Improvisação

Autores

  • Charles Dullin
  • Tradutor - José Ronaldo Faleiro Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573101182012171

Resumo

Este escrito tem por objetivo expor e analisar elementos de um método de improvisação para a formação do ator. Tais elementos visam a apresentar ao leitor exercícios práticos e a proporcionar-lhe um meio de reflexão sobre problemas decorrentes do trabalho de atuação. É enfatizada a necessidade de o ator “sentir” antes de procurar expressar, “olhar” e “ver” antes de descrever, “escutar” e “ouvir” antes de responder ao interlocutor. A improvisação é aqui considerada como fonte de expressão essencialmente binária, na qual “Voz do mundo” e “Voz de si mesmo” se completam. Ela também é vista como uma arte coletiva, na qual o uso da máscara tem importância

Biografia do Autor

Tradutor - José Ronaldo Faleiro, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professor doutor CEART/UDESC

Downloads

Publicado

2012-03-18

Como Citar

DULLIN, C.; FALEIRO, T. .-. J. R. Improvisação. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 1, n. 18, p. 171-180, 2012. DOI: 10.5965/1414573101182012171. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101182012171. Acesso em: 1 ago. 2021.