A polícia política em tempos de Ditadura Militar (1964-1985): a atuação da Delegacia de Ordem Política e Social no Espírito Santo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724621462020217

Resumo

O presente artigo tem como propósito analisar e caracterizar os aspectos gerais da organização e do funcionamento da Delegacia de Ordem Política e Social do Espírito Santo (DOPS/ES), entre os anos de 1964 e 1985. Atuante na sociedade capixaba desde os anos 1930, esse órgão teve importante papel nas ações repressivas do regime estabelecido pelo golpe civil-militar de 1964, atuando como uma polícia política que vigiou e reprimiu os setores “indesejáveis” do corpo social, como um dos órgãos da rede de repressão e informação que articulou o combate ao que definia como focos de subversão no país. Para tanto, este trabalho se baseia na aproximação com parte da documentação produzida pelo referido órgão durante sua atuação no período na vida sócio-política espírito-santense, e dos resultados de recentes trabalhos realizados por outros pesquisadores que também fundaram suas investigações nos arquivos da DOPS/ES.

Palavras-chave: Ditadura Militar. Espírito Santo. Repressão política. DOPS/ES.

Biografia do Autor

Leonardo Baptista, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Mestre em História pela Universidade Federal do Espírito Santo - UFES.

Downloads

Publicado

2020-10-19

Como Citar

Baptista, L. (2020). A polícia política em tempos de Ditadura Militar (1964-1985): a atuação da Delegacia de Ordem Política e Social no Espírito Santo . PerCursos, 21(46), 217 - 243. https://doi.org/10.5965/1984724621462020217