Avaliação do geossítio da Praia do Atalaia (Pará, Brasil): proposta de sítio paleontológico na Amazônia Oriental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724623522022308

Palavras-chave:

geopatrimônio, avaliação quantitativa, geossítio, geodiversidade, Salinópolis

Resumo

A Praia do Atalaia, localizada no município de Salinópolis, nordeste do estado do Pará, é um local onde ocorrem abundantes registros paleontológicos. Contudo, apesar de estudados há décadas, tais registros não são reconhecidos formalmente pelas instituições de proteção do patrimônio, tornando difícil as medidas de conservação voltadas aos afloramentos fossilíferos na praia. Nesse contexto, o presente estudo objetivou avaliar quantitativamente os valores do geopatrimônio da Praia do Atalaia. Para isso, utilizou-se a plataforma online GEOSSIT, que é o Sistema de Cadastro e Quantificação de Geossítios e Sítios da Geodiversidade do Brasil. Obteve-se os valores de 305 para o risco de degradação, 170 para o valor científico, 300 para o valor educativo e 275 para o valor turístico. O sítio paleontológico foi classificado como Sítio de Geodiversidade, possuindo elevado potencial educativo e turístico. A quantificação dos registros paleontológicos da Praia do Atalaia constitui um dos primeiros passos para o reconhecimento do geopatrimônio, garantindo assim que medidas diversas de geoconservação possam ser aplicadas, preservando o patrimônio de importância geológica da Amazônia Oriental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Barbara Alves Sepulvreda, Universidade Federal do Pará - UFPA

Mestranda em Ciências Ambientais na Universidade Federal do Pará - UFPA.

Sue Anne Regina Ferreira da Costa, Universidade Federal do Pará – UFPA

Doutora em Geologia e Geoquímica pela Universidade Federal do Pará – UFPA. Professora da Universidade Federal do Pará – UFPA.

Aline Maria Meiguins de Lima, Universidade Federal do Pará - UFPA

Doutora em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido pela Universidade Federal do Pará - UFPA. Professora da Universidade Federal do Pará - UFPA.

Referências

AGUILERA, Orangel; MORAES-SANTOS, Heloisa; COSTA, Sue; OHE, Fumio; JARAMILLO, Carlos; NOGUEIRA, Afonso. Ariid sea catfishes from the coeval Pirabas (Northeastern Brazil), Cantaure, Castillo (Northeastern Venezuela), and Castilletes (North Colombia) formations (early Miocene), with description of three new species. Swiss J palaeontol., [s.l.], v. 132, p. 45-68, 2013.

AGUILERA, Orangel; PAES, Eduardo Tavares. The Pirabas formation (early Miocene from Brazil) and the tropical Western Central Atlantic Subprovince. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Nat., Belém, v. 7, n. 1, p. 29-45, 2012.

BARBOSA, Maria Marta. Moluscos miocênicos de Gerôncio, rio Urindeua e farol do Atalaia (estado do Pará). Boletim do Museu Nacional, Nova Série Geologia, Rio de Janeiro, n. 28 p. 1-27, 1958.

BORBA, André Weissheimer. Geodiversidade e geopatrimônio como bases para estratégias de geoconservação: conceitos, abordagens, métodos de avaliação e aplicabilidade no contexto do Estado do Rio Grande do Sul. Pesquisas em Geociências, Porto Alegre, v. 38, n. 1, p.3-13, jan./abr. 2011.

BORBA, André Weissheimer; SELL, Jaciele Carine. Uma reflexão crítica sobre os conceitos e práticas da geoconservação. Geographia Meridionalis, Pelotas, v. 4, n. 2, p.02-28, jan./jun. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação. Base Nacional Curricular Comum. Brasília, DF: MEC, SEB. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf . Acesso em: 27 mar. 2021.

BRILHA, José. Inventory and quantitative assessment of geosites and geodiversity sites: a review. Geoheritage, Heidelberg, v. 8, n. 2, p.119-134, jun. 2015.

BRILHA, José. Património geológico, geoconservação: a conservação da natureza na sua vertente geológica. Braga, Portugal: Palimage, 2005.

CARMO, D. A.; CARVALHO, I. S.; SANTUCCI. R. M.; SILVA. M. A. Jazigos Fossilíferos do Brasil: legislação e cooperação científica internacional. In: CARVALHO, I. S. (org.) Paleontologia: métodos e conceitos. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2010. v. 1. p. xx-xx.

CARTA DE DIGNE. Declaração Internacional dos Direitos à Memória da Terra, 13 de junho de 1991- Digne- Les- Bains, França. 1991. Disponível em: http://sigep.cprm.gov.br/. Acesso em: 01 fev. 2018.

CASTRO, Aline Rocha de Souza Ferreira; MANSUR, Katia Leite; CARVALHO, Ismar de Souza. Diagnóstico da relação da comunidade com o patrimônio geológico por meio de instrumento de coleta de dados. Terrae Didatica, Campinas, v. 11, n. 3, p. 162- 172, 2015.

CASTRO, Aline Rocha de Souza Ferreira; MANSUR, Katia Leite; CARVALHO, Ismar de Souza. Reflexões sobre as relações entre geodiversidade e patrimônio: um estudo de caso. Terr@ Plural, Ponta Grossa, v. 12, n. 3, p.383-403, 2018.

CHOAY, François. A alegoria do patrimônio. 3. ed. São Paulo: Editora Estação Liberdade, 2006.

CONCEIÇÃO, Mario Marcos Moreira; SILVA, Ana Claudia Sousa.; SOUZA, Ruana Regina Negrão; BARROS, Estefani Danielle Araujo; PEREIRA, Lucimar Costa; DE SÁ, Raissa Jennifer Silva; CRUZ, Milla Cristina Santos; MIRANDA, Ayla Fernanda Muniz; MOREIRA, Samya de Freitas.; PEREIRA JÚNIOR, Antônio. Avaliação de impactos ambientais na praia do Atalaia, Salinópolis – PA. Braz. J. Anim. Environ. Res., Curitiba, v. 1, n. 2, p. 449-458, 2018.

COSTA, Sue Anne Regina Ferreira; RICHTER, Martha; TOLEDO, Peter Mann; MORAES-SANTOS, Heloisa M. Shark teeth from Pirabas Formation (Lower Miocene), northeastern Amazonia, Brazil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Nat., Belém, v. 4, n. 3, p. 221-230, 2009.

CPRM. Serviço Geológico do Brasil. Geossit: cadastro de sítios geológicos. [S.l., 20--]. Disponível em: http://www.cprm.gov.br/geossit . Acesso em: 24 jun. 2021.

CPRM. Geologia e recursos minerais do Estado do Pará: mapas geológico e tectônico e de recursos minerais do Estado do Pará. Belém: Serviço Geológico do Brasil - CPRM, 2008. 1 mapa. Escala 1: 1.000.000.

DELPHIM, Carlos. O patrimônio natural no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), 2004.

GARCIA-CORTÉS, Angel; URQUÍ, Luis Carcavilla. Documento metodológico para la elaboracion del inventario espanñol de lugares de interés geológico (IELIG). Madrid: Instituto Geológico y Minero de España, 2009.

GRAY, Murray. Geodiversity: valuing and conserving abiotic nature. 1. ed. Chichester, England: John Wiley & Sons, 2004.

GREGÓRIO, Aderson Manoel da Silva.; MENDES, Amilcar Carvalho; BUSMAN, Debora Vieira. Morfodinâmica da Praia do Atalaia – Salinópolis/Pará. [S.l.], 2005. Disponível em: http://www.abequa.org.br/trabalhos/0013_aderson_abequa2005.pdf . Acesso em: 7 jan. 2021.

IBGE. Sistematização das informações sobre recursos naturais: Brasília: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 2009. Geomorfologia. Escala 1: 250.000.

IBGE. Malha municipal. Brasília: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, 2020. 1 Mapa. Escala 1: 250.000.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2019. 57 p.

MEIRA, Suedio Alves. Subsídios ao planejamento e propostas de promoção do geopatrimônio do Parque Nacional de Ubajara, Ceará, Brasil. 2020. 332 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2020.

MEIRA, Suedio Alver; ARNEDO, Maria Teresa Echeveria; NASCIMENTO, Marcos Antonio Leite do; SILVA, Edson Vicente. O potencial educativo do patrimônio geológico: estudo sobre o sítio do Bosco. Geosaberes, Fortaleza, v. 11, p. 162-179, 2020.

MENDES, Antonio Rosa. O que é patrimônio cultural? 1. ed. Olhão: Editora Gente Singular, 2012.

MORAES-SANTOS, Heloisa Maria; VILLANUEVA, Jean Bocquentin; TOLEDO, Peter Mann de. New remains of a gavialoid crocodilian from the late Oligocene-early Miocene of the Pirabas Formation, Brazil. Zoological Journal of the Linnean Society, Londres, v. 163, p. 132-139, 2011.

MOURA FÉ, Marcos Martins; PINHEIRO, Monica Virna Aguiar; JACÓ, Dionizia de Melo; OLIVEIRA, Bruna Almeida de. Geoeducação: a educação ambiental aplicada na geoconservação. In: SEABRA, G. (org.). Educação Ambiental & Biogeografia. Ituiutaba: Barlavento, 2016. v. 2. p.829-842.

NIETO, L. M. Geodiversidad: propuesta de uma definión integradora. Boletín Geológico y Minero, Madrid, v. 112, n. 2, p. 3-12, 2001.

PARÁ. Lei N°8.624, de 23 de maio de 2018. Declara e reconhece como de utilidade pública para o estado do pará, o sindicato dos trabalhadores em transportes rodoviários do estado do Pará. Diário Oficial, Belém, n. 33624, p. 5, 24 maio 2018. Disponível em: https://ideflorbio.pa.gov.br/wp-content/uploads/2019/01/Decreto_Cria%C3%A7%C3%A3o_MNAtalaia-1.pdf . Acesso em: 14 jan. 2021.

PARÁ. Departamento de Patrimônio Histórico Artístico e Cultural – DPHAC. Patrimônio Cultural Tombado: demais municípios. [Belém]: Secretaria de Estado de Cultura (SECULT), 2015. Disponível em: https://aedmoodle.ufpa.br/pluginfile.php/175047/mod_page/content/12/Listagem%20Bens%20Tombados%20Demais%20Municipios%20%202012.pdf . Acesso em: 1 jul. 2020.

PEREIRA, Danilo Celso. A natureza como patrimônio cultural: entre o conceito e a prática federal de preservação. Revista Memorare, Tubarão, v. 4, n. 1, p. 120-145, jan./abr. 2017.

RANIERI, Leilanhe Almeida; EL-ROBRINI, Maãmar. Condição oceanográfica, uso e ocupação da Costa de Salinópolis (Setor Corvina – Atalaia), Nordeste do Pará, Brasil. Revista de Gestão Costeira Integrada, v. 16, n. 2, p. 133-146, 2016a.

RANIERI, Leilanhe Almeida; EL-ROBRINI, Maãmar. Evolução da linha de costa de Salinópolis, nordeste do Pará, Brasil. Pesquisas em Geociências, v.42, n.3, p.207-226, 2015.

RANIERI, Leilanhe Almeida; EL-ROBRINI, Maãmar. Quantificação de sedimentos transportados por correntes nas praias oceânicas de Salinópolis, nordeste do Pará, Brasil. Geociências – UNESP, [São Paulo], v. 35, n. 3, p. 457-471, 2016b.

ROSSETTI, Dilce de Fátima; GÓES, Ana Maria; SOUZA, Lena Barata. Estratigrafia da sucessão sedimentar Pós-Barreiras (zona Bragantina, Pará) com base em radar de penetração do solo. Brazilian Journal of Geophysics, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 113-130, 2001.

SALINÓPOLIS. Plano Diretor Participativo de Salinópolis, PA: Lei Municipal nº 2.896/2018. [Salinópolis: Prefeitura Municipal], 2018. Disponível em: http://www.camarasalinopolis.pa.gov.br/arquivos/52/_0000001.pdf . Acesso em: 01 jul. 2020.

SCHOBBENHAUS, Carlos; BERBERT-BORN, Mylene. Geossit: cadastro de sítios geológicos. Serviço Geológico do Brasil. [S.l.]: CPRM, 2022. Disponível em: http://www.cprm.gov.br/geossit. Acesso em: 17 fev. 2022.

SCIFONI, Simone. A construção do Patrimônio Natural. 2006. 294 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006a.

SCIFONI, Simone. Os diferentes significados do Patrimônio Natural. Diálogos, Cuiabá: DHI/PPH/UEM, v. 10, n. 3, p. 55-78, 2006b.

SIGEP. Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos. Inventário de Geossítios do Brasil. [S.l.], 2015. Disponível em: http://sigep.cprm.gov.br/Lista_Geral_Sitios_e_Propostas.pdf. Acesso em: 28 jan. 2021.

SILVA, Camila Neves; COSENZA, Angélica. Paleontologia e educação ambiental: possibilidades e desafios para o ensino e a justiça ambiental. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 10., 2019, São Cristóvão. Anais [...]. São Cristóvão: [s.n.], 2019.

SILVA, Leonardo Souza; COSTA, Sue Anne Regina Ferreira da. Uma proposta de fomento a salvaguarda do patrimônio paleontológico da Praia do Atalaia, Salinópolis, Pará, Brasil. Ver. Iberoam. Patrim. Histórico-Educativo, Campinas, v. 5, p. 1-29, 2019.

SOUZA, Geisa Bethania Nogueira de; ROCHA, Gilberto de Miranda. Ordenamento territorial na Ilha do Atalaia, Salinópolis (PA): uma análise a partir dos diferentes trechos de ocupação. Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Pará (IHGP), Belém, v. 5, n. 1, p. 137-151, 2018.

TÁVORA, Vladimir de Araujo; FERNANDES, Antonio Carlos Sequeira; FERREIRA, Candido Simões. Ilha de Fortaleza: expressivo registro do Cenozóico marinho brasileiro. [S.l.]: SIGEP 46, 2002. Disponível em: www.sigep.cprm.gov.br/sitios Acesso em: 20 ago. 2021.

TÁVORA, Vladimir de Araujo.; MONTEIRO, Debora Barroso; GOMES, Iolanda Clara do Carmo. Systematic review of brazilian nautiloidea cephalopods. Paleontología mexicana, Cidade do México, v. 8, n. 1, p. 1-16, 2019.

TÁVORA, Vladimir de Araujo; SANTOS, Andre Augusto Rodrigues.; ARAÚJO, Raphael Neto. Localidades fossilíferas da Formação Pirabas (Mioceno Inferior). Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi Ciências Naturais, Belém, v. 5, n. 2, p. 207-224, 2010.

TÁVORA, Vladimir de Araujo; SILVEIRA, Eric Sandro Ferreira da.; MILHOMEM NETO, João Marinho. Mina B-17, Capanema-PA: expressivo registro de uma Paleolaguna do Cenozóico brasileiro. [S.l.]: SIGEP 121, 2007. Disponível em: www.sigep.cprm.gov.br/sitios . Acesso em: 01 jan. 2021.

TOLEDO, Peter Mann de; McDONALD, H. G.; SOUZA FILHO, J. P.; ROSSETTI, Dilce de Fátima. Contribuição para a paleontologia do estado do Pará: presença de crocodilia na Formação Pirabas, Mioceno Inferior. Bol. Mus. Emilio Goeldi Ciências da Terra, Belém, v. 9, p. 107-113, 1997.

XAFI DA SILVA, Jorge João.; TEIXEIRA, Sheila Gatinho; FONSECA, Dianne Danielle Farias (orgs.) Geodiversidade do Estado do Pará: programa de geologia do Brasil: levantamento da geodiversidade. Belém: CPRM – Serviço Geológico do Brasil, 2013.

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

SEPULVREDA, B. A.; COSTA, S. A. R. F. da; LIMA, A. M. M. de. Avaliação do geossítio da Praia do Atalaia (Pará, Brasil): proposta de sítio paleontológico na Amazônia Oriental. PerCursos, Florianópolis, v. 23, n. 52, p. 308 - 331, 2022. DOI: 10.5965/1984724623522022308. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/21344. Acesso em: 29 set. 2022.