Pequenas resistências: contação de histórias, performance e protagonismo infantil na escola

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101342019019

Resumo

Este artigo analisa performances de contação de histórias realizadas em coautoria com alunos do Ensino Fundamental de escolas públicas de Minas Gerais e do DF, que adotam como eixo transversal a questão da diversidade cultural na escola. Pautadas metodologicamente pela pedagogia teatral e pelos estudos da performance, são desenvolvidas experiências de partilha e produção de histórias com as crianças, nas quais o protagonismo infantil é enfatizado. Nos diferentes processos analisados, verificamos que a partilha de histórias engendra pequenas resistências no contexto escolar, contribuindo para que as crianças sejam aceitas e respeitadas em suas singularidades.

Biografia do Autor

Luciana Hartmann, Universidade de Brasília

Professora Associada do Departamento de Artes Cênicas e do Programa de Artes Cênicas da Universidade de Brasília. Antropóloga e contadora de histórias. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do Cnpq - nível 2.

Sonaly Torres Silva, Universidade Federal de Goiás

Pesquisadora e contadora de histórias. Mestre em Psicologia Social pela UFMG e doutoranda no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Performances Culturais da UFG.

Downloads

Publicado

2019-04-04

Como Citar

Hartmann, L., & Silva, S. T. (2019). Pequenas resistências: contação de histórias, performance e protagonismo infantil na escola. Urdimento - Revista De Estudos Em Artes Cênicas, 1(34), 019-035. https://doi.org/10.5965/1414573101342019019

Edição

Seção

Dossiê Temático - Pedagogia das Artes Cênicas: desafios e resistência