O espontaneísmo da pedagogia da infância versus a diretividade e criticidade da escola unitária: as contribuições de Gramsci para pensar a educação infantil na Rede Municipal de Florianópolis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246252024e0206

Palavras-chave:

escola unitária, Gramsci, pedagogia da infância, currículo, Florianópolis

Resumo

O presente artigo recupera a formulação de Gramsci (1891-1937) sobre a Escola Unitária para problematizar os limites das pedagogias ativas, das quais a Pedagogia da Infância é tributária. Tem como objeto de análise os principais documentos para a primeira etapa da educação básica, que orientam o trabalho pedagógico das professoras e professores da Rede Municipal de Educação (RME) em Florianópolis: Diretrizes Educativas Pedagógicas para a Educação Infantil (2010); Orientações Curriculares para a Educação Infantil Municipal (2012); Currículo da Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino de Florianópolis (2015). A análise desses documentos é realizada à luz das contribuições de Gramsci, essencial revolucionário comunista, que pensou a necessidade da superação da sociedade de classes. Examinou-se a concepção de educação e formação para a educação infantil e os limites da espontaneidade da criança como critério prioritário na organização curricular, em contraposição à diretividade como elemento tático no processo de elevação cultural das massas. Considera-se que o espontaneísmo da criança, por mais sedutor que  pareça, não pode prescindir de uma diretividade ancorada no professor, como aquele que reúne as condições necessárias para socializar o conhecimento científico - via de regra, negado às classes trabalhadoras-, e confrontar o conhecimento espontâneo, folclórico, circunscrito ao senso comum, com vista a promover uma formação crítica à sociedade de classes e que proporcione as condições de formar dirigentes que disputarão a hegemonia por um projeto de sociedade sem classes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia de Souza, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutoranda em Educação pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Mestra em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Rafael Affonso Gaspar, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutorando em Educação na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC.

Mariléia Maria da Silva, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Referências

ARCE, A. Pedagogia da infância ou fetichismo da infância? In: DUARTE, N. (org.). Crítica ao fetichismo da individualidade. Campinas: Autores Associados, 2004. p. 145-168.

ARCE, A.; MARTINS, L. M. (orgs.). Quem tem medo de ensinar na educação infantil? em defesa do ato de ensinar. 4. ed. Campinas: Alínea, 2021.

BANCO MUNDIAL. Aprendizagem para todos: estratégia 2020 para a educação do Grupo

Banco Mundial: resumo executivo. Washington, DC: Banco Mundial, 2011.

DORE, R. Escola nova versus escola unitária: contribuições para o debate. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 24, p. 141-160, 1996.

DORE, R. Pesquisa educacional no Brasil sobre o programa da escola nova. In: GONÇALVES, Luiz Alberto Oliveira (org.). Currículo e políticas públicas. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 63-104.

DUARTE. N. O debate contemporâneo das teorias pedagogicas. In: MARTINS, L. M; DUARTE, N. (orgs.). Formacao de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias [online]. Sao Paulo: Editora UNESP: Cultura Academica, 2010. p. 33- 49. Diponível em: https://books.scielo.org/id/ysnm8. Acesso em: 15 fev. 2024.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pósmodernas da teoria vigotskiana. 5. ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

FLORIANÓPOLIS. Diretrizes educacionais pedagógicas para a educação infantil. Florianópolis: Prelo Gráfica e Editora Ltda., 2010.

FLORIANÓPOLIS. Orientações curriculares para a educação infantil da rede municipal de Florianópolis. Florianópolis: CGP Solutions, 2012.

FLORIANÓPOLIS. Prefeitura Municipal de Florianópolis. Secretaria Municipal de Educação. Currículo da educação infantil da rede municipal de ensino de florianópolis: volume III. Florianópolis: CGP Solutions, 2015.

FLORIANÓPOLIS. Base Nacional Comum Curricular e os documentos da curriculares municipais da educação infantil de Florianópolis: recontextualização curricular. Florianópolis: Secretaria municipal de educação, 2021.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere, volume 1. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere, volume 2. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere, volume 3. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

GUTIERREZ, Laurent. Reinventar uma coesão para garantir a legitimidade de suas propostas de reforma do ensino: o exemplo da Liga Internacional para a Educação Nova (LIEN). Cadernos de História da Educação, Uberlândia, v. 20, e036, 2021. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1982-78062021000100200&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 29 nov. 2023.

LAMARE, F. F. Ser criança” no Brasil para a agenda pós-moderna: proposições e disputas. Germinal: marxismo e educação em debate, Salvador, v. 14, n. 3, p. 384-402, dez. 2022. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/51405. Acesso em: 20 fev. 2024.

LAZARETTI, L.; MELLO, M. Como ensinar na educação infantil? reflexões sobre a didática e o desenvolvimento da criança. Pedagogia Histórico-Crítica legado e perspectivas, Uberlândia, v. 1, p. 123-139, 2018.

LAZARETTI, L. M.; ARRAIS, L.F.L. O que cabe no currículo da educação infantil? um convite à reflexão. Educ. Anál., Londrina, v. 3, n. 2, p. 27-46, jul./dez. 2018.

MANACORDA, M. A. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

MARX, K. O 18 de brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

NETTO, J. P. Economia política: da origem à crítica marxiana. In: NETTO, J. P.; BRAZ, M. Economia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2006. p. 27-40.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Educação 2030 - Declaração de Incheon: rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. Paris: Unesco, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3LuhkJq. Acesso em: 12 fev. 2024.

PASQUALINI, J. C.; LAZARETTI, L. M. Que educação infantil queremos? um manifesto em defesa da educação escolar para crianças pequenas. Bauru: Miraveja, 2022.

PRADO, A. E. F. G; AZEVEDO, H. H. O. de. Currículo para a educação infantil argumentos acadêmicos e propostas de educação para crianças de 0 a 5 anos. In: ARCE, A.; JACOMELI, M.R. M. (org.). Educação infantil versus educação escolar. Campinas: Autores Associados, 2012. p. 33-52.

PRONKO, M. O Banco Mundial no campo internacional da educação. In: PEREIRA, J. M. M.; PRONKO, M. (org.). A demolição de direitos: um exame das políticas do Banco Mundial para a educação e a saúde (1980-2013). EPSJV, Rio de Janeiro, v. 1, p. 89-112, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3oNhW3g. Acesso em: 12 fev. 2022.

MONASTA, A. Antonio Gramsci. Recife: Fundação Joaquim Nabuco: Editora Massangana, 2010.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. 1999. 291 f. Tese (Doutorado em Educação) – Unicamp, Campinas, 1999

SAVIANI, D. Escola e democracia. 44. ed. Campinas: Autores Associados, 2022.

SAVIANI, D. Educação, práxis e emancipação humana. Revista Práxis e Hegemonia Popular, Rio de Janeiro, n. 2, p. 05-20, jul. 2017.

SAVIANI, D. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. rev. Campinas: Autores Associados, 2010.

Downloads

Publicado

2024-07-02

Como Citar

SOUZA, Patrícia de; GASPAR, Rafael Affonso; SILVA, Mariléia Maria da. O espontaneísmo da pedagogia da infância versus a diretividade e criticidade da escola unitária: as contribuições de Gramsci para pensar a educação infantil na Rede Municipal de Florianópolis. PerCursos, Florianópolis, v. 25, p. e0206, 2024. DOI: 10.5965/19847246252024e0206. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/24705. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 2024/2 “As contribuições teórico-metodológicas de Lenin e Gramsci para a educação contemporânea"