Somos todas Palhaços?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101462023e0107

Palavras-chave:

palhaças, palhaço, pesquisa bibliográfica, atuação palhacesca, identidade de gênero no teatro

Resumo

No contexto da atuação palhacesca, que historicamente caminha lado a lado aos costumes e às ações de cada sociedade, propomos, no presente artigo, a seguinte questão: somos todas palhaços? No intuito de investigá-la, aliamo-nos às análises da autora Marilena Chauí (2021) sobre a sociedade brasileira, bem como às nossas experiências, seja com redes de mulheres palhaças, seja com pesquisas, atuações artísticas e processos formativos no contexto da atuação palhacesca. Diante da impossibilidade de identificação com uma resposta afirmativa para a questão apontada acima, analisamos o registro de pesquisas bibliográficas especificamente relacionadas, no campo científico, à  atuação de mulheres como palhaças, demonstrando que as mesmas são responsáveis pela edificação de importante, expressivo e crescente conhecimento contemporâneo na área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daiani Cezimbra Severo Rossini Brum, Federal University of Rio Grande do Norte

Pós-doutoranda pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU); doutora em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC, 2021); mestra em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN, 2017) e graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 2012).

Referências

ALMEIDA, Raquel Franco. A rua é o picadeiro e o céu é a lona: a criação de uma palhaça brincante. 2013. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2013.

BARBOSA, Ana Carolina Carvalho Torres (Ana Carolina Sawen). Caminhos para uma palhaça: investigação a partir da obra de Avner, the eccentric. 2011. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

BOND, Letícia. Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017. Agência Brasil, Brasília, p. 1-3, nov. 2018. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2018-11/brasil-concentrou-40-dos-feminicidios-na-america-latina-em-2017. Acesso em: 12 mar. 2022.

BORGES, Ana; CORDEIRO, Karla. A neutralização da mulher na dramaturgia da palhaçaria clássica no Brasil. In: WUO, Ana Elvira; BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini (org.). Palhaças na Universidade: pesquisas sobre a palhaçaria feita por mulheres e as práticas feministas em âmbitos acadêmicos, artísticos e sociais. Santa Maria: EDUFSM, 2022.

BRONDANI, Joice Aglae. Clown, absurdo e encenação: processos de montagem dos espetáculos “Godo”, “Trattoria” e “Joguete”. 2006. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2006.

BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini. A atuação de palhaças e de palhaços: o hospital como palco de encontros. 2017. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.

BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini. A palhaçaria de mulheres no Brasil contemporâneo: breve registro de ações artísticas, formativas e de pesquisa. In: WUO, Ana Elvira; BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini (Orgs.). Palhaças na Universidade: pesquisas sobre a palhaçaria feita por mulheres e as práticas feministas em âmbitos acadêmicos, artísticos e sociais. Santa Maria: EDUFSM, 2022, p. 113-134.

BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini. Mulheres palhaças e a política uterina de expansão: entrevista com Karla Concá. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 33, p. 455-468, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.5965/1414573103332018455. Acesso em: 12 jan. 2023.

BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini. Reflexões feministas sobre a palhaçaria com ênfase no contexto hospitalar. 2021. Tese (Doutorado em Teatro) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2021.

BURGHI, Danielle. Cristiane Paoli Quito, formadora de palhaços. 2017. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2018.

CAMINHA, Melissa Lima. Payasas: historias, cuerpos y formas de representar la comicidad desde una perspectiva de género. 2015. Tese (Doutorado em Artes e Educação) – Universidade de Barcelona, Barcelona, 2015.

CARDOSO, Manuela Castelo Branco de Oliveira. Nedda, Colombina, Matusquella e Zerpina: ensaios sobre palhaçaria e ópera. 2018. Dissertação (Mestrado em Arte) – Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

CASTRO, Alice Viveiros de. O elogio da bobagem: palhaços no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Família Bastos, 2005.

CHAUÍ, Marilena. Sobre a Violência. Belo Horizonte: Autêntica, 2021.

CORDEIRO, Karla; BORGES, Ana Cristina. Palhaçaria feminina: Trajetória de investigação e construção dramatúrgica de espetáculos dirigidos por Karla Concá. In: XIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 2017. Anais Eletrônicos, Florianópolis, 2017, p. 1-12. Disponível em: http://www.wwc2017.eventos.dype.com.br/resources/anais/1503793078_ARQUIVO_7688911.pdf. Acesso em: 24 abr. 2020.

FERNANDES, Fernanda Moreto. 2012. Levando a sério a palhaçada: um estudo da natureza ambivalente do riso. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) –Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

FLORES, Andréa Bentes. Palhaçaria feminina na Amazônia brasileira: uma cartografia de subversões poéticas e cômicas. 2014. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

FLÓREZ, Laili Von Czékus. A alegria de ser quem é: uma formação palhaça de professores para a diversidade. 2020. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2020.

FUCHS, Ana Carolina Müller. O Sorriso da Palhaça: pedagogias do riso e do risível. 2020. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas de Gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2021. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/multidominio/genero/20163-estatisticas-de-genero-indicadores-sociais-das-mulheres-no-brasil.html. Acesso em: 20 mar. 2023.

INSTITUTO PATRÍCIA GALVÃO. Dossiê Violência Contra as Mulheres. IPG: Rio de Janeiro, mar. 2018. Disponível em: https://dossies.agenciapatriciagalvao.org.br/violencia/. Acesso em: 12 mar. 2022.

IRVING, Margaret. J. Toward a Female Clown Practice: Transgression, Archetype and Myth. 2013. Tese – University of Plymouth, 2013.

JESUS, Jennifer Jacomini de. Palhaçaria humanitária: uma perspectiva decolonial sobre a experiência da ONG Palhaços Sem Fronteiras. 2020. Tese (Doutorado em Teatro) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Artes, Florianópolis, 2020.

JESUS, Jennifer Jacomini de. Presente da palhaçaria: análise de unipersonais brasileiros. 2016. Dissertação (Mestrado em Teatro) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

JUNQUEIRA, Mariana Rabelo. Da graça ao riso: contribuições de uma palhaça sobre a palhaçaria feminina. 2012. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

KASPER, Katia Maria. Experimentações clownescas: os palhaços e a criação de possibilidades de vida. 2004. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

LAMMERHIRT, Laura. Lesbocídio no Brasil: a morte de mulheres lésbicas no Brasil. Politize!, 14 maio 2018. Disponível em: https://www.politize.com.br/lesbocidio-no-brasil/. Acesso em: 09 abr. 2022.

LIMA, Alana Clemente. Tem palhaça na rua-rio? Tem sinsinhô! Vivências de palhaçaria e educação popular no Porto do Sal. 2019. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2019.

MELO, Priscila Romana Moraes de. Embutidos gastronômicos de estrelita e uisquisito: memorial e poética cênica de uma palhaçaria agridoce. 2016. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2016.

MONTEAH, Sara. Mulheres Palhaças: percursos históricos da palhaçaria feminina no Brasil. Dissertação, 2014. (Mestrado em Artes) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2014.

NASCIMENTO, Andressa Passos do. “E eu não sou palhaça?! dramavivências de palhaças das regiões Norte e Nordeste do Brasil”. 2021. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2021.

NASCIMENTO, Elaine Cristina Maia. Comicidade feminina: as possibilidades de construção do cômico no trabalho de mulheres palhaças. 2014. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

NASCIMENTO, Maria Silvia do. Olha a palhaça no meio da praça: Lily Curcio, Lilian Moraes, questões de gênero, comicidade e muito mais! 2017. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2017.

NUNES, Lúcia de Fátima Royes. Repertório de clown na educação: elementos de uma pedagogia da palhaça na formação de professores. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2016.

ORMACHEA, Cassandra Batista Peixoto. De palhaça e velhos: vozes dramáticas no contexto asilar. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

PIMENTA, Daniele. A dramaturgia circense: conformação, persistência e transformações. 2009. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

PLUSCHKAT, Patrícia. Como soltar a franga sem deixar a peteca cair: experimentos da Dra. Catavento e o processo de seleção de palhaços no especialistas da alegria. 2021. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2021.

POLIDORO, Stefanie Liz. Eu - ternurinha: o processo criativo e curativo da atriz-personagem a partir de seus excessos e vivências nas ruas, e o ativismo político e feminista que compõe suas teatropalestras. 2020. Tese (Doutorado em Teatro) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2020.

RÉMY, Tristan. Entradas clownescas: uma dramaturgia do clown. Trad. Caco Mattos. São Paulo: Edições Sesc São Paulo, 2016.

SANTOS, Adriana Patrícia dos. Dos guetos que habito: negritudes em procedimentos poéticos cênicos. 2017. Tese (Doutorado em Teatro) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

SANTOS, Adriana Patrícia dos. Dos guetos que habito: negritudes em procedimentos poéticos cênicos. São Paulo: Hucitec, 2021.

SANTOS, Sarah Monteath dos. Mulheres Palhaças: Percurso Histórico da Palhaçaria Feminina no Brasil. 2014. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2014.

SANTOS NETO, João Tomaz dos. Palhaçaria diversa: a presença de dissidentes (LGBTQIAP+) na palhaçaria brasileira. 2022. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, 2022.

SILVA, Amanda Dias Leite Ferreira da. Aspectos do processo de abertura à participação feminina na palhaçaria brasileira: especificidades da produção carioca nas décadas 1980 e 1990. 2015. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

SILVA, Michelle Silveira da (org.). Somos todas palhaças! Chapecó: Humana, 2022.

VAZ, Ana Cristina. A palhaça bailarina: uma investigação para a comicidade física. 2014. Dissertação (Mestrado em Artes) – Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

WUO, Ana Elvira; BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini (org.). Palhaças na Universidade: pesquisas sobre a palhaçaria feita por mulheres e as práticas feministas em âmbitos acadêmicos, artísticos e sociais. Santa Maria: EDUFSM, 2022.

Downloads

Publicado

2023-04-27

Como Citar

BRUM, Daiani Cezimbra Severo Rossini. Somos todas Palhaços?. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 46, p. 1–22, 2023. DOI: 10.5965/1414573101462023e0107. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23235. Acesso em: 30 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Artes do Palhaço, Artes do Circo, Circo-Teatro e Comicidade