“Sertão velho de idades”: percepções sobre o envelhecimento da população sertaneja na Serra do Cabral, Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246242023e0105

Palavras-chave:

sertão, territorialização, modernização, envelhecimento, gênero

Resumo

A partir de pesquisa na zona rural do norte de Minas Gerais, este artigo examina a conexão entre a territorialização imposta pela modernização no sertão e as condições de envelhecimento de seus habitantes, na intenção de analisar criticamente a descartabilidade da pessoa idosa no mundo contemporâneo. Baseando-se em pesquisas de campo, entrevistas e análise bibliográfica entremeadas pela leitura de Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa, discute-se como se dá o envelhecimento em territórios marginalizados pelo movimento econômico, resgatando pela memória dos entrevistados a historicidade sertaneja e suas sociabilidades como forma de resistência, colapso ou adaptação à homogeneização econômica. Como resultado, foram apresentados modos particulares de existência e de percepção do sertão, induzindo à urgência de outro tratamento à pessoa idosa, integrando-a aos debates e projetos que vislumbram uma sociedade mais generosa com os seus velhos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suelen Rosa Pelissaro, Instituto Federal de São Paulo - IFSP

Doutora em Geografia pela Universidade de São Paulo - USP. Professora da Instituto Federal de São Paulo - IFSP.

Referências

ABATISTA, Eraldo; LIMA, Rosilda. “Se eu tivesse estudo eu não tinha sofrido tanto”: saberes e memórias de idosos analfabetos. Revista Educação e Emancipação, São Luís, v. 12, n. 2, p. 119-144, maio/ago. 2019.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BIGOSSI, Fabiela. Envelhecimento e religiosidade: a sociabilidade construída através da fé. Revista Nures, São Paulo, Ano X, n. 27, p. 1-7, maio/ago. 2014.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Taq, 1979.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2006.

MARX, Karl. O 18 de brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, 2011.

PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Brasiliense, 2006.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

SOUZA, Thaís Batoni Gonçalves de. Religiosidade e envelhecimento: panorama religioso dos idosos do município de São Paulo – Estudo SABE. Orientador: Yeda Duarte. 2011. 102 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

URBAN, Andreas. Velhice (envelhecimento) e dissociação-valor: linhas gerais para uma teoria crítica da velhice e do envelhecimento na sociedade produtora de mercadorias. O Beco, Lisboa, abr. 2018. Disponível em: http://www.obeco-online.org/andreas_urban1.pdf. Acesso em: 12 jun. 2021.

Downloads

Publicado

2023-05-09

Como Citar

PELISSARO, Suelen Rosa. “Sertão velho de idades”: percepções sobre o envelhecimento da população sertaneja na Serra do Cabral, Minas Gerais. PerCursos, Florianópolis, v. 24, p. e0105, 2023. DOI: 10.5965/19847246242023e0105. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/22642. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “A multidimensionalidade das velhices: perspectivas do envelhecimento nas agendas do século XXI”