Tra(d)ição como ética decolonial do cabaré sudaca: Cantada em prosa, verso e rebolado!

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102412021e0101

Palavras-chave:

Cabaré, América Latina , Decolonialidade, Traição, Teatro

Resumo

Este artigo evoca a tra(d)ição do cabaré, em seu caráter anti-canônico, desde seu surgimento na Europa até a intensificação de sua potência insurgente nos territórios do que se convencionou chamar por América Latina. Assim, operando por contraste, a ruptura com o modelo hegemônico da dramaturgia ocidental, com a divisão entre cultura popular e erudita, com a espacialidade bidimensional, com a branquitude na qual foi engendrado – mas também a sua característica teatromusicalidade, bem como o protagonismo dos corpos femininos e gênero-sexodissidentes -, fornecem subsídios para pensar sobre uma ética decolonial que anima esta maquinaria estética e política, disseminadora de diferenças.

Biografia do Autor

Cleber Braga, Universidade Federal do Amapa

Professor Doutor do curso de Licenciatura em Teatro e do curso de Especialização em Estudos Teatrais Contemporâneos na Universidade Federal do Amapá, do Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnico-Raciais da Universidade Federal do Sul da Bahia

Referências

ANDRADE, Oswald de. Manifesto da poesia pau-brasil . Porto Alegre: UFRGS, 2007. Disponível em: https://www.ufrgs.br/cdrom/oandrade/oandrade.pdf. Acesso em: 06 mai. 2021.

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/La frontera: la nueva mestiza. Trad. Elia Cantú. Metepec. Cidade do México: Programa Universitario de Estudios de Género de La Universidad Autónoma de México, 2015.

ARISTÓTELES. Arte Poética. São Paulo: Martin Claret, 2007.

BENEVIDES, Bruna. Brasil lidera consumo de pornografia trans no mundo ( e de assassinatos). Revista Híbrida. Abr. 2020. Disponível em: https://revistahibrida.com.br/2020/05/11/o-paradoxo-do-brasil-no-consumo-de-pornografia-e-assassinatos-trans/ . Acesso em: 05 abr. 2021.

BENEVIDES, Bruna G.; NOGUEIRA, Sayonara Naider Bonfim (ORG.). Dossiê dos assassinatos e da violência contra travestis e transexuais brasileiras em 2020 . São Paulo: Expressão Popular, ANTRA, IBTE, 2021. Disponível em: https://antrabrasil.files.wordpress.com/2021/01/dossie-trans-2021-29jan2021.pdf . Acesso em: 05 abr. 2021.

BERTHOLD, Margot. História Mundial do Teatro. Trad. Maria Paula V. Zurawski. São. Paulo: Perspectiva, 2000.

BETHÂNIA, Maria. Drama 3º Ato: Luz Da Noite. Rio de Janeiro: Philips, 1973, disco de vinil.

BETHÂNIA, Maria. A cena muda. Rio de Janeiro: Philips, 1974, disco de vinil.

BIÃO, Armindo Jorge de Carvalho. Etnocenologia e a cena baiana: textos reunidos. Salvador: P&A Gráfica e Editora, 2009.

BRAGA, Cleber (Cleber Rodrigo Braga de Oliveira). Fantasmografias: sexílio, arte e ativismos cuirdecoloniais na transfronteira mexicobrasileira. Tese (Doutorado em Cultura e Sociedade) - Instituto de Humanidades, Artes e Ciências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/32022?fbclid=IwAR2YVe-X-f4_2DPGc_J5BPsDC7URkp-UNK05y85wBXPNHx99bTgqqnzEtJk. Acesso em: 10 mai. 2020.

BRECHT, Bertolt; WEILL, Kurt. Surabaya Johnny. Versão: NEVES, Duda; VERGUEIRO; Sílvia. In: MOREIRA, Cida. Abolerado Blues. São Paulo: Lira Paulistana, 1983, disco de vinil.

BRECHT, Bertolt. Teatro dialético. Seleção e tradução de Luiz Carlos Maciel. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

BONDER, Nilton. A alma imoral: tradição e traição através dos tempos. Rocco: Rio de Janeiro, 1998.

COHEN, Renato. A performance como linguagem. São Paulo: Perspectiva, 2009.CORRÊA, Amélia Siegel; OLIVEIRA, Luana Hauptman Cardoso de. A arte relacional e a participação do público: aproximações poéticas do período de 1960-70 com a 27ª bienal de São Paulo. Mediações, Londrina, v. 21, n. 2, p. 254-278, jul.-dez. 2016.

CRUCIANI, Fabrizio.; FALLETTI, Clelia. Teatro de rua. Trad.: Roberta Baarni. São Paulo: Hucitec, 1999.

CHRISTINA, Streva. The carioca cabaret and dissident expressions: Tropical Montmartre’ to the present day. Karpa Journal: California State University – LA, s/p, 2019. Disponível em: http://www.calstatela.edu/al/karpa/carioca-cabaret-christina-streva . Acesso em: 10 mai. 2021.

DEBORD, Guy. A Sociedade do espetáculo. Trad.: Francisco Alves e Afonso Monteiro. Lisboa: Afrofite, 1972.

FÉRAL, Josette. Acerca de la teatralidad. Buenos Aires: Nueva Generación, 2003.

FÉRAL, Josette. Por uma poética da performatividade: o teatro performativo. Trad. Ligia Borges. Sala Preta, São Paulo, v.8, n.1, 2008.

FOUCAULT, Michel. Theatrum philosophicum. Tradução: Jorge Lima Barreto. Porto; Rés, 1995.

GUIMARÃES, Rafael. Moquecar (n)a Pandemia. Disponível em: https://www.n-1edicoes.org/textos/105 . São Paulo: N-1, 2020. Acesso em: 05 mai. 2021.

GUITA, LUÍS. Coletivo curitibano causa frenesi em Portugal. Gazeta do Povo, Curitiba: 31 de janeiro de 2015. Caderno G. Disponível em : http://www.gazetadopovo.com.br/caderno-g/coletivo-curitibano-causa-frenesi-em-portugal-ejea573dn7rg8dymlvkv3jya6 . Acesso em: 10 de jun. 2017.

GOLDBERG, Rose Lee. A arte da performance: do futurismo ao presente. Tradução de Jefferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

ITAÚ CULTURAL. Cabaré da Rrrrraça. Disponível em: https://enciclopedia.itaucultural.org.br/evento601292/cabare-da-rrrrraca . Acesso em 05 de abril de 2021.

LAGO, Mara Coelho de Souza et al . Gênero, gerações e espaço doméstico: trabalho, casa e família. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 19, n. 44, p. 357-366, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-863X2009000300010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 21 abr. 2021.

LANE, Rebeca. Mala Hierba. In: Obsidiana. FlowFish Records. 2018, CD.

LOBATO, Lúcia Fernandes. A Cultura Lúdica como proposta para a desconstrução do “Mito Homem Sério”. Salvador: PPGAC-UFBA; Professora Associada. VI Reunião Científica da Abrace. Porto Alegre, 2011.

MIGNOLO, Walter. Hacer, pensar y vivir da decolonialidad: textos reunidos y presentados por comunidad psicoanálisis/pensamiento decolonial. Ciudad de México: Editorial Borde Sur: Ediciones Navarra, 2016.

MALDONADO-TORRES, Nelson. Transdisciplinaridade e decolonialidade. Soc. estado, Brasília, v. 31, n. 1, p. 75-97, abr., 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010269922016000100075&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 19 mar. 2021.

MOGROVEJO, Norma. Del Sexílio al Matrimonio. Ciudadanía Sexual en la era del Consumo Liberal. Migración y Sexílio Político. Madres lesbianas, familias resignificadas. Poco sexo, más clase y mucha raza. Centro de Documentación y Archivo Histórico Lésbico de México, América Latina y Caribe ´Narncy Cárdenas´; Escuela para la Libertad de las Mujeres ´Siembra Autonomía, Cosecha Libertad´; Coletivo Editorial Pez en el Árbol , Ciudad de México: 2017.

ONU. Dia da Visibilidade Trans: 175 pessoas foram mortas no Brasil em 2020 em razão da transfobia. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/109791-dia-da-visibilidade-trans-175-pessoas-foram-mortas-no-brasil-em-2020-em-razao-da-transfobia. Acesso em: 05 abr. 2021.

PALERMO, Zulma. El arte latinoamericano en la encrucijada decolonial. In: PALERMO, Zulma (ORG). Arte y estética en la encrucijada descolonial. Buenos Aires: Del Signo, 2009.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Entre América e Abya Yala – tensões de territorialidades. Desenvolvimento e Meio Ambiente. Curitiba, n. 20, p. 25-30, jul./dez. 2009.

PRECIADO, Paul Beatriz. Entrevista con Paul B. Preciado: Posporno/ Excitación disidente. Parole de Queer. Disponível em: http://paroledequeer.blogspot.com/2014/01/entrevista-con-beatriz-preciado.html. Acesso em: 15 fev. 2019.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO,2005, p. 107-130.

ROUBINE, Jean-Jacques. A linguagem da encenação teatral. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula Editora, 2019.

RYNGAERT, Jean Pierre. Ler o teatro contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SAIDEL, Giorgia Barbosa Conceição. A burla do corpo: estratégicas e políticas de criação. 2011. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/27102. Acesso: 10 abr. 2021.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre a dependência cultural. RJ: Rocco, 2000.

SCHUCMAN, Lia Vainer. Sim, nós somos racistas: estudo psicossocial da branquitude paulistana. Psicologia & Sociedade, v. 26, n. 1, p. 83-94, 2014.

SEGATO, Rita Laura . Gênero e colonialidade: em busca de chaves de leitura e de um vocabulário estratégico descolonial. E-cadernos ces [Online], n.18 , p.106-131, 2012. Disponível em : http://eces.revues.org/1533 . Acesso em 15 abr. 2021.

SPIVAK, Gayatry Chakravorty . Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: UFMG, 2010.

SUDARE, Lívia. DIE HÖCHSTE EISENBAHN: um aviso do cabaré alemão diante da ameaça nazista. Sala Preta, 19(2), São Paulo, p. 48-63, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v19i2p48-63. Acesso em 17 de fev. 2021.

SZONDI, Peter. Teoria do drama moderno. São Paulo: Cosac Naify, 2001.

WISNIK, José Miguel. Letra de música é poesia? Entrevista realizada em 10 out. 2019. SESC TV. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=W0LJWGe37i4. Acesso em: 06 de abr. 2021.

VALENCIA, Sayak. Del Queer al Cuir: ostranénie geopolítica y epistémica desde el sur glocal. IN: LANUZA, Fernando R. ; CARRASCO, Raúl M. (ORG). Queer & Cuir: políticas de lo irreal. Cidade do México: Fontamara, 2015.

VENEZIANO, Neyde. O Teatro de Revista no Brasil: dramaturgia e convenções. Sesi-SP: São Paulo, 2013.

Downloads

Publicado

2021-09-14

Como Citar

BRAGA, C. Tra(d)ição como ética decolonial do cabaré sudaca: Cantada em prosa, verso e rebolado!. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 41, p. 1-31, 2021. DOI: 10.5965/1414573102412021e0101. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/20249. Acesso em: 5 dez. 2021.