos integrantes da LISAM. Com a pandemia do novo coronavírus e o fechamento das intuições de ensino, como forma de prevenção para que não houvesse a contaminação, a LISAM, da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), encontrou barreiras para continuar com as atividades que compõe o tripé universitário: ensino, pesquisa e extensão. Diante do cenário, a Liga planejou e desenvolveu algumas atividades, com intuito de promover a saúde mental. Assim, desenvolveram-se criação de vídeos informativos e <em>lives</em> na página no <em>Instagram, </em>além da realização de evento <em>on-line. </em>Foi necessário reorganizar as atividades de ensino e pesquisas, tendo como base o cenário de crise sanitária. As Ligas Acadêmicas possibilitam aproximação dos estudantes com a comunidade, produzindo trocas de experiências e mais aprendizagem. A LISAM conseguiu, mesmo que de forma remota, cumprir o papel extensionista durante a pandemia. Foi possível reinventar e continuar com as atividades de ensino, pesquisa e extensão na pandemia. A travessia foi repleta de desafios e aprendizagem.</p> Sabrina da Silva França Aline Maria Melo Pinto Lídia Cristina Monteiro da Silva Caio San Rodrigues Emília do Nascimento Silva Luena Brena Almeida da Silva ELIANY NAZARÉ OLIVEIRA Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 93 106 10.5965/259464120502202193 DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA EM TEMPOS DE PANDEMIA https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/21304 <p>Discute o podcast como uma ferramenta para a democratização do conhecimento e divulgação científica. Tem como objetivo relatar a atuação do Podcast Biblioquê? como instrumento de produção de divulgação de informação situacional sobre a Pandemia. Trata-se de um relato de experiência da execução de projeto de extensão universitária, da Universidade Federal do Amazonas, por docentes e discentes do curso de Biblioteconomia. Analisa que (i) a extensão universitária pode funcionar como um meio para levar a sociedade informações situacionais com vistas ao combate de <em>fake news</em> e desinformação, sendo eficiente em tempos de crise como a pandemia do novo coronavírus; (ii) a pandemia deixou em evidência diversos problemas da sociedade, em várias esferas, dentre eles, o ainda deficiente uso das tecnologias da informação e comunicação; (iii) os conteúdos com maior audiência, estavam relacionados ao relato de confinamento (que trouxe conteúdo sobre saúde mental, leituras, reflexões e rede de apoio) (36,5%) e Competência sobre informação situacional (29,9%). Conclui que a roteirização dos episódios especiais foram capazes de cumprir a proposta, alcançando o seu público, ao exercer o papel de informar e comunicar a comunidade acadêmica e a sociedade sobre as mudanças e consequências causadas pelo novo Coronavírus.</p> Danielly Oliveira Inomata Carlos Lima da Silva Junior Tatiane Batani Sampaio Matheus Freitas da Silva Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 107 119 10.5965/2594641205022021107 FEIRA DE CIÊNCIAS https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/20253 <p>As descobertas científicas é um mecanismo importante para o bem estar da sociedade, assim, a divulgação de suas descobertas a população é importante e necessária, principalmente ao incentivo na geração de novos pesquisadores. O presente trabalho foi resultado de um projeto de extensão que teve como objetivo analisar a importância à formação inicial para acadêmicos de Licenciatura em Química na elaboração e participação de uma Feira de Ciências através de experimentação investigativa. A coleta de dados foi executada através de observações comportamentais registradas em diário de campo e posteriormente discutidas entre os integrantes do projeto. A análise dos resultados demonstrou principalmente que os graduandos puderam interagir melhor frente às diferentes propostas apresentadas pelos alunos, servindo como um aperfeiçoamento para a sua carreira profissional futura enquanto a docência e na relação aluno-professor. Os alunos puderam propor experimentos livres de seus interesses e curiosidades, e a linguagem, ao nível de abstração para o ensino fundamental, foi importante para os graduandos relacionar seus conhecimentos acadêmicos junto ao campo de trabalho.</p> Edemar Benedetti Filho Lorena Alves Rodrigues Isadora Nascimento Fernandes Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 120 132 10.5965/2594641205022021120 PROJETO HORTA ESCOLA E SUA ATUAÇÃO EM CAMPO GRANDE – MS https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/18375 A atuação da universidade junto à sociedade pode ser vista através de projetos de extensão como o “Horta Escola” da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). Criado há vários anos tem contribuído com o desenvolvimento de atividades ligadas ao cultivo de plantas do grupo das hortaliças, medicinais e plantas alimentícias não convencionais (PANC). A implantação das hortas escolares visa influenciar os hábitos alimentares dos alunos e servir como laboratório vivo para as disciplinas. Os cultivos se dão no formato de hortas convencionais e também hortas verticais utilizando os mais diferentes materiais que as escolas, CRAs (Centro de Referência de Assistência Social), EMEIs (Escola Municipal de Educação Infantil) e outras entidades disponibilizam. A parceria entre o projeto de extensão e as comunidades atendidas se dá através da implantação das hortas, acompanhamento técnico, palestras e oficinas. Nas palestras e oficinas são abordados assuntos como escolha da área para a horta, irrigação, produção de mudas, controle fitossanitário, produção de húmus, tratos culturais, PANC, hortas verticais e alimentação saudável. Durante as fases que a horta passa até que a entidade parceira consiga conduzi-la de forma independente, destaca-se sempre um responsável, que coordena as atividades sendo que nas escolas e EMEIs geralmente é um dos professores e nos CRAs é a direção e o encarregado dos cuidados gerais. Percebe-se que esta figura é determinante para o sucesso das propostas da horta. Nas escolas e EMEIs o envolvimento das crianças é bastante representativo principalmente nos primeiros anos. As crianças demonstram muita curiosidade e relatam o que fazem em suas residências quanto ao cultivo das hortaliças. Nessas instituições as professoras descrevem a alterações positivas no comportamento dos alunos, muitos esperam ansiosos pelas atividades na horta. Os adolescentes se interessam mais pelos aspectos científicos relacionados aos cultivos, sendo que a maioria participa das atividades na horta. Os resultados obtidos pelas parcerias têm demonstrado que é de extrema importância o incentivo a produção de alimentos no ambiente urbano e que muitos se interessam e tem curiosidades sobre o assunto. Percebe-se também que a implantação das hortas em ambiente escolar serve de vitrine e pode estimular o aproveitamento de áreas urbanas para produção de uma variedade de alimentos, enriquecendo assim a alimentação da população envolvida e promovendo mudanças nos hábitos alimentares dos alunos e de toda comunidade escolar. Lucas Castro Torres Antonio Paulo Nunes de Abreu Francilina Araújo Costa Paula Alessandra da Silva Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 133 144 10.5965/2594641205022021133 ASPECTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS PARA O ENSINO DE EXPOSIÇÕES VIRTUAIS https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/21302 <p>Este artigo trata das análises, planejamento e desenvolvimento de exposições virtuais no âmbito do ensino remoto emergencial implementado em função da pandemia de COVID-19. Especificamente, a pesquisa se ancora no desenvolvimento da exposição curricular realizada no Curso de Graduação de Museologia da Universidade Federal de Santa Catarina, decorrente da disciplina curricular obrigatória <em>Prática de Exposição</em>. A exposição, proporciona importantes análises sobre curadoria compartilhada, cultura digital e ambiente web, procedimentos metodológicos para desenvolvimento de exposições virtuais e ferramentas de pesquisas de público online.</p> Renata Padilha Thainá Castro Costa Figueiredo Lopes Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 4 19 10.5965/25946412050220214 CONSTRUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS SOBRE O USO DE QUESTIONÁRIO ON-LINE NA PESQUISA COM SERES HUMANOS https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/19780 <p>Este estudo descreve o processo de criação de três vídeos educativos sobre o uso de questionários online na pesquisa com seres humanos. Esse estudo foi realizado no contexto de um Comitê de Ética em Pesquisa como forma de desenvolvimento de instruções a pesquisadores que intentam utilizar questionários on-line como instrumento de coleta de dados na pesquisa com seres humanos. Inicialmente foi realizada uma introdução sobre a ética em pesquisa e o questionário como instrumento de pesquisa. O processo de criação do vídeo foi desenvolvido por meio da metodologia de pesquisa-ação, conforme proposto por Michel Thiollent, com um grupo de membros de um comitê de ética em pesquisa. A pesquisa respeitou o ciclo de investigação-ação, cumprindo as etapas de identificação do problema, planejamento, ação, descrição e avaliação. O problema identificado era a ausência de orientações para o uso de questionário on-line. A elaboração do vídeo foi estruturada em etapas, sendo essas a elaboração e aprovação do roteiro, gravação e edição do vídeo e avaliação do vídeo pelos participantes da pesquisa, sendo essas etapas realizadas nas fases de planejamento, ação e avaliação respectivamente. O primeiro vídeo apresenta a ética em pesquisa e o sistema CEP-CONEP; o segundo vídeo aborda o processo de consentimento/assentimento; e o terceiro vídeo, orienta a elaboração de um questionário on-line com o registro do consentimento/assentimento. Os resultados mostraram que os vídeos possuem adequação quanto ao o objetivo proposto, forma e conteúdo, e aptidão suficiente para serem utilizados, apontando um caminho para novas produções educativas referentes à ética em pesquisa no futuro.</p> Raphael Ilidio Arduini Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 20 44 10.5965/259464120502202120 REVERBERAÇÕES DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO EM UM POLO SEMIPRESENCIAL DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/20732 <p>Aliado ao desafio de ensinar e transmitir o conhecimento sobre plantas foi realizada com alunos, equipe do polo semipresencial Magé (CEDERJ/UAB) e a comunidade do entorno do polo, o 1° Dia da Botânica com intuito de promover extensão, divulgação científica e ensino. O objetivo deste trabalho é tecer considerações sobre extensão e reverberações oriundas deste evento acadêmico. Com isso testamos as seguintes hipóteses: (i) os agentes envolvidos aprimoraram o engajamento e desenvolvimento de capacidades individuais e (ii) o evento evidencia o polo Magé como espaço de multifuncionalidade dentro do município. Os percursos metodológicos foram do tipo qualitativo com observações diretas e indiretas, realizadas nas ações antes, durante e após o evento do Dia da Botânica. Todas essas ações foram registradas em caderneta de campo. Ocorreu a análise quantitativa das com fichas de controle e inscrição de todos os participantes e questionário de avaliação do evento para o público ouvinte. Os diversos participantes do evento tiveram engajamento e os alunos desenvolveram capacidades individuais, além do evento reafirmar o polo Magé como espaço de multifuncionalidade dentro do município. O ensino e extensão de plantas teve interação dialógica e reforçou fatores intrínsecos de motivação, que auxiliou alguns participantes em questões sensíveis que perpassam a evasão da EaD. Parte do sucesso do evento se deu no protagonismo de alunos e agentes do polo, fazendo mudança de polarização frente a eventos tradicionalmente ofertados, não sendo receptores institucionais. Eventos de extensão desta natureza em polos semipresenciais devem ser replicados e estimulados para aprimoramento de cursos EaD no Brasil.</p> Anderson dos Santos Portugal Vinicius dos Santos Moraes Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 45 66 10.5965/259464120502202145 RESENHA DO LIVRO https://periodicos.udesc.br/index.php/cidadaniaemacao/article/view/19310 <p class="TtuloIngls"><span style="font-family: 'Times New Roman',serif;">Resenha do livro: “</span><span style="font-family: 'Times New Roman',serif; text-transform: none;">Periperi: Planta de Junco que Tem História</span><span style="font-family: 'Times New Roman',serif;">” </span></p> PABLO JACINTO Copyright (c) 2021 Cidadania em Ação: Revista de Extensão e Cultura https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-12-30 2021-12-30 5 2 145 148 10.5965/2594641205012021145