PRINCIPAIS ASSUNTOS DE AUDITORIA ANÁLISE DOS RELATÓRIOS DE AUDITORIA DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS LISTADAS NA B3

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marina Bouvié
Bruno de Medeiros Teixeira
Alexandre André Feil

Resumo

As problemáticas relacionadas as falhas da auditoria contábil acontecem em diversos países desde a ocorrência da Enron e a WorldCom. Neste sentido, este estudo objetiva analisar os assuntos das seções relacionadas aos Principais Assuntos da Auditoria (PAA) nos relatórios dos auditores independentes referentes as demonstrações contábeis de instituições financeiras, listadas na Brasil Bolsa Balcão S/A (B3), dos anos de 2016, 2017 e 2018. A metodologia vincula-se a qualiquantitativa, descritiva e pesquisa documental. A análise estatística ocorreu mediante a média, desvio padrão, coeficiente de variação e o teste Kruskal-Wallis. Os resultados revelam que o ambiente de tecnologia da informação, as provisões e passivos contingentes – fiscais, cíveis e trabalhistas e as provisões para créditos de liquidação duvidosa são os PAA mais divulgados pelos auditores nos relatórios das instituições financeiras. Os achados contribuem no entendimento dos tipos de PAA, definidos por auditores independentes, quando examinam demonstrações contábeis de instituições financeiras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Bouvié, M., Teixeira, B. de M. ., & Feil, A. A. (2022). PRINCIPAIS ASSUNTOS DE AUDITORIA: ANÁLISE DOS RELATÓRIOS DE AUDITORIA DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS LISTADAS NA B3. Revista Brasileira De Contabilidade E Gestão, 11(20), 160-174. https://doi.org/10.5965/2316419011202022160
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Marina Bouvié, Universidade do Vale do Taquari, UNIVATES, Brasil.

Possui Ensino Médio pelo Instituto Estadual de Educação Monsenhor Scalabrini (2013). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Ciências Contábeis.

Bruno de Medeiros Teixeira, Universidade do Vale do Taquari, UNIVATES, Brasil.

Professor e coordenador do curso de Ciências Contábeis da Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES) com ênfase em Governança Corporativa. Doutorando e mestre em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e graduado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Possui experiência em auditoria (externa e interna) e atividades de consultoria, onde atua por mais de 10 anos.

Alexandre André Feil, Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES, UNIVATES, Brasil.

Doutorado em Qualidade Ambiental pela Universidade FEEVALE. Mestrado em Ambiente e Desenvolvimento e Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Taquari — UNIVATES. Atuo como docente permanente do mestrado profissional em Sistemas Ambientais Sustentáveis (PPGSAS), docente adjunto no Curso de Ciências Contábeis e editor geral da revista Estudo & Debate na Universidade do Vale do Taquari — UNIVATES. Coordeno projetos de pesquisa aprovados pela FAPERGS e CNPq vinculados a avaliação da sustentabilidade em organizações com atividade moveleira, laticínios e de bebidas. Tenho experiência profissional e acadêmica na área da contabilidade gerencial (análise de investimentos, orçamento empresarial e análise e gestão de custos). No âmbito da sustentabilidade, realizo pesquisas vinculadas a mensuração do nível de sustentabilidade, índices de sustentabilidade, contabilidade ambiental, capital intelectual, relatórios de sustentabilidade, entre outros.

Referências

Akerlof, G. A. (1970). The market for “lemons”: Quality uncertainty and the market mechanism. Quarterly Journal of Economics, 84(3), 488-500.

Almeida, M. C. (2012). Auditoria: um curso moderno e completo. São Paulo: Atlas.

Alves Júnior, E. D., & Galdi, F. C. (2020). The informational relevance of key audit mat-ters. Revista Contabilidade & Finanças, 31, 67-83.

Attie, W. (2018). Auditoria: conceitos e aplicações. São Paulo: Atlas.

Bédard, J., Gonthier-Besacier, N., & Schatt, A. (2019). Consequences of expanded audit reports: Evidence from the justifications of assessments in France. Auditing: A Journal of Practice & Theory, 38(3), 23-45.

Boynton, W. C., Johnson, R. N., Kell, W. G. (2002). Auditoria. São Paulo: Atlas.

B3 (2020). Índice bovespa (ibovespa). Recuperado em 02 maio, 2020, de http://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/indices/indices-amplos/indice-ibovespa-ibovespa-composicao-da-carteira.htm

Candia-Campano, C., Aguirre-González, M., Orellana-Valenzuela, V., & Gaete-Morales, M. (2019). A crise do subprime e seus efeitos sobre a eficiência do setor bancário chileno. Revista de Economía Institucional, 21(41), 187-211.

Christopher, J., Leung, P., & Leong, S. (2017). Can employees be used to overcome independent audit limitations?. Australian Accounting Review, 27(4), 442-456.

Crepaldi, S. A., & Crepaldi, G. S. (2017). Auditoria contábil: teoria e prática. São Paulo: Atlas.

Gambetta, N., Pérez, M. O., Garcia, L. S., & Benau, M. A. G. (2019). Las cuestiones clave de auditoría esperadas en España:¿ son los auditores previsibles? The key audit questions expected in Spain: are the auditors predictable?. Revista de Contabilidad-Spanish Accounting Revi-ew, 22(1), 32-40.

Gil, A. C. (2012). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas. 2012.

Gomes, F. P. (2000). Curso de estatística experimental. Piracicaba: Nobel. 2000.

Gonçalves, F. L. (2018). Parágrafos de principais assuntos um estudo de caso dos relatórios de auditoria das companhias de construção civil negociadas na BM&FBOVESPA. Trabalho de con-clusão de curso de graduação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Gramling, A. A., Rittenberg, L. E., & Johnstone, K. M. (2012). Auditoria. São Paulo: Cengage Learning.

Honigsberg, C. (2019). The case for individual audit partner accountability. Vand. L. Rev., 72, 1871.

Ibracon. (2018). Principais assuntos de auditoria. São Paulo: Instituto dos Auditores Independen-tes do Brasil. Recuperado em 10 maio, 2020, de http://www.ibracon.com.br/sib/gc/upload/1535568131.pdf.

Jensen, M. C., & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, 3(4), 305-360.

Lins, L. S. (2017). Auditoria: uma abordagem prática com ênfase na auditoria externa. São Pau-lo: Atlas.

Liu, J., Wang, Y., & Wu, L. (2011). The effect of guanxi on audit quality in China. Journal of Business Ethics, 103(4), 621-638.

Longo, C. G. (2017). Relatórios de auditoria. São Paulo: Trevisan Editora.

Mahoney, P. G. (2018). Deregulation and the Subprime Crisis. Va. L. Rev., 104, 235.

Marques, V. A., Louzada, L. C., Amaral, H. F., & Souza, A. A. (2018). O poder da reputação: evidências do efeito big four sobre a opinião do auditor. Revista Contemporânea de Contabilida-de, 15(35), 03-31.

Marques, V. A., & Souza, M. K. P. (2017). Principais assuntos de auditoria e opinião sobre o ris-co de descontinuidade: uma análise das empresas do Ibovespa. Revista de Informação Contá-bil, 11(4), 1-22.

Mendes, J. A. & Martins, V. F. (2014). Normas internacionais de auditoria no Brasil: uma análise do nível de entendimento das normas do relatório dos auditores pelos profissionais que atuam na área. Revista de Administração, 12(22), 67-85.

MPF. (2012). MPF denuncia 17 por fraudes contra o sistema financeiro nacional. Recuperado em 15 maio, 2020, de http://www.mpf.mp.br/sp/migracao/sala-de-imprensa-unidadeprsp/noticias_prsp/23-08-12-2013-panamericano-mpf-denuncia-17-por-fraudes-contra-o-sistema-financeiro-nacional.

Mota, P. R., & Martins, V. F. (2018). Novo relatório do auditor independente: uma análise dos principais assuntos de auditoria evidenciados nas empresas do setor aéreo brasilei-ro. RAGC, 6(25), 65-84.

Nascimento, M. N. (2018). Uma análise nos relatórios de auditoria independente das empresas do Bovespa Mais e Novo Mercado do ano de 2014 a 2017. Trabalho de Conclusão do Curso de Ciências Contábeis, Universidade Estadual da Paraíba, Monteiro, Brasil.

NBC TA 570. (2016). NBC TA 570 que dispõe sobre a continuidade operacional. Recuperado em 15 abril, 2020, de http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTA570.pdf.

NBC TA 700. (2016). NBC TA 700 que dispõe sobre a formação da opinião e emissão do relató-rio do auditor independente sobre as demonstrações contábeis. Recuperado em 15 abril, 2020, de http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTA700.pdf

NBC TA 701. (2016). NBC TA 701 que dispõe sobre a comunicação dos principais assuntos de auditoria no relatório do auditor independente. Recuperado em 15 abril, 2020, de http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTA701.pdf

NBC TA 705. (2016). NBC TA 705 que dispõe sobre modificações na opinião do auditor inde-pendente. Recuperado em 15 abril, 2020, de http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTA705.pdf

NBC TA 706. (2016). NBC TA 706 que dispõe sobre parágrafos de ênfase e parágrafos de outros assuntos no relatório do auditor independente. Recuperado em 15 abril, 2020, de http://www1.cfc.org.br/sisweb/SRE/docs/NBCTA706.pdf

Oktay, S., Bozkurt, S., & Şahin, B. Ş. (2018). Investigation Of Studies In The Field Of Key Au-dit Matters By Content Analysis. Uluslararası Turizm, Ekonomi ve İşletme Bilimleri Dergisi (IJTEBS), 2(2), 322-327.

Patrocinio, E. A., Coutinho, R. S., Reina, D. R. M., & Reina, D. (2017). Relatório de Opinião dos Auditores nas Empresas do Novo Mercado: Principais Motivos de Ressalvas e de Parágrafos de Ênfase. RAGC, 5(21).

Pereira, A. D. (2018). Auditoria de demonstrações contábeis: Uma abordagem contábil e jurídi-ca. São Paulo: Saraiva Educação.

Perez Junior, J. H. (2012). Auditoria de demonstrações contábeis: normas e procedimentos. São Paulo: Atlas.

Perovano, D. G. (2016). Manual de metodologia da pesquisa científica. Curitiba: InterSaberes.

Santana, L. R., Silva, F. J., Dantas, J. A., & Botelho, D. R. (2019). Auditoria em bancos: relação entre os assuntos citados em modificação de opinião, ênfase e PAA. Revista Catarinense da Ci-ência Contábil, 18, 1-18.

Santos, A. C. L., Machado, L., & Machado, M. R. R. (2019). Principais assuntos de auditoria (PAA) no contexto goiano. RAGC - Revista de Auditoria, Governança e Contabilidade, 7(28).

Seganfredo, F. B. (2019). Procedimentos utilizados na abordagem dos principais assuntos de auditoria em empresas listadas na B3 S.A. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Silva, A. D. D. L., & Teixeira, B. M. (2017). Novo relatório do auditor independente: Um estudo sobre os principais assuntos de auditoria. Revista Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas, 6(2), 144-173.

Silva, P. S., Bianchi, M., & Venturini, L. D. B. (2018, maio). Principais Assuntos de Auditoria: uma Análise dos Itens do Relatório do Auditor Independente nos Anos de 2016 e 2017. Anais do Congresso de Contabilidade da UFRGS, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, 3.

Vargas, J. M. B., & Bianchi, M. (2019). Principais assuntos de auditoria evidenciados nos setores de utilidade pública e telecomunicações da B3 S/A - Brasil, Bolsa, Balcão. Trabalho de conclusão de curso de graduação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Velte, P., & Issa, J. (2019). The impact of key audit matter (KAM) disclosure in audit reports on stakeholders’ reactions: a literature review. Problems and Perspectives in Management, 17(3), 323-341.