Autonomia? Autonomia! Experiência estética nos dias de hoje

Autores

  • Juliana Rebentisch Institut für Sozialforschung Frankfurt.
  • Tradutor: Stephan Arnulf Baumgärtel Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103302017101

Resumo

A partir de uma reflexão sobre a argumentação de Michael Fried em seu famos ensaio sobre arte e objetidade, o artigo discute as diversas concepções de 'autonomia da arte' e de 'recepção enquanto participação'. Para a autora, o sujeito que se experimenta esteticamente não serve mais como modelo para o sujeito extra-estético; antes, ele é necessariamente um sujeito parcial, pois a experiência estética existe de maneira autônoma ao lado das esferas da razão teórica e prática. Como tal sujeito estético, o sujeito não se experimenta por habilidades que ele possui virtual ou realmente em contextos extra-estéticos, mas se experimenta em essas habilidades que consegue fazer somente na experiência estética.

Biografia do Autor

Juliana Rebentisch, Institut für Sozialforschung Frankfurt.

Professora titular da Hochschule für Gestaltung Offenbach e docente associada ao Institut für Sozialforschung Frankfurt.

Tradutor: Stephan Arnulf Baumgärtel, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professor Dr. Associado da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), atuando junto ao Programa de Pós-Graduação em Teatro (PPGT-CEART).

Downloads

Publicado

2017-12-18

Como Citar

REBENTISCH, J.; BAUMGÄRTEL, T. S. A. Autonomia? Autonomia! Experiência estética nos dias de hoje. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 30, p. 101-111, 2017. DOI: 10.5965/1414573103302017101. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573103302017101. Acesso em: 21 set. 2021.

Edição

Seção

Traduções