Contribuições do Caderno 12 de Antônio Gramsci para a compreensão das disputas político-pedagógicas na educação especial brasileira

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246252024e0205

Palavras-chave:

intelectual orgânico, escola unitária, educação integral, política educacional, educação especial

Resumo

Reconhecemos a contribuição teórica de Antônio Gramsci para compreender os fenômenos sociais do tempo presente. Buscamos refletir a partir da malha categorial proposta pelo autor, especificamente as categorias intelectual orgânico, escola unitária e educação integral, presentes no caderno 12, sobre as propostas de políticas para a educação especial brasileira (2008 e 2020). Apreendemos que as proposições políticas no século XXI para a Educação Especial, apesar de guardarem diferenças entre si, têm em comum não propor uma escola que projete a emancipação humana. A organização dos intelectuais orgânicos da burguesia em torno de um projeto de escola que mantém as desigualdades sociais e educacionais não guarda similaridade com a proposta de escola unitária e de educação integral formuladas por Gramsci. As proposições aqui analisadas difundem um projeto de escola que não tem como função social a elevação cultural das massas, ao contrário, trabalha para promover a subalternidade. O distanciamento dessas proposições políticas da educação integral, como constituinte da escola unitária, parece evidente quando, mais uma vez, a centralidade da educação especial está em técnicas e recursos para o desenvolvimento de habilidades e competências isoladas. Portanto, não estão baseadas em conhecimentos sistematizados pela humanidade que possibilitariam a formação de dirigentes políticos com vistas à transformação social. Concluímos que sua contestação é realizada por um projeto alternativo baseado no aprofundamento da desigualdade de acesso à educação escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Helena Michels , Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutora em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

 

Rosalba Maria Cardoso Garcia, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

 

Referências

ANDRADE, M. C. P. Base Nacional Comum e Novo Ensino Médio: expressões do empresariamento da educação de novo tipo em meio à crise orgânica do capitalismo brasileiro. 2020. Dissertação (Mestrado em Educação)  Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://ppge.educacao.ufrj.br/dissertacoes2020/dMaria%20Carolina%20Pires%20de%20Andrade.pdf. Acesso em: 15 ago. 2023.

ANDRADE, M. C. P.; MOTTA, V. C. O empresariamento da educação de novo tipo e suas dimensões. Educação e Sociedade, Campinas, v. 41, e224423, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1590/ES.224423. Acesso em: 10 dez. 2022.

BARCELOS, L. de G.; GARCIA, R. M. C.; LORENZINI, V. P. Conservadorismo na educação brasileira: a política de educação especial proposta no governo Bolsonaro. In: DANTAS, J. S.; SHIROMA, E. O.; SOUZA, R. D. (orgs.). Crise do capital, conservadorismo e contrarreformas na educação brasileira (2016-2022). São Paulo: Pimenta Cultural, 2023. p. 206-229. Disponível em: https://www.pimentacultural.com/livro/crise-capital. Acesso em: 15 out. 2023.

BOITO JR., A. O caminho brasileiro para o fascismo. Caderno CRH, Salvador, v. 34, p. 1-23, e021009, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.9771/ccrh.v34i0.35578. Acesso em: 12 set. 2022.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva, Brasília, DF: Mec, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 20 abr. 2023.

BRASIL. Minuta em discussão da Política Nacional de Educação Especial: equitativa, inclusiva e ao longo da vida. Brasília, DF: Mec, 2018. Disponível em: https://pnee.mec.gov.br/integra. Acesso em: 10 nov. 2018.

BRASIL. PLANO DE METAS COMPROMISSO TODOS PELA EDUCAÇÃO. Guia prático de ações. Brasília, DF: Mec, 2007? Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/guia_pratico.pdf. Acesso em: 08 mar. 2010.

BRASIL. Lei 12. 796 de 2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2013. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Lei/L12796.htm. Acesso em: 13 out. 2023.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 4 de 2009. Institui as Diretrizes Operacionais para o atendimento educacional especializado. Brasília, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 10 mar. 2022.

BRASIL. Decreto nº 10.502, de 30 de setembro de 2020. Institui a Política Nacional de Educação Especial: equitativa, inclusiva e com aprendizado ao longo da vida. Brasília, DF: Presidência da República, 2020. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.502-de-30-de-setembro-de-2020-280529948#:~:text=DECRETO%20N%C2%BA%2010.502%2C%20DE%2030%20DE%20SETEMBRO%20DE,Inclusiva%20e%20com%20Aprendizado%20ao%20Longo%20da%20Vida. Acesso em: 5 out. 2020.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 9 ago. 2023.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2016. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc95.htm. Acesso em: 03 mar. 2017.

BRASIL. MEC. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: Mec, 2017. Disponível em: index.php (mec.gov.br) Acesso em: 10 out. 2023.

BRUNO, L. Educação e desenvolvimento econômico no Brasil. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 48, p. 545-562, set./dez. 2011. Disponível em: scielo.br/j/rbedu/a/BbvhJPJGSYw9TCWrYS7mfmb/?format=pdf. Acesso em: 29 nov. 2012.

DUARTE, N. A individualidade para si. Autores Associados: Campinas, 1993.

DUARTE, N. Vigotski e o "aprender a aprender": crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2000. 269 p.

DUARTE, N. O currículo em tempos de obscurantismo beligerante. Revista Espaço do Currículo (online), João Pessoa, v. 11, n. 2, p. 139-145, maio/ago. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-1579.2018v2n11.39568. Acesso em: 05 fev.2019.

FENAPAES. APAE educadora: a escola que buscamos: proposta orientadora das ações educacionais. Brasília: FENAPAES, 2001.

FONTES, V. O núcleo central do governo Bolsonaro: o proto-fascismo. Esquerda OnLine, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://esquerdaonline.com.br/. Acesso em: 15 fev. 2019.

GARCIA, R. M. C.; KUHNEN, R. T. Políticas públicas em educação especial em tempos de ditadura: uma análise sobre a concepção de deficiência no Brasil no período 1973-1985. Revista Educação, Pesquisa e Inclusão, Boa Vista, v. 1, n. 1, p. 69-84, 2020. Número especial. Disponível em: https://doi.org/10.18227/2675-3294repi.v1i1.6257. Acesso em: 20 out.2022.

GARCIA, R. M. C.; MICHELS, M. H. Educação e Inclusão: equidade e aprendizagem como estratégias do capital. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 46, n. 3, e116974, 2021. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/2175-6236116974. Acesso em: 10 dez.2021.

GARCIA, R. M. C.; MICHELS, M. H. Política de educação especial e currículo: disputas sobre natureza, perspectiva e enfoque. Revista Teias, Riode Janeiro, v. 19, n. 55, p. 54-70, out./dez. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.12957/teias.2018.37239. Acesso em: xx xxx. xxxx.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere: introdução ao estudo da filosofia: a filosofia de Benedetto Croce. Tradução Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere: os intelectuais: princípio educativo. Jornalismo. Tradução Carlos Nelson Coutinho. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Volume 3: Maquiavel: notas sobre o Estado e a política. Tradução de Luiz Sérgio Henriques, Marco Aurélio Nogueira, Carlos Nelson Coutinho. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

GRANEMANN, S. Fundações estatais: projeto de estado do capital. In: BRAVO, M. I. S.; MENEZES, J. S. (org.). Cadernos de saúde: saúde na atualidade: por um sistema único de saúde estatal, universal, gratuito e de qualidade. 1. ed. Rio de Janeiro: UERJ/Rede Sirius, set. 2011. p. 50-55. Disponível em: http://fopspr.wordpress.com/2008/08/16/texto-sobre-fundacoesestatais-de-direito-privado. Acesso em: 15 mar. 2015.

GRANEMANN, S. Políticas sociais e financeirização dos direitos do trabalho. Revista Em Pauta, Rio de Janeiro, n. 20, p. 57-68, 2007. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/revistaempauta/article/view/159/184. Acesso em: 02 ago 2010.

LEHMKUHL, M. S. A reconfiguração da federação nacional das Apaes (Fenapaes) no estabelecimento da relação entre público e privado nas políticas de educação especial (1974/2016). 2018. Tese (Doutorado em Educação: História, Política e Sociedade) – PUC/SP, São Paulo, 2018. Disponível em: https://repositorio.pucsp.br/jspui/handle/handle/21158. Acesso em: 20 maio 2022.

LIBÂNEO, J. C. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, p. 13-28, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1517-97022011005000001. Acesso em: 18 jun. 2017.

LORENZINI, V. P. Trabalho pedagógico da educação especial: expressões de conformismos e resistências no atendimento educacional especializado na educação escolar. 2022. Tese (Doutorado em Educação)  Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2022. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/241103. Acesso em: 15 jun. 2023.

MARTINS, M. F. Gramsci, educação e escola unitária. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 47, e226099, 2021. https://doi.org/10.1590/S1678-4634202147226099. Acesso em: 25 out. 2022.

MASCARO, A. L. Crítica do fascismo. Boitempo, São Paulo, 2022.

NEVES, M. L. W. (org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

RAFANTE, H. C. Helena Antipoff e o ensino na capital mineira: a Fazenda do Rosário: a educação pelo trabalho de meninos "excepcionais" na década de 1940. Dissertação (Mestrado em Educação)  Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, SP, 2006. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/2405/1178.pdf. Acesso em: 05 mar 2022.

RAFANTE. H. C. Helena Antipoff, as sociedades pestalozzi e a educação especial no Brasil. 2011. Tese (Doutorado em Educação)  Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2261. Acesso em:15 mar. 2015.

SANTOS, R. M. P. A concepção de aprendizagem escolar na política de educação especial na perspectiva da educação inclusiva no Brasil (2008-2016). 2022. Dissertação (Mestrado em Educação)  Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2022. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/236180. Acesso em: 10 dez. 2022.

SEMERARO, G. Intelectuais, educação e escola: um estudo do caderno 12 de Antônio Gramsci. São Paulo: Expressão Popular, 2021.

SILVA, R. H. dos R.; MACHADO, R.; SILVA, R. N. da. Golpe de 2016 e a educação no Brasil: implicações nas políticas de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, v. 19, e019058, 2019. DOI: 10.20396/rho.v19i0.8655755. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8655755. Acesso em: 27 dez. 2020.

SILVA, J. H. da. Federação Nacional das Apaes no Brasil: hegemonia e propostas educacionais (1990-2015). 2017. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017. Disponível em: http://repositorio.ufc.br/handle/riufc/51891. Acesso em: 06 set.2019.

UNESCO. Empowering students with disabilities during the COVID-19 crisis. Cidade: Unesco, 2020.Disponível em: https://bankok.unesco.org/content/empowering-during-covid-19-crisis. Acesso em 09 jun. 2020.

UNESCO. Educação 2030: declaração de Incheon: rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. Paris: Unesco, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3LuhkJq. Acesso em: 12 fev. 2022

UNESCO. Declaração mundial de educação para todos: plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Tailândia: Unesco, 1990. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000086291_por. Acesso em: 12 abr. 2005.

VAZ, K. O projeto de professor para a educação especial: demandas do capital para a escola pública no Século XXI. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/186758. Acesso em: 31 ago. 2018.

Downloads

Publicado

2024-06-27

Como Citar

MICHELS , Maria Helena; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Contribuições do Caderno 12 de Antônio Gramsci para a compreensão das disputas político-pedagógicas na educação especial brasileira. PerCursos, Florianópolis, v. 25, p. e0205, 2024. DOI: 10.5965/19847246252024e0205. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/24660. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê 2024/2 “As contribuições teórico-metodológicas de Lenin e Gramsci para a educação contemporânea"