Tradição x inovação: patrimônio cultural e memória através dos repertórios musicais do carnaval Zé Pereira em Florianópolis

Autores

  • Lisandra Barbosa Macedo Universidade do Estado de Santa Catarina image/svg+xml

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175180303022011230

Palavras-chave:

patrimônio imaterial, história, memória musical

Resumo

O presente artigo procura identificar as articulações e os movimentos de preservação da identidade cultural na Ilha de Santa Catarina, que ocorrem, implicitamente, na revitalização de eventos como o Carnaval Zé Pereira. Este evento acontece há mais de cem anos nas imediações do bairro Ribeirão da Ilha, em Florianópolis/SC e, nos últimos anos, tem sido destaque na programação dos eventos carnavalescos no estado, tanto na mídia, quanto pelo aumento no número de participantes. A escolha do repertório musical por parte dos dirigentes da Sociedade Musical e Recreativa Lapa, que promove o evento, e as manifestações das comunidades envolvidas e da mídia, com relação aos ritmos executados, geram discussões que podem enriquecer muito as questões envolvidas na preservação das manifestações culturais na localidade tombada pelo patrimônio histórico local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisandra Barbosa Macedo, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduada em História pela UDESC (2003); Mestranda em História pelo PPGH/UDESC; Analista de Cultura pela Secretaria de Estado do Turismo, Cultura e Esporte; Musicista, Instrutora de prática de intrumento e Coordenadora do setor de Memória, História e Patrimônio Cultural da Sociedade Musical e Recreativa Lapa.

Referências

A Gazeta. Florianópolis, 16 de janeiro de 1935. P. 4.

A Gazeta. Florianópolis, 4 de fevereiro d e 1935. P. 4.

COLAÇO, Thais Luzia. O carnaval do desterro: século XIX. CFH/UFSC, 1988 (Dissertação de mestrado).

FERREIRA, Felipe. O livro de ouro do carnaval brasileiro. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005. P. 209.

Floripa Anúncios. Disponível em: <http://www.floripanuncios.com/noticias_ver.php?COD_NOTICIA=27>. Acesso em: 27 jan. 2010.

HUYSSEN, Andreas. Passados presentes: mídia, política, amnésia. In: ____. Seduzidos pela memória.RJ: Aeroplano, Universidade Cândido Mendes, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, 2000. P. 9-40.

JEYDY, Henri-Pierre. A maquinaria patrimonial. In: _____. Espelho das cidades. RJ: Casa da Palavra, 2005. P 15-78.

LAZZARI, Alexandre. Coisas para o povo não fazer: Carnaval em Porto Alegre (1870 – 1915). Campinas/SP: Editora da Unicamp/Cecult, 2001. MATOS, Cláudia Neiva de. Acertei no milhar: samba e malandragem no tempo de Getúlio. RJ: Paz e Terra, 1982.

NAPOLITANO, Marcos. A Síncope das Idéias. SP: Perseu Abramo, 2007.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, SP, nº 10, p.7-28, dez. 1993.

O Estado. Florianópolis, 6 de maio de 1937. Capa.

O Estado. Florianópolis, 20 de fevereiro de 1933. P. 6.

O Estado. Florianópolis, 21 de fevereiro de 1933. P. 6.

O Estado. Florianópolis, 22 de fevereiro de 1933. P. 6.

PEREIRA, N. V.; PEREIRA, F. V.; SILVA NETO, W. J, Ribeirão da Ilha: vida e retratos. Florianópolis: Fundação Franklin Cascaes, 1991.

SARLO, Beatriz. Tempo Passado. SP: Cia das Letras; Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.Sociedade Musical e Recreativa Lapa. <http://www.bandadalapa.com.br>. Acesso em: 1º fev. 2010.

WINTER, Jay. A geração da memória: reflexões sobre o boom da memória nos estudos contemporâneos de história. In: SELLIGMANN-SILVA, Márcio (org.). Palavra e Imagem,Memória e escritura. Chapecó (SC): Argos, 2006, p. 67-90.

Downloads

Publicado

2011-12-07

Como Citar

MACEDO, Lisandra Barbosa. Tradição x inovação: patrimônio cultural e memória através dos repertórios musicais do carnaval Zé Pereira em Florianópolis. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 230–240, 2011. DOI: 10.5965/2175180303022011230. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180303022011230. Acesso em: 13 abr. 2024.