Cultura visual e paisagem: a topografia da Nova Holanda e a evocação da colônia açucareira no Brasil

Autores

  • Daniel de Souza Leão Vieira Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724617332016008

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo a investigação de duas formas distintas de articular os motivos das figuras humanas e da faixa topográfica na estrutura das composições dos painéis Paisagem com rio e tatu e Paisagem com rio e tamanduá, de 1649, e no painel Paisagem com rio e índios, de 1650, todos executados por Frans Post (1612-1680), a fim de relacioná-las ao imaginário neerlandês sobre a terra do Brasil. Partindo de uma comparação iconográfica e considerando questões propostas pelos estudos de cultura visual, a hipótese aqui apresentada é a de que as composições nos quadros considerados constituíram a base para um repertório por meio do qual se tornou cada vez mais visível, no decorrer dos anos de 1650, dois imaginários sobre a colônia. Articuladas a projetos políticos diferentes, com implicações tanto para as definições de soberania quanto para a construção das identidades culturais, essas duas visões do Brasil foram se definindo em torno de estratégias visuais que urdiam a paisagem por meio da relação ora de representação topográfica de lugar ora de evocações indiscriminadas da terra, sem alusão a localidades específicas.

Biografia do Autor

Daniel de Souza Leão Vieira, Universidade Federal de Pernambuco

Professor Adjunto em Antropologia e Museus
Vice Coordenador do Bacharelado em Museologia
Departamento de Antropologia e Museologia
Universidade Federal de Pernambuco

Downloads

Publicado

2016-07-22

Como Citar

Souza Leão Vieira, D. de. (2016). Cultura visual e paisagem: a topografia da Nova Holanda e a evocação da colônia açucareira no Brasil. PerCursos, 17(33), 08 -. https://doi.org/10.5965/1984724617332016008

Edição

Seção

Artigos Dossiê