A formação socioespacial de Florianópolis e a atividade artesanal da renda de bilros

Autores

  • José Messias Bastos Universidade Federal de Santa Catarina Professor Adjunto
  • Edson de Morais Machado Universidade Federal de Santa Catarina
  • Karine Domingos Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724619412018289

Resumo

Florianópolis, capital catarinense, tem sua formação socioespacial atrelada à chegada dos europeus ao continente americano, desenvolvendo-se mais precisamente a partir do século XVI, quando embarcações que demandavam à Bacia do Prata (cuja desembocadura localiza-se no atual Paraguai) aportavam na Ilha de Santa Catarina para abastecerem-se de água e víveres. A cidade tornou-se território estratégico para apoiar a vanguarda portuguesa localizada no Prata, junto à colônia de Sacramento e assegurar, sob domínio português, o Brasil Meridional. Essa situação teve como consequência a necessidade de povoamento do referido território, objetivando a consolidação do poder da Coroa Portuguesa. No último quarto do século XVI, a ilha começa efetivamente a ser povoada, recebendo fluxo de imigrantes vicentistas e paulistas. Entretanto, em meados do século seguinte, esse fluxo migratório inicial regrediu, tendo permanecido na ilha pouco mais de uma centena de europeus. Posteriormente, a ilha de Florianópolis recebe um segundo fluxo migratório diferenciado, imprimindo um dinamismo socioeconômico e uma organização regional bastante peculiar. Assim, as reflexões aqui apresentadas contêm elementos para uma melhor compreensão da evolução histórica da formação socioespacial de Florianópolis e região. Esse enfoque procura contemplar as múltiplas determinações de ordem natural, social, econômica e cultural, responsáveis pela singularidade dessa formação regional e que serão de fundamental importância para o desenvolvimento e a permanência de uma das mais tradicionais atividades artesanais da região, a renda de bilros.

Palavras-chave: Evolução Social. Colonização Portuguesa. Florianópolis, SC. Rendas de Bilros.

Biografia do Autor

José Messias Bastos, Universidade Federal de Santa Catarina Professor Adjunto

Doutor em Geografia USP

Professor adjunto do curso de Geografia UFSC

Edson de Morais Machado, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Geografia UFSC

Doutorando PPGGeo UFSC

 

Karine Domingos, Universidade Federal de Santa Catarina

Graduanda do Curso de Geografia 

Laboratório de Estudos Urbanos e Regionais

Downloads

Publicado

2019-03-11

Como Citar

Bastos, J. M., Machado, E. de M., & Domingos, K. (2019). A formação socioespacial de Florianópolis e a atividade artesanal da renda de bilros. PerCursos, 19(41), 289 - 307. https://doi.org/10.5965/1984724619412018289