Subsídios teóricos e metodológicos para elaboração de diagnósticos situacionais: o envelhecimento humano em foco

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246242023e01117

Palavras-chave:

envelhecimento, diagnóstico situacional, indicadores de monitoramento, gestão

Resumo

O presente artigo apresenta alguns subsídios teóricos e metodológicos para a realização de diagnósticos situacionais no contexto do envelhecimento humano. Trata-se de um estudo de natureza social e descritiva, contemplando uma proposta de sistematização teórico-metodológica sobre diagnóstico situacional, seguido de relatos de experiência de diagnósticos situacionais realizados no Brasil e em Portugal. Demonstrou-se a importância das evidências – informações públicas e indicadores sociodemográficos e de saúde, bem como o emprego potenciais estratégias de escuta de atores sociais (pessoas idosas, trabalhadores e gestores). Evidencia-se ainda relevância de diagnósticos qualificando a tomada de decisões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wilson José Alves Pedro, Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

Pós-Doutorado pelo Instituto do Envelhecimento – Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa - Portugal. Professor Associado ao Departamento de Gerontologia da Universidade Federal de São Carlos – UFSCar.

Referências

BECKER, Howard S. Falando da sociedade: ensaios sobre as diferentes maneiras de representar o social. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 310 p.

CABRAL, Manuel Villaverde (coord.). Processos de envelhecimento em Portugal: usos do tempo, redes sociais e condições de vida. Lisboa (Portugal): Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2013. 370 p.

CARVALHO, Marilia Sá et al. Inquérito de saúde na esfera local: colocando em prática. Rio de Janeiro, Fiocruz, 2016. 141p.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. São Paulo, Nova Fronteira, [1988]. 1499 p.

FERREIRA, Pedro Moura; MOREIRA, Amílcar; AZEVEDO, Alda. O envelhecimento ativo em Portugal através do Active Ageing Index e do AgeWach Index. [Lisboa]: Universidade de Lisboa: Instituto do Envelhecimento, 2017. Policy Brief.

FIALHO, Joaquim et al. Diagnóstico social: teoria, metodologias e casos práticos. Lisboa: Silabo, 2017. 343 p.

HELPAGE International. Global Age Watch Index 2018: insight report. [S.l.]: Helpage International, 2018. Disponível em: http://www.helpage.org/global-agewatch/. Acesso em: 12 maio 2020.

JANUZZI, Paulo de Martino. Considerações sobre o uso, mau uso e abuso dos indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas municipais. Revista da Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 36, n. 1, p. 51-72, jan./fev. 2002. Disponível em: https://saude.es.gov.br/Media/sesa/Descentraliza%C3%A7%C3%A3o/Jannuzzi_2012.pdf. Acesso em: 17 jul. 2022.

MARTINS, Gilberto de Andrade; THEOPHILO, Carlos Renato. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 207. 225 p.

ORGANIZAÇÃO das Nações Unidas e ONG Vida Humana Internacional. 2018; Disponível em: https://super.abril.com.br/comportamento/quantas-pessoas-nascem-no-mundo/ Acesso em: 28 mar. 2020.

ORGANIZAÇÃO das Nações Unidas. Policy brief: the impact of COVID – 19 on older persons. [Washington, DC]: United Nations, May 2020. Disponível em: https://unsdg.un.org/sites/default/files/2020-05/Policy-Brief-The-Impact-of-COVID-19-on-Older-Persons.pdf Acesso em: 02 maio 2020.

PEDRO, Wilson Jose Alves. A história de cada um, a história de todos nós. São Paulo: Livro Pronto, 2011. 227 p.

PEDRO, Wilson José Alves. Reflexões sobre a promoção do envelhecimento ativo. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 16, n. 5, p. 9-32, set. 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/18506/13699. Acesso em: 01 ago. 2022.

PEDRO, Wilson; José Alves Pedro. Relatório técnico de investigação: estratégia de promoção do envelhecimento ativo através do Trabalho. Lisboa: Universidade de Lisboa, Instituto de Ciências Sociais, Instituto do Envelhecimento; São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2014.

PEDRO, Wilson José Alves (ed.). Kairós gerontologia: envelhecimento ativo e velhice. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Saúde, São Paulo, v. 18, n. 19, p. 31-47, 2015. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/27084/0. Acesso em: 01 ago. 2022.

PEDRO, Wilson José Alves. Processos de envelhecimento em Portugal: usos do tempo, redes sociais e condições de vida. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 16, p. 331-334, 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/18555 Acesso em: 01 ago. 2022.

PEDRO, Wilson José Alves. Análisis de las estrategias de promoción del envejecimiento activo através del trabajo en el contexto brasileño. Revista Eletrônica de Educación Especial y Familia, Tlaxcala (México), 2018. Disponível em: https://integra2.fcdh.uatx.mx/assets/integra2_enero_junio_2018.pdf. Acesso em: 01 ago. 2022.

PEDRO, Wilson José Alves et al. Access and Use of Information and Communication Technologies to Promote Active Ageing: For What? For Who? In: PEREIRA NETO, André; FLYNN, Matthew B. (org.). The internet and health in Brazil: challenges and trends. 1st ed. Chan, Switezerland: Springer Nature Switzerland, 2019. p. 141-161.

PEDRO, Wilson José Alves; FERREIRA, Pedro Moura. Indicadores de monitoramento do envelhecimento humano na América do Sul. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 19., 2019, Florianópolis. Anais [...]. [S.l.]: SBS, [2019]. Disponível em: https://www.sbs2019.sbsociologia.com.br/. Acesso em: 01 ago. 2022.

SANT’ANNA, Cynthia Fontella et al. Comunidade: objeto coletivo do trabalho das enfermeiras da Estratégia Saúde da Família. Acta Paul Enferm., São Paulo, v. 24, n. 3, p. 341-47, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ape/v24n3/06.pdf. Acesso em: 20 abr. 2020.

SANTAGADA, Salvatore. Indicadores sociais: uma primeira abordagem social e histórica. Pensamento Plural, Pelotas, n. 1, p. 113-142, jul./dez. 2007. Disponível em: http://pensamentoplural.ufpel.edu.br/edicoes/01/06.pdf. Acesso em: 21 fev. 2018.

SANTAGADA, Salvatore. Indicadores sociais: contexto social e breve histórico. Indicadores Econômicos, [s.l.], v. 20, n. 4, p. 245-255, 1993. Disponível: https://revistas.fee.tche.br/index.php/indicadores/article/viewFile/758/1013. Acesso em: 21 fev. 2018.

SOLIGO, Valdecir. Indicadores: conceito e complexidade do mensurar em estudos de fenômenos sociais. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 23, n. 52, p. 12-25, maio/ago. 2012. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1724/1724.pdf. Acesso em: 21 fev. 2018.

VERAS, Renato; DUTRAS, Sidney. Perfil do idoso brasileiro: questionário BOAS. Rio de Janeiro: UERJ; Unati, 2008. 98 p.

WALKER, Alan. A strategy for active ageing. International Social Security Review, Geneva, Switzerland, v. 55, n. 1, p. 121-140, 2002.

WHO. World Health Organization. Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Brasília, DF: OPAS; 2005. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf. Acesso em: 23 abr. 2018.

Downloads

Publicado

2023-06-15

Como Citar

PEDRO, Wilson José Alves. Subsídios teóricos e metodológicos para elaboração de diagnósticos situacionais: o envelhecimento humano em foco. PerCursos, Florianópolis, v. 24, p. e0117, 2023. DOI: 10.5965/19847246242023e01117. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/22712. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “A multidimensionalidade das velhices: perspectivas do envelhecimento nas agendas do século XXI”