Aqueles gramados acolhedores - Memórias futebolísticas de um processo de construção de identidade social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246242023e0314

Palavras-chave:

futebol, segregação, memória, identidade, questão racial

Resumo

Este artigo se propõe a demonstrar a importância do futebol como forma de organização de identidades num bairro pobre da periferia de Porto Alegre – RS, a Restinga. Na pesquisa se verificou que as práticas em torno deste esporte foram uma significativa contribuição na luta contra a segregação social e racial neste bairro. Viu-se a importância da memória como fator de articulação de identidades e evocação de práticas de lutas sociais antirracistas que ocorreram em outros tempos e territórios, mas com forte influência cultural na vida cotidiana da população de trabalhadores/moradores da Restinga.  A pesquisa de campo foi desenvolvida através de entrevistas com diversos sujeitos que fizeram parte do processo de apropriação do território deste bairro através do futebol. Também foram feitas caminhadas etnográficas e observação de jogos.  Na primeira parte há uma breve descrição das características da Restinga e do processo de segregação que deu origem a este território e, em seguida, se descreve a histórica luta da população negra da cidade pelo direito a organizar times de futebol e como este processo se relaciona coma Restinga. Finalizando, se apontam as complexas relações entre os protagonistas e os desdobramentos e lacunas que se logrou observar a partir da pesquisa. O direito à cidade, entendido de forma ampla, também deve incorporar a possibilidade dos trabalhadores e moradores da periferia produzirem cultura e serem protagonistas da construção de suas identidades. Na Restinga, o futebol foi um dos veículos desta afirmação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Carlos Ribeiro Stephanou, Universidade de Santa Cruz do Sul

Mestre e Doutorando em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC.

Rogério Leandro Lima da Silveira, Universidade de Santa Cruz do Sul

Doutor em Geografia Humana pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC.

Referências

ALORALDO, Vanelise de Paula; NUNES, Cíntia Florence. Tráfico de drogas e precarização das juventudes: juvenicídio nas periferias da capital. In: SCHERER, Giovane Antonio (org.). Juvenicídio, território e políticas públicas: rastros de sangue na cidade de Porto Alegre. Porto Alegre: Cirkula, 2022. p. 235-266.

ARAUJO, Neila Prestes de. Vilas de malocas e bairro Restinga: a versão dos removidos sobre o plano de confinamento em vila de transição – Eugenia na Porto Alegre de 1967-1970. In: ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA, 14., 2018, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: ANPUH/RS, 2018. p. 01-16.

BAIBICH, André. Tesourinha, o Garrincha colorado. Revista do Inter., Porto Alegre, p. 07, mar. 2007.

CECONELLO, Douglas. A liga dos canelas pretas: o histórico campeonato dos clubes negros de Porto Alegre. In: BLOG MEIA ENCARNADA, [s. l.], 14 jun. 2017.

DIEESE. Juventudes no mercado de trabalho de Porto Alegre: uma análise dos anos 2000. Porto Alegre: Prefeitura Municipal de Porto Alegre – PMPA, 2013.

FRANCO JR., Hilário. Dando tratos à bola: ensaios sobre futebol. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

FRÖHLICH, Gabriela. Esporte e cidadania: bairro Restinga, em Porto Alegre. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Socias) − Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Pontifícia Universidade Católica (PUCRS), Porto Alegre, 2006.

FUGEIRA, José. Um disparate sportivo que não deve prosseguir: carta aberta ao Presidente da República. Diário da Noite, Rio de Janeiro, p. 03-04, 7 maio 1940.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Women and football in Brazil: discontinuities, resistance, and resilience. Revista Movimento [online], Revista de Educação Física da UFRGS, Porto Alegre, v. 27, e27001, 2021.

HELAL, Ronaldo; SOARES, Antonio Jorge Gonçalves; LOVISOLO, Hugo. A invenção do país do futebol: mídia, raça e idolatria. Rio de Janeiro: Mauad, 2001.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

MENDONÇA, Carlos Magno Camargos; MENDONÇA, Felipe Viero Kolinski Machado. Ô bicharada, toma cuidado: o bolsonaro vai matar viado! cantos homofóbicos de torcidas de futebol como dispositivos discursivos das masculinidades. Galáxia,, [online], São Paulo, n. 46, 2021.

RIBEIRO, Luiz Carlos; SOUZA, Jhonatan Uewerton. O futebol na proposta autoritária e corporativista da Era Vargas (1930-1945). Revista Topoi [online], [s. l.], v. 22, n. 46, p. 160-181, 2021.

RUIZ RODRÍGUEZ, Marcos. Las caras de la memoria. Madrid: Pearson Educación, 2004.

SANTOS, José Antonio dos. Liga da canela preta: a história do negro no futebol. Porto Alegre: Diadorim, 2018.

TOLEDO, Luiz Henrique de. Antijogo: considerações em torno de uma categoria da diferença. Horizontes Antropológicos [online], v. 26, n. 56, p. 255-291, 2020.

VIEIRA, Daniele Machado. Territórios negros em Porto Alegre/RS (1800-1970): geografia-histórica da presença negra no espaço urbano. 2017. Dissertação (Mestrado em Geografia) − Faculdade de Geografia, UFRGS, Porto Alegre, 2017.

Downloads

Publicado

2023-12-20

Como Citar

STEPHANOU, Luis Carlos Ribeiro; SILVEIRA, Rogério Leandro Lima da. Aqueles gramados acolhedores - Memórias futebolísticas de um processo de construção de identidade social. PerCursos, Florianópolis, v. 24, p. e0314, 2023. DOI: 10.5965/19847246242023e0314. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/23299. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “Questão Urbana, os sujeitos dos territórios populares e a luta pelo direito à cidade”