Entre mundos: a colonialidade no rompimento da barragem de fundão em Mariana/MG. Sentidos e percepções dos Krenak

Autores

  • Roberta Brangioni Fontes Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES- MG
  • Andréa Maria Narciso Rocha de Paula Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES- MG https://orcid.org/0000-0003-2586-4043

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724622482021233

Palavras-chave:

Índios Krenak, Impacto Ambiental, Civilização moderna, Indígenas

Resumo

O rompimento da barragem de rejeitos de Fundão, no município de Mariana/Minas Gerais, em novembro de 2015, contaminou o rio Doce e atingiu drasticamente o povo Krenak, que vive às margens desse rio. Este trabalho propõe a análise dos depoimentos publicados de lideranças e intelectuais Krenak sobre o rompimento da barragem, através das discussões sobre modernidade e colonialidade desenvolvidas por autores do pensamento decolonial latino-americano. A metodologia utilizada é de cunho qualitativo, com aporte na análise bibliográfica e com elementos da análise de conteúdo (BARDIN, 2016), sendo o recorte temporal os anos de 2015 a 2020. A análise demonstrou a construção das narrativas pelos Krenak sobre o desastre, não como um fato isolado, mas como mais uma violência dentro do histórico de violações de direitos a que foram submetidos desde o início da colonização e que persiste nos dias atuais. Os sentidos e percepções do povo Krenak convergem para uma crítica profunda ao modo de produção capitalista, à narrativa colonial, à visão da natureza como recurso e à crise dos valores éticos. Entre mundos antagônicos, o pensamento indígena Krenak converge com os elementos e categorias do movimento decolonial para a possibilidade de outro modo de viver.

Biografia do Autor

Roberta Brangioni Fontes, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES- MG

Doutoranda em Desenvolvimento Social na Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES- MG. Mestre em Extensão Rural pela Univ. Federal de Viçosa – UFV.

Andréa Maria Narciso Rocha de Paula, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES- MG

Doutora em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia – UFU. Professora da Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES- MG.

Referências

A PROTEÇÃO das crianças Krenak diante da mineração – (parte 1). Com a participação de Reinaldo Duque e Wakrewa Krenak. [Governador Valadares: s.n.], 22 jul. 2020. 1 vídeo (59 min.). Publicado pelo canal NAGÔ UFJF-GV. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=E-VV1CdZmxs. Acesso em: 25 out. 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BARRETO, Marcos Rodrigues; EITERER, Edylane. Memórias indígenas na ditadura: cárcere e tortura no reformatório Krenak. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE HISTÓRIA, 7., 2015, Maringá. Anais eletrônicos [...]. Maringá: UEM, 2015. Disponível em: http://www.cih.uem.br/anais/2015/trabalhos/1535.pdf. Acesso em: 2 mar. 2021.

CALVINO, Ítalo. A palavra escrita e a não-escrita. In: FIGUEIREDO, Janaína P. Amado Baptista de; FERREIRA, Marieta de Moraes (org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2005.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. Prólogo: giro decolonial, teoría crítica y pensamiento heterárquico. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (eds.), El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Iesco-Pensar-Siglo del Hombre Editores, 2007. p. 9-23.

CULTURA Indígena Krenak (Parte 1). Com a participação de Reinaldo Duque, Itamar Krenak e Dejanira Krenak. [Governador Valadares: s.n.], 23 jun. 2020. 1 vídeo (58 min.). Publicado pelo canal NAGÔ UFJF-GV. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=LGyY1T2xT2A&t=2436s. Acesso em: 25 out. 2020.

CUNHA, Manuela Carneiro da. Etnicidade: da cultura residual mas irredutível. In: CULTURA com Aspas e outros ensaios. São Paulo: Cosac Nayf, 2009. p. 235-244.

DANNER, Leno Francisco; DORRICO, Julie; DANNER, Francisco. Decolonialidade, lugar de fala e voz-práxis estético-literária: reflexões desde a literatura indígena brasileira. ALEA Estudos Neolatinos, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, p. 59-74, jan./abr. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-106X2020000100059&tlng=pt. Acesso em: 14 nov. 2020.

DESCOLA, Philippe. Ecologia e cosmologia. In: CASTRO, Edna; PINTON, Florence. (org.). Faces do trópico úmido: conceitos e novas questões sobre desenvolvimento e meio ambiente. Belém: CEJUP: UFPA: NAEA, 1997. Disponível em: http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/Ecologia%20e%20Cosmologia147.pdf. Acesso em: 28 nov. 2020.

ESCOBAR, Arturo. Mundos y conocimientos de otro modo: el programa de investigación de modernidad/colonialidad Latinoamericano. Tabula Rasa, Bogotá, n. 1, p. 51-86, enero/dic. 2003. Disponível em: http://www.revistatabularasa.org/numero-1/escobar.pdf. Acesso em: 24 out. 2020.

ESCOBAR, Arturo. Lugar da natureza e a natureza do lugar: globalização ou pós-desenvolvimento? In: LANDER, Edgardo (org). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais – perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p. 63- 79. (Colección Sur Sur)

FIOROTT, Thiago Henrique. A morte do Uatu: impactos do desastre da Samarco/Vale/BHP sobre a sustentabilidade do povo Krenak. 2017. 158 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília, 2017.

FUNDAÇÃO RENOVA. Proteção e recuperação da qualidade de vida dos povos indígenas. Belo Horizonte, [s.n.], 2021. Disponível em:

https://www.fundacaorenova.org/programa/protecao-e-recuperacao-da-qualidade-de-vida-dos-povos-indigenas/. Acesso em: 4 mar. 2021.

KRENAK, Ailton. Ideias para adiar o fim do mundo. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

LITTLE, Paul. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil: por uma antropologia da territorialidade. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 23., Gramado, 19 de junho de 2002. Anais eletrônicos [...]. [Brasília: UNB], 2003. Disponível em: http://www.dan.unb.br/images/pdf/anuario_antropologico/Separatas%202002-2003/2002-2003_paullittle.pdf. Acesso em: 20 nov. 2020.

MIGNOLO, Walter D. El pensamiento decolonial: desprendimiento y apertura. Um manifiesto. En: Santiago Castro-Gómez y Ramón Grosfoguel (eds.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Iesco-Pensar-Siglo del Hombre Editores, 2007. p. 25-46.

MILANEZ, Bruno; LOSEKANN, Cristina. (org.) Desastre no Vale do Rio Doce: antecedentes, impactos e ações sobre a destruição. Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e imagem, 2016.

PARAÍSO, Maria Hilda Baqueiro. Os Botocudos e sua trajetória histórica. In: CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos Índios no Brasil. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1992. p. 423-430.

PEREIRA DE QUEIROZ, Maria Isaura. Relatos Orais: do indizível ao dizível. In: VON SIMON, Olga Rodrigues de Moraes (org.). Experimentos com História de Vida (Itália-Brasil). São Paulo: Vértice, 1988. p. 14-43.

POVO Krenak: debate sobre história de luta e resistência 212 anos após a Carta Régia: parte 1. Com a participação de Reinaldo Duque e Douglas Krenak. [Governador Valadares: s.n.], 14 mai. 2020. 1 vídeo (60 min.). Publicado pelo canal NAGÔ UFJF-GV. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=M2DYt7BB_s4. Acesso em: 25 out. 2020.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidad-racionalidad. In: BONILLO, Heraclio (comp.). Los conquistados. Bogotá: Tercer Mundo Ediciones: FLACSO, 1992. p. 437-449.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (org.). Epistemologias do Sul, São Paulo: Editora Cortez, 2010.

SOARES, Geralda Chaves. Os Borun do Watu: os índios do rio Doce. Contagem: Cedefes, 1992.

TTAC. Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta. 2 mar. 2016. Dispõe sobre acordo entre o Governo Federal, Governo do Estado de Minas Gerais, Governo do Estado do Espírito Santo e as mineradoras Samarco Mineração S/A, Vale S/A e BHP Billiton Brasil Ltda. Brasília: [s.n.], 2016. Disponível em: https://www.fundacaorenova.org/wp-content/uploads/2016/07/ttac-final-assinado-para-encaminhamento-e-uso-geral.pdf. Acesso em: 01 mar. 2021.

VIEIRA, Diovana Renoldi; SILVA, Marta Zorzal. Discursos e assimetrias na reparação dos danos decorrentes do desastre da barragem da Samarco. Revista Psicologia Política [online], São Paulo, v. 19, p. 62-83, 2019. Número especial. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2019000400005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 03 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2021-05-21

Como Citar

Fontes, R. B., & de Paula, A. . M. N. R. (2021). Entre mundos: a colonialidade no rompimento da barragem de fundão em Mariana/MG. Sentidos e percepções dos Krenak. PerCursos, 22(48), 233 - 260. https://doi.org/10.5965/1984724622482021233