Imagem e imagem: a instabilidade semântica no trabalho do ator. Algumas imprecisões, certos equívocos, e outras possibilidades no uso do termo

Autores

  • Mariane Magno Ribas Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573102292017077

Resumo

Resumo

O texto a seguir pretende distanciar o olhar e mobilizar o pensamento sobre o uso do termo “imagem” no trabalho criativo do ator, cuja utilização é cada vez mais frequente, tanto nos espaços artísticos e pedagógicos, quanto no cotidiano de um modo geral. Todavia, o uso recorrente e, às vezes, excessivo, torna o termo familiar e próximo demais. Decorrente dessa proximidade ocorrem algumas imprecisões que podem ser observadas como indefinições semânticas e também como a perda da conexão com a densidade artística e espiritual no corpo, ou seja, a imagem somática e artística que toca a dimensão arquetípica. Para diferenciar e distinguir imagens de um modo geral da Imagem artística o texto provocará o pensamento a partir de três diretrizes: alguns equívocos, certas possibilidades, e a aproximação possível da Imagem poética, o indizível.

Biografia do Autor

Mariane Magno Ribas, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS

Professora Adjunta do Departamento de Artes Cênicas/UFSM

Downloads

Publicado

2017-11-02

Como Citar

MAGNO RIBAS, M. Imagem e imagem: a instabilidade semântica no trabalho do ator. Algumas imprecisões, certos equívocos, e outras possibilidades no uso do termo. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 29, p. 077-091, 2017. DOI: 10.5965/1414573102292017077. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573102292017077. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Fluxo Continuo