Uma anti-boneca de quatro costados: Tussy Marx e o feminismo socialista do século XIX

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101432022e0802

Palavras-chave:

Eleanor Marx, Feminismo, Artes Dramáticas, Socialismo

Resumo

Neste texto, apresenta-se a obra da historiadora Rachel Holmes, recém traduzida para o português, sobre a vida de Eleanor Marx. Destaca-se na  biografia seu ativismo socialista    bem como a trajetória no campo do teatro, no qual trabalhou desde 1875 até o final de sua vida. Neste sentido, sublinhou-se seu papel como tradutora de obras protofeministas, como Madame Bovary e Casa de Bonecas, de Gustave Flaubert e Henrik Ibsen, de quem fez traduções de outros textos dramatúrgicos. Destacou-se no comentário o trabalho que a filha caçula de Marx realizou junto à Federação Social Democrata, à Liga socialista e ao Sindicato dos Trabalhadores do Gaz da Inglaterra, agremiações nas quais atuou em diferentes frentes: educação, agitação e propaganda, tradução e ainda, solidariedade internacional. Além disto, sublinhou-se a militância que teve junto ao socialismo feminista do final do século XIX, tema de seu livro A questão da mulher: de uma ponto de vista socialista, de 1886.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmen Susana Tornquist, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Pós-Doutorado na École des hautes études en sciences sociales, EHESS (CEIFR), França. Doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC -2004). Mestrado em Sociologia Política (UFSC-1992). Graduação em Licenciatura Plena em História (UFSC-1986). Professora titular da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), onde atua no departamento de Geografia e no Programa de Pós Graduação em Planejamento territorial e desenvolvimento sócio-ambiental, colaboradora - INTC Instituto Brasil Plural(SC) e membro do Conselho Consultivo da Cátedra Mariátegui (Peru).

Referências

CRUZ, Cláudia Soares. Tradução teatral entre teoria e prática. Urdimento – Revista de estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v.2, n,35, p.263-280, 2019.

DEAN, Jodi. Camarada. Um ensaio sobre pertencimento político. São Paulo: Boitempo, 2021.

DONZELOT, Jacques. A polícia das famílias. Rio de Janeiro: Graal, 1980.

FLUSS, Harrison e MILLER, Sam. L’héritage d’ Eleanor Marx. Contretemps: Revue de critique marxiste. set. 2021, p.1-7. http:/www.contretemps.eu. Acesso em: 12 jan. 2022. (Tradução de Christian Dubucq).

FONSECA, Cláudia. História social da família: uma excursão interdisciplinar. Rio de Janeiro: BIB n. 27, 1989, p.51-73.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe operária na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

LISSAGARAY, Hipollyte Prosper-Olivier. História da Comuna de Paris de 1871. São Paulo: Expressão Popular, 2021.

MARX, Eleanor e AVELING, Edward. A questão da mulher: de um ponto de vista socialista. São Paulo: Expressão Popular, 2021.

MARX, Karl. Sobre o suicídio. São Paulo: Boitempo, 2006.

MUSTO, Marcello. Marx-Engels Gesamtausgabe (Mega 2) y el redescubrimiento de Marx. In: MUSTO.M(org.) Tras las huellas de un fantasma. Siglo XXI, 2012, p.21- 62.

ROMANO, Lúcia. Casas e coisas do mundo de Nora: ou para onde o teatro pode ir quando uma mulher bate a porta atrás de si. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis. v.3, n.33, 2018.

SILVA, Ludovico. O estilo literário de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

PICQ, Françoise. Journée internationale des Femmes: a la poursuite d’um mythe. Travail, genre et societé. Mars. n.3, 2000.

TARCUS, Horácio. La Bíblia del proletariado. Buenos Aires: Siglo XXI, 2018.

TRISTAN, Flora. União dos operários. Florianópolis: Editora Insular, 2017.

Downloads

Publicado

2022-04-06

Como Citar

TORNQUIST, C. S. Uma anti-boneca de quatro costados: Tussy Marx e o feminismo socialista do século XIX. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 43, p. 1-15, 2022. DOI: 10.5965/1414573101432022e0802. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/21532. Acesso em: 2 out. 2022.