“SORBONNISTAS” X “PARAGUAIOS”: técnicos e políticos personalistas no PSD catarinense (1960-1965) <EM> “SORBONNISTS” VS. “PARAGUAYANS”: personalistic technicians and politicians in the PSD of Santa Catarina (1960-1965) </EM>

Autores

  • Marcelo Raupp UDESC

Resumo

A política catarinense de meados da década de 1960 apresentou uma característica fundamental: a coexistência de diferentes elites políticas. E dentro do PSD (Partido Social Democrático) estadual esta foi uma característica marcante. De um lado, um grupo de larga tradição, voltado para uma ação de caráter mais personalista, geralmente identificada por práticas tidas como “clientelistas” e “populistas”. De outro, pela emergência de certas demandas técnico-administrativas dentro dos aparelhos estatais, provenientes de um ímpeto de modernização, entram em cena personagens atrelados a um diferente perfil, construído por uma perspectiva tecnocrata. O primeiro carregava a influência de Aderbal Ramos da Silva (ex-governador), através de uma liderança cada vez mais fundamentada na figura do Deputado Ivo Silveira. O segundo grupo, fortalecido no período aqui assinalado, ganhou evidência com o “Seminário Sócio-Econômico” e, posteriormente, com o “Plano de Metas do Governo”; isto, através da supervisão destacada do intelectual Alcides Abreu. Sendo fundamental para os primeiros o controle da máquina pública, refinada pelos segundos, entra em cena uma nova correlação de forças em busca do poder partidário, resultado simultâneo da fricção e da simbiose entre novas e antigas culturas políticas.

Downloads

Publicado

2011-06-27

Como Citar

Raupp, M. (2011). “SORBONNISTAS” X “PARAGUAIOS”: técnicos e políticos personalistas no PSD catarinense (1960-1965) <EM> “SORBONNISTS” VS. “PARAGUAYANS”: personalistic technicians and politicians in the PSD of Santa Catarina (1960-1965) </EM>. PerCursos, 12(1), 197 - 212. Recuperado de https://periodicos.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1849

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua