Quatro cartas em confluência: Palavras para as Yabás

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101402021e0301

Resumo

O presente artigo, tecido pelas mãos das quatro artistas envolvidas no processo de pesquisa e criação do projeto Mar Aberto: confluências de vida e arte entre mulheres das águas, partiu da premissa de que escrever sobre cura só faria sentido se fosse, em si, um processo de cura. Ancoradas por esse princípio, o formato de cartas foi o escolhido por trazer o tom de intimidade e multiplicidade para as vozes das autoras que entregaram suas palavras como oferendas para as quatro grandes mães nas religiões de matrizes africanas, as Yabás Nanã, Oxum, Iansã e Iemanjá. Como parte do processo artístico e de pesquisa sobre mulheres que trabalham com a pesca artesanal em Santa Catarina, a força feminina das Yabás surge como rezo de transmutação e criação. Nessa partilha entre jornadas de cura e criatividade, confluem questões sobre o corpo, o fazer artístico e sobre o processo até agora vivenciado.

Biografia do Autor

Jussyanne Rodrigues Emidio, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Teatro - PPGT/UDESC. Mestra em Teatro pela mesma instituição. Graduada em Arte e Mídia pela Universidade Federal de Campina Grande - UFCG. Atriz, bailarina, diretora.

Elaine Cristina Maia Nascimento, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Artes Cênicas pelo Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia e Mestre em Arquitetura e Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (2018). É atriz, produtora cultural, cenógrafa e arquiteta urbanista graduada pela Universidade Federal do Ceará (2015) e também graduada em Artes Cênicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (2009). Idealizadora do conceito de Urbgrafias: cartografias de ações artísticas no espaço da cidade, também investiga epistemologias de criação centradas no corpo. É integrante do grupo de pesquisa QUIASMA (UFSC) e integrante da Cia Balacochê de Teatro.

Thaís Cardozo Favarin, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Graduada em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Mestre no Programa de Pós-Graduação em História na mesma universidade. Atualmente integra a Cia Balacochê de teatro.

Mariana Rotili da Silveira, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Atriz-pesquisadora, diretora, artista visual e performer. Mestre em Artes da Cena pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas. Bacharel e licenciada em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Integra o Coletivo MÓ, grupo de atores-pesquisadores provocado pelo interesse comum no treinamento físico do ator e na pesquisa da produção energética individual e coletiva, assessorado por Naomi Silman (LUME Teatro) desde 2015. Em 2014 passa a colaborar com o LUME Teatro, realizando parcerias artísticas e ensaios visuais. É membra do Estúdio de Arte Rebelde, coordenado por Fabio Salvatti na Universidade Federal de Santa Catarina. Também atua como realizadora audiovisual e diretora de fotografia.

Referências

CAENEIRO, Sueli; CURY, Cristiane. O poder feminino no culto aos Orixás. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (org.). Sankofa - Resgate da cultura afro-brasileira. Rio de Janeiro: Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras, Governo do Estado, 1994.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Trad. Vera da Costa e Silva, Raul de Sá Barbosa, Angela Melim, Lucia Melim.8. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1994.

GERBER, Rose Mary. Mulheres e o mar: uma etnografia sobre pescadoras embarcadas na pesca artesanal no litoral de Santa Catarina, Brasil. 2013. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Centro de Filosofia e Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2013.

KUPERMAN, Priscila S. Tarot: uma linguagem feiticeira. Rio de Janeiro: Mauad, 1995.

MARIÁ, Paula; RIEMER, Elisa. Nosotras Tarot: a jornada da heroína no absoluto útero cósmico. Maringá, PR: Nosotras Editora, 2019.

NOGUERA, Renato. Mulheres e deusas: como as divindades e os mitos femininos formaram a mulher atual. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

NOGUERA, Renato. Afroperspectividade: por uma filosofia que descoloniza. Entrevista a Tomaz Amorim. 17/07/2015. Disponível em: <https://www.geledes.org.br/afroperspectividade-por-uma-filosofia-que-descoloniza/>. Acesso: 20 mar. 2021.

RODRIGUES, J. E. Bruxas, Santas, Loucas, Velhas, Meninas, Belas, Recatadas e do Lar. Urdimento, Florianópolis, v.3, n. 33, p. 524-525, 2018. Disponível em:

<https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/14298>. Acesso: 20 mar. 2021.

ROLNIK, Suely. “Fale com ele”, ou como tratar o corpo vibrátil em coma. 2003. Disponível em:

<https://www.pucsp.br/nucleodesubjetividade/Textos/SUELY/falecomele.pdf>. Acesso: 13 jan. 2021.

ROLNIK, Suely. Geopolítica da Cafetinagem. 2006. Disponível em: < https://www.pucsp.br/nucleodesubjetividade/Textos/SUELY/Geopolitica.pdf>. Acesso: 13 jan. 2021.

ROLNIK, Suely. Por um estado de arte: a atualidade de Lygia Clark. In: Núcleo Histórico: Antropofagia e Histórias de Canibalismos, São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1998, p. 456-467.

SAMS, Jamie. As cartas do caminho sagrado: a descoberta do ser através dos ensinamentos dos índios norte-americanos. Ilustr. Linda Childers. Trad. Fabio Fernandes. Rio de Janeiro: Rocco, 2017.

SPIVAK, Gayatri C. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

TAYLOR, Diana. O arquivo e o repertório: performance e memória cultural nas Américas. Trad. Eliana Lourenço de Lima Reis. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2013.

THEODORO, Helena. Religiões de Origem Africana no Brasil. In: Elisa Larkin Nascimento. (Org.). Sankofa - Resgate da cultura afro-brasileira. Rio de Janeiro: Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras, Governo do Estado, 1994.

VERGER, Pierre Fatumbi. Os Orixás. Lauro de Freitas: Solisluna Design Editora, 2002.

Downloads

Publicado

2021-04-28

Como Citar

Emidio, J. R., Nascimento, E. C. M., Favarin, T. C., & Silveira, M. R. da. (2021). Quatro cartas em confluência: Palavras para as Yabás. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(40), 1-28. https://doi.org/10.5965/1414573101402021e0301