Considerações sobre a aula de arte: repensando saberes e fazeres

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/24471267722021354

Palavras-chave:

Aula de Arte, Criatividade, Invenção, Aula Participativa, Arte Educação

Resumo

Propomos neste artigo, refletir sobre aspectos importantes da aula de Arte em contexto educacional formal ou não-formal – nosso foco não se encontra na relação com as instituições mas com a questão epistemológica do fazer docente. Para começar propomos a diferenciação entre criatividade e invenção, aspectos políticos de ambos os conceitos e porque para nós inventar é um ato de emancipação dos sujeitos e criar, no sentido amplamente usado na educação, se configura um conceito cooptado por uma ideia mercadológica de educação. Analisamos a aula de Arte e sua relação com a ideia de arte relacional, ou participativa como preferimos. Por fim, pensamos nas contribuições que a arte pode oferecer à educação e seus modos de fazer, para isso visionamos uma educação, no sentido amplo,  pelo paradigma artístico e buscamos entender os fundamentos da educação pelo paradigma científico em voga, o das ciências cognitivas.     

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maiquel Cristian Reichert, Instituto de Artes - Universidade Estadual Paulista

Mestrando do Programa de Pós Graduação em Artes do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista – UNESP.

Carminda Mendes André, Instituto de Artes - Universidade Estadual Paulista

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (2007); Pesquisadora e Docente colaboradora do Programa de Pós Graduação em Arte do Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista – UNESP.

Referências

AGUIRRE, Imanol. Imaginando um Futuro para a Educação Artística. In: MARTINS, R.; TOURINHO, I. Educação na cultura visual: narrativas de ensino e pesquisa. Santa Maria: UFSM, p. 157-186, 2009. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/60824348/Imaginando-um-futuro-para-a-educacao-artistica-Imanol-Aguirre . Acesso em: 07/02/2021.

ANDRÉ, Carminda M. Teatro Pós-dramático na escola. São Paulo: Editora UNESP, 2011.

BARREL, Barry. Classroom Artistry. In: The Educational Forum. n.55, p. 333-342, 1991. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/00131729109335665?journalCode=utef20 Acesso em: 07/02/2021.

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Ed. Vozes, 1998.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. O que é filosofia? São Paulo: Ed. 34, 1992.

DEWEY, John. Arte como experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

EISNER, Elliot. O que pode a educação aprender com as artes. In: Currículo sem Fronteiras, v.8, n.2, p.5-17, Jul/Dez 2008. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/artigos.htm Acessado em: 07/02/2021.

FAVARETO, Celso. É isso arte? São Paulo: Entrevista ao Itaú Cultural, 1999. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=-XG-71wqwUI Acessado em: 06/02/2021.

FLEITH, Denise S. Criatividade: Novos Conceitos e Ideias, Aplicabilidade à Educação. Santa Maria: Revista Educação Especial, nº 17,p. 55-61, 2001. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/5229 Acesso em: 05/02/2021

FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2002.

GIELEN, Pascal; Criatividade e outros fundamentalismos. São Paulo: Anablume, 2015.

KASTRUP, Virginia. Entre o encontro e a provocação: a ação mediadora. In: MARTINS, Mirian C; SCHULTZE, Ana M; EGAS, Olga. Mediando [con]tatos com arte e cultura. São Paulo, v.1, n.1, p.41-43, nov.2007.

MARTINS, Miriam C; DEMARCHI, Rita. Mediação cultural: entres sujeitos/corpos/experiências estéticas. In: Revista Digital Art&. São Paulo, Ano XIII, n. 17, Julho 2016. Disponível em: https://www.academia.edu/30965522/MEDIA%C3%87%C3%83O_CULTURAL_ENTRES_SUJEITOS_CORPOS_EXPERI%C3%8ANCIAS_EST%C3%89TICAS Acesso em: 07/02/2021.

MARTINS, Miriam C. (Org). Mediação: Provocações Estéticas. São Paulo, Instituto de Artes, Pós-Graduação, volume 1, número 1, p. 1 -144, outubro 2005.

______________. Arte, só na aula de arte? Educação, Porto Alegre, v. 34, n. 3, p. 311-316, set./dez. 2011.

NIETZSCHE, Friedrich. Sobre a verdade e mentira no sentido extramoral. São Paulo: Ed. Hedra, 2007.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

RENZULLI, Joseph S. A general theory for the development of creative productivity through the pursuit of ideal acts of learning. Gifted Child Quarterly, 1992.

Downloads

Publicado

2021-10-31

Como Citar

REICHERT, M. C.; ANDRÉ, C. M. Considerações sobre a aula de arte: repensando saberes e fazeres. Revista Apotheke, Florianópolis, v. 7, n. 2, 2021. DOI: 10.5965/24471267722021354. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/apotheke/article/view/19641. Acesso em: 20 maio. 2022.