Escrevivências de um corpo preto entre-lugares na peça de teatro pós-moderno “Bagagem de Desjeitos”

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101502024e0208

Palavras-chave:

teatro pós-moderno, corpos pretos/afrodiaspóricos, teatro, Universidade Federal do Tocantins

Resumo

Este artigo discute o processo de criação cênica “Corpo-Alvo: Poética e Singularidade de um Corpo Preto Entre-Lugares” que integra o espetáculo “Bagagem de Desjeitos”, resultante do curso de Teatro da Universidade Federal do Tocantins. O objetivo é problematizar questões de raça/racismo infringidas aos corpos pretos de modo estrutural. O referencial teórico se construiu partindo de estudos em filosofia cosmológica africana e de pesquisas em teatro. Conclui-se que as artes da cena podem potencializar a problematização do racismo/racialização nos corpos-pretos, uma vez que a práxis teatral possibilita ao encenador e/ou performer investigar os impulsos silencia(dores) que represam a sua existência.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Francysco Rodrigues Cassiano, Universidade Federal do Tocantins

Mestrando em Educação pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI  - 2019). Licenciatura em Teatro pela UFT. Licenciatura em Artes Visuais pela Universidade Paulista (UNIP  - 2016).

Gustavo Henrique Lima Ferreira, Universidade Federal do Tocantins

Doutorando em Artes pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP).Mestrado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Graduação em Artes Cênicas - Habilitação em Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professor em regime de dedicação exclusiva do curso de Licenciatura em Teatro na Universidade Federal do Tocantins (UFT).

Referências

ALEIXO, Fernando Manoel. Vocabulário poético do ator. Ouvirouver, Uberlândia, n.4, p.31-59, 2008.

AMADEI, Yolanda. Correntes migratórias da dança: modernidade brasileira. In: MOMMENSOHN, Maria; PETRELLA, Paulo. Reflexões sobre Laban, o Mestre do movimento. São Paulo: Summus, 2006.

ANJOS, Ana Carolina Costa dos; CASSIANO, Thiago Francysco Rodrigues. O Processo De(S)Colonizador na Performance “Arte Mumbuca” do Fazer Artístico-Criativo aos Atravessamentos Poéticos e Afetivos. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), [S.l.], v. 11, n. Ed. Especial, out. de 2019. Disponível em: https://abpnrevista.org.br/index.php/site/article/view/703. Acesso: 11 out. 2022.

ARDENNE, Paul. L’image corps figures de l’humain dans l’art du XXe siècle. Paris: Éditions du Regard, 2001.

BAKHTIN, Mikhail. (VOLOCHÍNOV). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1981.

BARBOSA, Cinara. “O que persiste como falta”. In: Catálogo Prêmio Pipa, 2017. MAM Rio de Janeiro, 2017, p.40.

BARBOSA, Muryatan Santana. “Pan-africanismo e teoria social: uma herança crítica”. In: África, São Paulo. v. 31-32, p. 135-155, 2011/2012 Disponível em: https://www.revistas.usp.br/africa/article/download/115352/113006/210575 Acesso em: 06 de janeiro de 2023

BRECHT, Bertold. Terror e Miséria no Terceiro Reich. Lisboa: Biblioteca Editores Independentes, 2008.

BRECHT, Bertold. Poemas 1913-1956. Tradução e organização de Paulo César de Souza. São Paulo: Editora 34, 2012.

BENTO, Cida. O pacto da branquitude. São Paulo: Companhia das Letras, 2022.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1991.

AD JUNIOR; CARVALHO, Edu e SANTIAGO, Spartakus. “Intervenção no Rio: Como Sobreviver a uma abordagem indevida”. In: Histórias Afro-Atlânticas: [vol. 1] catálogo. São Paulo: MASP: Instituto Tomie Ohtake, 2018.

CARNEIRO, Sueli. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil. São Paulo: Selo Negro, 2011.

CASSIANO, Thiago Francysco Rodrigues; ANJOS, Ana Carolina Costa dos. A criação artística como um processo liberta-dor: afrodiaspóricos, quilombo e os atravessamentos poéticos afetivos. In: Anais do X COPENE – (Re) Existência Negra e Ancestral - 18 Anos de Enfretamento. Minas Gerais - Uberlândia, 2018. Disponível em:https://www.copene2018.eventos.dype.com.br/resources/anais/8/1528655320_ARQUIVO_Acriacaoartisticacomoumprocessoliberta-dor.pdf. Acesso: 11 out. 2022.

CASSIANO, Thiago Francysco Rodrigues. de “Diário dos Sentidos e Permissões na Docência”. Obra não publicada – Instrumento Contínuo de Pesquisa. Universidade Federal do Tocantins, Campus de Palmas - Tocantins (2017–2023).

CONTRERAS, María José Lorenzini. La prática como investigación: Nuevas Metodologías para la academia Latinoamerica. Poiésis, Niterói, n. 21-22, p.71-86, Jul.- Dez. 2013.

DELEUZE, Gilles. Espinosa: filosofia prática. São Paulo: Escuta, 2002.

DOMINGOS. Luis Tomas. A visão africana em relação à natureza. Anais Do III Encontro Nacional Do Grupo de Trabalho História Das Religiões E Das Religiosidades – ANPUH -Questões teórico-metodológicas no estudo das religiões e religiosidades. In: Revista Brasileira de História das Religiões. Maringá (PR) v. III, n.9, jan. de 2011. Disponível em http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/pub.html Acesso: 14 nov. 2022.

EVARISTO, Conceição. Da grafia-desenho de minha mãe, um dos lugares de nascimento de minha escrita. In: Alexandre, Marcos A. (org.) Representações performáticas brasileiras: teorias, práticas e suas interfaces. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2007, p. 16-21.

FÉRAL, Josette. Além dos Limites - Teoria e Prática do Teatro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

FÉRAL, Josette. “Por uma poética da performatividade: o teatro performativo”. In: Sala Preta, São Paulo, nº 8, 2008. p. 197-210. Trad. Lígia Borges.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala. Rio de Janeiro: Maia & Schmidt, 1933.

GUINSBURG, J., FARIA, João Roberto e LIMA, Mariângela Alves de (Coord.). Dicionário do teatro brasileiro: temas, formas e conceitos. 2. ed. São Paulo: Perspectiva: Edições SESC SP, 2009.

KAPROW, A. Essays on the Blurring of Art and Life. Berkeley, CA, Universidade da California: Ed. Jeff Kelley, 2003.

LABAN, Rudolph. Domínio do movimento. São Paulo: Summus, 1978.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. Trad. Pedro Süssekind. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

LIMA, Evani Tavares. Um olhar sobre o teatro negro do Teatro Experimental do Negro e do bando de Teatro Olodum. Campinas, 2010. Tese (Doutorado em Artes) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2010.

MACEDO, Roberto. Etnopesquisa implicada, currículo e formação. Revista Espaço do Currículo. v.5, n.1, pp.176-183, junho a dezembro de 2012.

MALAR, João Pedro. “Ícaro Silva fala sobre experiência com racismo na comunidade gay”. In: Estadão, 08 de junho de 2020. Disponível em: https://www.estadao.com.br/emais/gente/icaro-silva-fala-sobre-experiencia-com-racismo-na-comunidade-gay/ Acesso em: 16 jun. 2023.

MALOMALO, Bas´Ilele. Anterioridade e Feitura da Sociologia Africana. Revista da ABPN • v. 13, n. 36, mar. - mai. 2021.

MARQUES, Marília. “‘A cada 23 minutos, um jovem negro morre no Brasil’, diz ONU ao lançar campanha contra violência”. In: Jornal G1, 07 de novembro de 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/a-cada-23-minutos-um-jovem-negro-morre-no-brasil-diz-onu-ao-lancar-campanha-contra-violencia.ghtml. Acesso: 06. jan. 2023.

MATTOS, C. L. G.; CASTRO, P. A. Etnografia e educação: conceitos e usos. Campina Grande, PB: EDUEPB, 2011.

NASCIMENTO, Abdias. Teatro experimental do negro: trajetória e reflexões. Estudos Avançados, 2004.

NJERI, Aza. Negro Rei: uma análise mulherista dos Homens Negros em Black is King. [S. l.], coletivo ainda, 2020. Disponível em: https://coletivoindra.org/blog-opiniao/negro-reiuma-anlise-mulherista-dos-homens-negros-em-black-is-king/2020/08/11 Acesso: 4 nov. 2022.

PESSANHA, José Américo Motta. Humanismo e Pintura. In: NOVAES, Adauto (Org.) Arte pensamento. São Paulo: Companhia das Letras, 1994, p.19-41.

RAMIREZ, Juan Antonio. Corpus solus: para un mapa del cuerpo en el arte contemporáneo. Madrid: Ediciones Siruela, 2003.

RAMOSE, Mogobe. Globalização e ubuntu. In: SOUSA, Boaventura dos Santos; MENEZES, Maria Paula. Epistemologia do Sul. São Paulo, 2010.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro?. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

SANTAELLA, Lucia. A pós-verdade é verdadeira ou falsa? Barueri, SP: Estação das Letras e Cores. 2019.

SANTOS, Daniel dos. “Espetáculo Bagagem de Desjeitos marca encerramento do semestre para curso de Teatro nesta quarta e quinta”. In: UFT – Cultura, 20 de março de 2019. Disponível em: https://ww2.uft.edu.br/index.php/ultimas-noticias/24937-espetaculo-bagagem-de-desjeitos-marca-encerramento-do-semestre-para-curso-de-teatro-nesta-quarta-e-quinta. Acesso em: 05. set. 2022.

SILVA, Tarcízio. Racismo algorítmico: inteligência artificial e discriminação nas redes digitais. São Paulo: Edições Sesc SP, 2022.

SODRÉ, Muniz. Pensar nagô. Petrópolis, Rio de Janeiro. Editora Vozes, 2017.

SODRÉ, Muniz. Por um conceito de minoria. In: PAIVA, R.; BARBALHO, A. Comunicação e Cultura das minorias. São Paulo: Paulus, 2005. cap. 1, pp. 11-14.

TRUTH, Sojourner. “E eu não sou uma mulher?”. In: Portal Geledés, Janeiro de 2014. Disponível em https://www.geledes.org.br/e-nao-sou-uma-mulher-sojourner-truth/. Acesso em: 06 jan. 2023.

VARGAS, Vagner de Souza; BUSSOLETTI, Denise Marcos. Dramaturgia da corporeidade do ator: proposta e reflexões. Revista Digital do LAV, Santa Maria, vol.8, n.4, p. 65-87, jan./abr.2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/revislav/article/view/17036/pdf Acesso em: 28 jun.2023.

VYGOTSKY, Liev et al. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 3.ed. São Paulo: Ícone, 1991.

Publicado

2024-04-28

Como Citar

CASSIANO, Thiago Francysco Rodrigues; FERREIRA, Gustavo Henrique Lima. Escrevivências de um corpo preto entre-lugares na peça de teatro pós-moderno “Bagagem de Desjeitos”. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 50, p. 1–28, 2024. DOI: 10.5965/1414573101502024e0208. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/24322. Acesso em: 18 jul. 2024.