Poéticas Afro-ameríndias no ensino superior de Dança: Corpos insurgentes em performances de (re)existência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101432022e0106

Palavras-chave:

Ensino de dança, Poéticas afro-ameríndias, Processo de criação, Graduação em dança

Resumo

Este artigo discute a formação de professores/as de dança por meio de abordagens artístico-pedagógicas baseadas nas noções de ancestralidade e espiritualidade vindas de culturas afro-ameríndias, a partir de três experiências docentes no ensino superior.  A combinação entre estrutura curricular, projetos pedagógicos e artísticos em consonância com as histórias de vida dos estudantes, colabora com a abertura de fissuras na monocultura do saber instaurada na universidade. O reconhecimento e a produção de poéticas afro-ameríndias se materializam por meio de processos criativos e pedagógicos em vivências com práticas culturais tradicionais, donde reflete-se performances de (re)existência a partir de corporalidades e narrativas insurgentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata de Lima Silva, Universidade Federal de Goiás (UFGO)

Doutorado em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestre em Artes (UNICAMP). Graduação em Dança (UNICAMP). Professora associada na Universidade Federal de Goiás (UFGO), atuando na graduação do curso de Dança e nos Programas de Pós-graduação em Artes da Cena e Interdisciplinar em Performances Culturais.

Carolina Laranjeira, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Doutorado em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestrado em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Graduada (bacharelado e licenciatura) em Dança pela UNICAMP. Professora adjunta dos cursos de Licenciatura em Dança, Licenciatura e Bacharelado em Teatro do Departamento de Artes Cênicas e do Mestrado Profissional em Artes (PROFARTES) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Gabriela Di Donato Salvador Santinho, Universidade do Estado do Mato Grosso do Sul (UEMS)

Doutorado em Artes da Cena pela Univiversidade Estadual de Campinas (Unicamp). Mestrado em Artes Cênicas (Unicamp). Graduação em Dança (Unicamp). Professora dos cursos de Licenciatura em Dança e em Teatro e do Mestrado Profissional em Educação (Profeduc) da UEMS e do Mestrado Profissional em Artes (Prof-Artes) da UFMS.

Referências

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. 2. Ed. Trad. Viviane Ribeiro. Bauru: EDUSC, 2002.

GODARD, Hubert. Gesto e Percepção. Tradução de Silvia Soter. In: PEREIRA, Roberto; SOTER, Silvia (Org.). Lições de Dança 3. Rio de Janeiro: UniverCidade Editora, 2003. P. 11-35.

GOLDMAN, Márcio. A relação afroindígena. Cadernos de Campo, n.23, p.213-222, São Paulo, 2014.

GONZALEZ, Lélia. "A categoria político-cultural de amefricanidade". Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 92/93, p.69-82, jan./jun. 1988.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 5. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE INCLUSÃO NO ENSINO SUPERIOR E NA PESQUISA (INCTI/UNB/CNPQ). Encontro de Saberes: Bases para um diálogo interepistêmico (Documento Técnico). Brasília, 2015.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

KRENAK, Ailton. A vida não é útil. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

LAKOFF, George. JOHNSON, Mark. Philosophy in the Flesh – The Embodied Mind and Its Challenge to Western Thought. New York: Basic Books, 1999.

LARANJEIRA, Carolina Dias. Dramaturgias do Cavalo Marinho: corporalidades e sentidos ambivalentes. Moringa - Artes do Espetáculo, [s. l.], v. 9, n. 1, 2018.

DOI: 10.22478/ufpb.2177-8841.2018v9n1.40652. Disponível em:

https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/moringa/article/view/40652.

Acesso em: 05 out. 2021.

LARANJEIRA, Carolina Dias. Os Estados Tônicos como Fundamento dos Estados Corporais em Diálogo com um Processo Criativo em Dança. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 5, n. 3, p. 596-621, ago. 2015. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/presenca/article/view/47462.

Acesso em: 05 out. 2021.

LOUPPE, Laurence. Poétique de la Danse Contemporaine: la suite. Bruxelles: Contre-danse, 2007.

MARTINS, Leda Maria. “Performances do tempo espiralar” In: RAVETTI, Graciela; ARBEX, Márcia. Performances, exílios, fronteiras: errâncias territoriais e textuais. Belo Horizonte: UFMG/ Poslit, 2002.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: soberania, estado de exceção, política de morte. São Paulo: N-1 edições, 2018.

MELLO, Cecília C. do A. Obras de arte e conceitos: cultura e antropologia do ponto de vista de um grupo afro-indígena do sul da Bahia. 2003. Dissertação (Mestrado) -Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

OLIVEIRA, Joana Abreu Pereira de. Rodas e cortejos de aprender e criar: saberes e fazeres tradicionais na formação de artistas-docentes da cena. 2020. Tese (Doutorado em Performances Culturais) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2020.

CUSIQUANQUI, Silvia Rivera. Ch’ixinakax utxiwa: una reflexión sobre practicas y discursos descolonizados. Buenos Aires: Tinta Limón, 2010.

SANTINHO, Gabriela D. D. S. O corpo mitológico na dança. Curitiba: Ed. CRV, 2019.

SANTOS, Tiganá Santana Neves. A cosmologia africana dos bantu-kongo por Bunseki Fu-Kiau: tradução negra, reflexões e diálogos a partir do Brasil. 2019. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

SANTOS, Antônio Bispo. Colonização, Quilombos - modos e significados. Brasília: INCTI, 2015.

SILVA, Renata de Lima. O corpo limiar e as encruzilhadas: a capoeira angola e os sambas de umbigada no processo de criação em dança brasileira contemporânea. 2010. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Artes, Campinas, SP. Disponível em:

http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/283967.

Acesso em: 16 abr. 2020.

SILVA, Renata de Lima, & FALCÃO, José Luiz Cirqueira. Cultura Popular: seus contornos, desdobramentos e materializações. Revista Rascunhos - Caminhos Da Pesquisa Em Artes Cênicas, 3(2), 2016. https://doi.org/10.14393/issn2358-3703.v3n2a2016-02

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL. Deliberação CE/CEPE-UEMS nº 294, de 26 de junho de 2019. Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Dança, licenciatura, da UEMS. Dourados: Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Resolução CEPEC 1192, de 22 de junho de 2013. Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Dança, licenciatura, da UFG. Goiânia: Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão e Cultura, 2013.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA. Resolução CONSEPE 37/2018, de 27 de agosto de 2018. Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Dança, licenciatura, da UFPB. João Pessoa: Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2018.

VELOSO, Jorge das Graças. Paradoxos e Paradigmas: a etnocenologia, os saberes e seus léxicos. Repertório, Salvador, a. 19, n. 26, p. 88-94, 2016.

Downloads

Publicado

2022-04-06

Como Citar

SILVA, R. de L.; LARANJEIRA, C.; SANTINHO, G. D. D. S. Poéticas Afro-ameríndias no ensino superior de Dança: Corpos insurgentes em performances de (re)existência. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 43, p. 1-29, 2022. DOI: 10.5965/1414573101432022e0106. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/21129. Acesso em: 20 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Corpo e(n)cena e (des)educação