Contradramaturgia e Corp.oralidades Pretas: outro ponto de vista sobre a noção de dramaturgia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103482023e0110

Palavras-chave:

dramaturgia, Aristóteles, Afrodiaspora, danças negras, Elinga

Resumo

O presente artigo objetiva problematizar o conceito de dramaturgia originalmente conhecido e difundido desde os escritos de Aristóteles no livro Poética. Abordou-se como ideia de contradramaturgia uma noção que está imersa em uma complexidade filosófica de “saberes e fazeres” afro-ancestrais, visto que o conceito de dramaturgia não dá conta das necessidades basilares das danças afro-brasileiras. Como suporte teórico-filosófico foram utilizadas reflexões de pensadores/as que fazem uso de epistemologias africanas, afro-brasileiras e anticoloniais. Defendeu-se a tese que as necessidades organizacionais das narrativas e corporeidades pretas, apresentadas a partir de suas danças afrodiaspóricas estão conectadas à sinuosidade corpoexistencial do pensamento e à circularidade dos acontecimentos. Os caminhos metodológicos desenvolvidos fazem parte de um conjunto de ações teórico-práticas sobre presença cênica e corporalidades afro-brasileiras em cena desenvolvidas ao longo de nossa atuação como artista-pesquisador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lau Santos, Federal University of Bahia

Pós-doutorado na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Doutorado em Teatro na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Mestrado em Teatro na UDESC. Especialização em Teatro no Conservatoire National Supérieur D'art Dramatique, CNSAD, França. Graduação em Letras pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

ARISTÓTELES. Poética. Brasília: Imprensa Nacional, 2003.

DOS SANTOS, Juana Elbein. Os Nagô e a Morte. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

CORRADINI, Sandra. Dramaturgia na dança: uma perspectiva coevolutiva entre dança e teatro. 2010. Dissertação (Mestrado em Dança) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2010.

DUPONT, Florence. Aristóteles ou o Vampiro do Teatro Ocidental. Trad. Joseane Prezotto; Marcelo Bourscheid; Rodrigo Tadeu Gonçalves; Roosevelt Rocha; Sergio Maciel - Desterro [Florianópolis]: Ed. Cultura e Barbárie, 2017.

FÉRAL, Josette. Além dos Limites: Teoria e Prática do Teatro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

FRIMAT, François. Qu’est-ce que la Danse Contemporaine? Mayenne: Jouve, 2010.

LEHMANN, Hans-Thies. O Teatro Pós-Dramático. São Paulo: Cosac & Naify, 2008.

MBEMBE, Achille. Crítica da Razão Negra. São Paulo: n-1 edições, 2018.

PAVIS, Patrice. A Encenação Contemporânea: Origens, Tendências, Perspectivas. São Paulo: Perspectiva, 2010.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. São Paulo: Editora da USP, 2006.

SANTOS, Lau. Do Oríkì à Elinga: princípios negro-brasileiros de atuação e encenação. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 12, n. 4, 2022a.

SANTOS, Laudemir Pereira. Improvisações com ob.jetos-arquivo: dançamos-armengue & vestimos parangolés ancestrais. Revista Brasileira de Estudos em Dança, ano 01, n. 01, p. 176-199, 2022b.

SANTOS, Lau. Émí, Ofò, Asé: a Elinga e a dança das mulheres do Àse. Revista Brasileira dos Estudos da Presença, Porto Alegre, v.10. n.3, 2020a.

SANTOS, Lau. A Filosofia do Malandro: Estéticas de um Corpo Encantado pela Desobediência. Revista da ABPN, v.12. n.31, 2020b.

SCHECHNER, Richard. Performance: teoria y prácticas interculturales. Buenos Aires: Libros Del Rojas, 2000.

SODRÉ, Muniz. Pensar Nagô. 2017. 2ª reimpressão, Petrópolis: Vozes, 2018.

TAVARES, Julio. (org.) Gramáticas das Corporeidades Afrodiaspóricas: perspectivas etnográficas. Curitiba: Appris, 2020.

TAVARES, Julio. Dança de Guerra: arquivo e arma (elementos para uma teoria da capoeiragem e da comunicação corporal afro-brasileira). Belo Horizonte: Nandyala, 2012.

WISNIK, José Miguel. O Som e O sentido: uma outra história das músicas. 3ª edição - São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

Publicado

2023-09-19

Como Citar

SANTOS, Laudemir Pereira. Contradramaturgia e Corp.oralidades Pretas: outro ponto de vista sobre a noção de dramaturgia. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 48, p. 1–24, 2023. DOI: 10.5965/1414573103482023e0110. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/24055. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: As práticas da dramaturgia da dança em contexto