Coreografia da Histeria: corpos convulsivos e empoderamento feminino na cena paulista – Lobo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102442022e0206

Palavras-chave:

Cenografia, Histeria, Espectação, Corpos Convulsivos, Dança Contemporânea

Resumo

A partir da análise do espetáculo Lobo, de Carolina Bianchi e Cara de Cavalo, de 2018, a autora aponta a hipótese de que alguns trabalhos recentes da cena paulista, produzidos majoritariamente por mulheres, apresentam corpos convulsivos, cujas características os aproximam das descrições dos corpos histéricos, do final do século XIX e início do XX. O texto menciona outros quatro trabalhos para afirmar que há, nesse movimento criativo, um sinal de empoderamento feminino, de afirmação de seu “lugar de grito”. Por fim, a autora articula a sua experiência de espectadora a referências teóricas e artísticas diversas, incorporando na escrita, as impressões e o processo de registro daquilo que vê nas obras. Ademais, o estudo se baseia na espectação como metodologia e situa essa prática entre a recepção e a crítica. Referências exteriores ao campo especificamente cênico, especialmente à psicanálise, contribuem para a análise das ambivalências e ambiguidades colocadas em jogo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Martins Rodrigues de Moraes, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutora em Artes e Bacharel em Dança pela UNICAMP. Mestre em Dança pelo Trinity Laban Conservatoire for Music and Dance, em Londres. Professora e pesquisadora do Departamento de Artes Corporais da UNICAMP. Bailarina e coreógrafa.

Referências

BRAUN, Johanna (ed.). Performing Hysteria: Images and imaginations of hysteria. [S. l.]: Leuven University Press, 2020. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/j.ctv18dvt2d.4. Acesso em: 2 fev. 2022.

BREUER, Josef; FREUD, Sigmund. Estudos sobre a Histeria. In: Sigmund Freud: Obras completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2016 [1893-1895]. v. 2.

CARLSON, Marvin. O mesmo, só que diferente: o Teatro e a “assombração”. Tradução de Evelyn Furquim Werneck Lima. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, ago./set. 2020.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Invenção da histeria: Charcot e a Iconografia Fotográfica da Salpêtrière. Museu de Arte Moderna do Rio. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015.

FANON, Frantz. 2020. Alienação e liberdade: escritos psiquiátricos. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

FREUD, Sigmund. Três Ensaios sobre a Sexualidade. In: Sigmund Freud: Obras completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2016 [1905]. p. 13-172. v. 18.

FREUD, Sigmund. O Inquietante. In: Sigmund Freud: Obras completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010 [1919]. p. 328-376. v. 14.

GIAMBRONEN, Roberto. Dançar a crise: a histeria da clínica à cena. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, n. 19, p. 129-133, nov. 2012.

GOTMAN, Kélina. Choreomania: Dance and Disorder. Nova Iorque: Oxford University Press, 2018.

GOTMAN, Kélina. Epilepsy, Chorea, and Involuntary Movements Onstage: The Politics and Aesthetics of Alterkinetic Dance. About Performance, Sydney, n. 11, p. 159-183, mar. 2012. Disponível em: https://search.informit.org/doi/10.3316/INFORMIT.503154365090185. Acesso em: 11 fev. 2022.

HOOKS, Bell. Eu não sou uma mulher? Mulheres negras e feministas. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019.

JÄRLEMYR, S. A. Tale of Cross-Dressers, Mothers, and Murderers: Gender and Power in Judges 4 and 5. Svensk Exegetisk Årsbok, Uppsala, v. 81, p. 49 - 62, 2016. Disponível em: http://urn.kb.se/resolve?urn=urn:nbn:se:uu:diva-313745. Acesso em: 28 nov. 2020.

MARSHALL, Jonathan W. Performing Neurology: The Dramaturgy of Dr Jean-Martin Charcot. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2016.

MONTAGNER, Alessandra. Corpos Despedaçados: Choque e Espectação nas Artes da Cena. 2018. 197 f. Tese (Doutorado em Artes da Cena) - Universidade Estadual de Campinas, 2018. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/333375. Acesso em: 26 set. 2020.

MONTAGNER, A. Do corpo feminino em performance: exceder-se para não asfixiar. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 35, p. 311-325, set. 2019. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102352019311. Acesso em: 3 fev. 2022.

MORAES, Juliana. Dança, Frente e Verso. São Paulo: NVersos, 2013.

ROUDINESCO, Elisabeth. Dicionário Amoroso da Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar Editora, 2019.

SANDER, L. V. O que eles querem de Augustine? Sobre o Retrato de Augustine, de Peta Tait e Matra Robertson. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 21, p. 112-119, dez. 2013. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102212013112. Acesso em: 3 fev. 2022.

SKANTZE, P. A. Itinerant Spectator/Itinerant Spectacle. New York: Punctum, 2013.

SONTAG, Susan. Notes on 'Camp'. Reino Unido, EUA, Canadá, Irlanda, Austrália, India, Nova Zelândia e África do Sul: Penguin Random House UK, 2018.

VACARO, Juliana. A Construção do Moderno e da Loucura: Mulheres no Sanatório Pinel de Pirituba (1929–1944). 2011. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade de São Paulo, 2011. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-31102011-103753/pt-br.php. Acesso em: 27 set. 2020.

WATTERS, Ethan. Crazy like us: The Globalization of the Western Mind. Londres: Robinson, 2011.

Downloads

Publicado

2022-09-26

Como Citar

MORAES, J. M. R. de. Coreografia da Histeria: corpos convulsivos e empoderamento feminino na cena paulista – Lobo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 44, p. 1-28, 2022. DOI: 10.5965/1414573102442022e0206. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/21996. Acesso em: 30 nov. 2022.