Projeto éfeito de papel: trabalho, renda e identidade entre usuários da rede de atenção à saúde mental

Autores

  • Giselli Avíncula Campos Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Belford Roxo/RJ.

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724618362017233

Resumo

O presente artigo, a partir da discussão mais geral sobre o movimento conhecido como Reforma Psiquiátrica, objetiva discutir sobre o projeto “éfeito de papel” (EP), realizado pelo Instituto Franco Basaglia através da promoção de oficinas de geração de trabalho e renda para usuários da rede de saúde mental da cidade do Rio de Janeiro. Trata-se de observar de que maneira esse projeto buscou atender umas das principais demandas de usuários e familiares no que se refere à inserção no mercado de trabalho. Essa pesquisa foi desenvolvida por meio de trabalho etnográfico, pesquisa bibliográfica, consulta documental e entrevistas semiestruturadas. Observamos que ações dirigidas como o "projeto éfeito de papel", promovem novas possibilidades de (re)construção social da identidade dos usuários da rede CAPS. E, ainda, como as práticas artesanais desenvolvidas nas oficinas do EP podem ser pertinentes a corroborar para as transformações do imaginário social das representações acerca dos "sujeitos em sofrimento psíquico”.

 

Palavras-chave: Reforma Psiquiátrica. Saúde Mental. Trabalho e Renda. Identidade.

Biografia do Autor

Giselli Avíncula Campos, Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Belford Roxo/RJ.

Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ - (2014). Especialista em Gênero e Sexualidade pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ - (2011). Bacharel e Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - (2005). Socióloga da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Belford Roxo/RJ, exercendo a participação em equipe multidisciplinar para o desenvolvimento de ações socioassistenciais e gestão da política pública de assistência social. Professora de Sociologia de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro - SEEDUC/RJ. Foi integrante da Equipe de Elaboração do Currículo Mínimo de Sociologia 2011 da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro.

Downloads

Publicado

2017-07-12

Como Citar

Campos, G. A. (2017). Projeto éfeito de papel: trabalho, renda e identidade entre usuários da rede de atenção à saúde mental. PerCursos, 18(36), 233 - 258. https://doi.org/10.5965/1984724618362017233