Cabaré das Divinas Tetas: cruzamento entre palhaçaria, arte drag e feminismos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102472023e0110

Palavras-chave:

Palhaças, Circo, Arte drag, Arte feminista, Cabaré

Resumo

Este artigo se propõe a abordar o contexto no qual surgiu a plataforma de criação Divinas Tetas, de Belo Horizonte. Será traçada uma breve análise da trajetória de articulação de mulheres palhaças na capital mineira, nas duas primeiras décadas do século 21, e levantados questionamentos sobre os conceitos de palhaçaria feminina, arte drag, cabaré, gênero e feminismos. Trata-se de um estudo de caso dos caminhos “palhacísticos” e “cabareteiros” que constituem parte da trajetória do movimento da palhaçaria feminina belo-horizontina. Ou (para sermos palhaças mais diretas) quem são as Divinas Tetas, onde vivem, o que comem, como se reproduzem. Como referências teóricas e bibliográficas para este estudo, são citadas(os) as(os) autoras(es) Lili Castro, Daiani Brum, Ana Fuchs, Melissa Caminha, Erminia Silva, Renata Saavedra, Cleber Braga, Judith Butler, Manuela Castelo Branco de Oliveira e Neyde Veneziano.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dagmar Teixeira Bedê, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestranda em Artes Cênicas, pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Especialização em Gestão Cultural pelo Centro Universitário (UNA). Graduação em Jornalismo, Pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/Minas). palhaça, cabareta, faquiresa, atriz, performer, diretora, produtora e gestora cultural.

Raquel Castro de Souza, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutorado em Artes, ênfase em Artes da Cena pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - com estágio de pesquisa (doutorado-sanduíche) no Centro de Pesquisa EURORBEM (dupla tutela: Université Paris-Sorbonne/CNRS), bolsa PDSE/CAPES. Mestrado em Artes, pela UFMG. Graduação em Licenciatura em Educação Artística/Habilitação Música, pela UFMG. Profa. de Artes Cênicas na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Referências

BRAGA, Cleber. Tra(d)ição como ética decolonial do cabaré sudaca: Cantada em prosa, verso e rebolado!. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 41, p. 1-31, set. 2021.

BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini. Mulheres palhaças e a política uterina de expansão: entrevista com Karla Concá. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 33, p. 455-468, dez. 2018.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CAMINHA, Melissa Lima. Jennifer Miller, palhaça com barba: clown_tatos em prol de uma palhaçaria feminista-queer. In: WUO, Ana; BRUM, Daiani (Org.). Palhaças na universidade: pesquisas sobre a palhaçaria feita por mulheres e as práticas feministas em âmbitos acadêmicos, artísticos e sociais. Santa Maria: Editora UFSM, 2022. p. 245-263.

CAMINHA, Melissa Lima. Payasas Historias, Cuerpos y Formas de Representar la Comicidad desde una Perspectiva de Género. 2015. Tese (Doctorado) – Programa de Doctorado: Artes y Educación, Facultad de Bellas Artes, Sección de Pedagogías Culturales, Universidad de Barcelona. Barcelona, 2015.

CARDOSO, Manuela Castelo Branco de Oliveira. “Sapatadas da vida”, ou por uma “ciência gaiata”. In: BRONDANI, Joice Aglae (Org.). Mulher, Mito, Riso e Cena. São Paulo: Giostri, 2020. p. 143-168.

CASTRO, Lili. Palhaços: multiplicidade, performance e hibridismo. Rio de Janeiro: Mórula, 2019.

FUCHS, Ana Carolina Müller. A Palhaça entre as configurações de gênero e a máscara. In: WUO, Ana; BRUM, Daiani (Org.). Palhaças na universidade: pesquisas sobre a palhaçaria feita por mulheres e as práticas feministas em âmbitos acadêmicos, artísticos e sociais. Santa Maria: Editora UFSM, 2022. p. 31-46.

SAAVEDRA, Renata Franco. Mulheres palhaças: a poética e a política da comicidade feminina. Monografia (Graduação em Jornalismo) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

SILVA, Erminia. Histórias do aqui e agora: cabaré e a teatralidade circense. Repertório Teatro & Dança, Salvador, ano 13, n. 15, p. 59-73, 2010.

VENEZIANO, Neyde. O Teatro de Revista no Brasil: dramaturgia e convenções. São Paulo: Sesi-SP, 2013.

Sites

Clube da Esquina. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Clube_da_Esquina . Acesso em: 1 jun. 2022.

Nascemos nus, o resto é drag. Disponível em: https://ipla.com.br/conteudos/artigos/nascemos-nus-o-resto-e-drag/. Acesso em: 27 jan. 2023.

Picadeiro de sonhos: Casa Circo Gamarra acolhe artistas circenses de passagem pela capital. Disponível em: https://www.hojeemdia.com.br/entretenimento/picadeiro-de-sonhos-casa-circo-gamarra-acolhe-artistas-circenses-de-passagem-pela-capital-1.615417. Acesso em: 1 jun. 2022.

RuPaul. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/RuPaul. Acesso em: 29 jan. 2023.

Downloads

Publicado

2023-07-24

Como Citar

BEDÊ, Dagmar Teixeira; SOUZA, Raquel Castro de. Cabaré das Divinas Tetas: cruzamento entre palhaçaria, arte drag e feminismos. Urdimento: Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 47, p. 1–20, 2023. DOI: 10.5965/1414573102472023e0110. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23249. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artes do Palhaço, Artes do Circo, Circo-Teatro e Comicidade Popular II