O silêncio e a (des)honra de Lavínia

Autores

  • Leon de Paula Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC
  • Maria Cecília de Miranda N. Coelho Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102212013086

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a representação no cinema de duas cenas da peça Tito Andrônico, de William Shakespeare, quais sejam: o estupro de Lavínia, por Quíron e por Demétrio, e sua morte pelo próprio pai, Tito. Ao comparar o texto do dramaturgo inglês à versão cinematográfica da peça – o filme Titus, de Julie Taymor –,  destacaremos que, se por um lado, a renomada diretora mostrou bastante cuidado com a construção da cena do estupro, de tal maneira que o público não sentisse nenhuma sensação de deleite no ato, por outro, não pôde, na cena do assassinato de Lavínia, fugir ao modelo da bela morte sacrifical da figura feminina em nome da honra familiar.

Biografia do Autor

Leon de Paula, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Ator, Mestre e doutorando em teatro pelo Programa de Pós-Graduação em teatro (PPGt), da Universidade do Estado de Santa Catarina.

Maria Cecília de Miranda N. Coelho, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG

Professora do Departamento de Filosofia da UFMG. Doutora em Letras Clássicas pela Universidade de São Paulo e pós-doutora em Letras pela Faculdade de Letras da UFMG.

Downloads

Publicado

2013-12-14

Como Citar

PAULA, L. de; COELHO, M. C. de M. N. O silêncio e a (des)honra de Lavínia. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 21, p. 1-21, 2013. DOI: 10.5965/1414573102212013086. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/4814. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Teatro, gênero e feminismos