Pedagogia como encantamento: O ato de ensinar e aprender como cura instauradora das revoluções necessárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101402021e0104

Resumo

O manuscrito aqui proposto busca apresentar-se como um encanto para a cura do que chama de moléstia colonial. Nesse sentido, traça uma defesa do que denomina de pedagogia como encantamento, concebendo o ato de ensinar e aprender como uma forma de intervenção no mundo que pode mudar a realidade objetiva dos seres e, portanto, ser considerado uma espécie de magia do cotidiano. Nessa esteira, reflete sobre como tal pensamento é capaz de ecoar na prática cênica chegando à conclusão de que o mesmo pode ser disparador de metodologias diversas, desde que elas considerem alguns pontos: a crença na capacidade do outro de criar, uma ação que conduza sua prática e a concepção de que o mundo pode ser transformado.

Biografia do Autor

Henrique Bezerra de Souza, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professor doutor colaborador do curso de Licenciatura em Teatro do Centro de Artes (CEART) da Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC.

Referências

BOAL, Augusto. A Estética do Oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

BEZERRA DE SOUZA, Henrique. O olhar da Medusa: coisificação e reconfigurações políticas por meio do ensino da arte e prática cênica. Revista Moringa – Artes do espetáculo, João Pessoa, UFPB, v. 8, n. 2, p. 69 – 80, 2017.

COUTINHO, Marina Henriques. A favela como palco e personagem e o desafio da comunidade-sujeito. 2010. Tese (Doutorado em Artes Cênicas) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2010.

FIORI, Ernani. M. Aprender a dizer a sua palavra. In: FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2020.

FREIRE, Paulo. Ação Cultural para liberdade e outros escritos. São Paulo: Paz e Terra, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

NOGUEIRA, Marcia Pompeo. Ventoforte no teatro em comunidades. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2015.

NOGUEIRA, Marcia Pompeo. Teatro com meninos e meninas de rua: nos caminhos do Ventoforte. São Paulo: Perspectiva, 2008.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante. São Paulo: Autêntica, 2015.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula editorial, 2019.

SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo: Perspectiva, 2018.

Downloads

Publicado

2021-04-28

Como Citar

Souza, H. B. de. (2021). Pedagogia como encantamento: O ato de ensinar e aprender como cura instauradora das revoluções necessárias. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(40), 1-18. https://doi.org/10.5965/1414573101402021e0104

Edição

Seção

Dossiê Temático: Curadoria da Performance e Processos de Cura em Artes Cênicas