REFLEXÕES SOBRE A PESQUISA ACADÊMICA: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA, VIVÊNCIA E CONHECIMENTO.

Autores

  • Aline Hübner Freitas UDESC

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234607132015074

Palavras-chave:

pesquisa, vivência, conhecimento , imagem , arte

Resumo

Propondo uma reflexão sobre a pesquisa acadêmica, seja ela dissertação ou tese, através dos textos “Escrever” de Marguerite Duras, “A revisão da bibliografia em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis – o retorno” e “Viver a tese é preciso” esses dois últimos, retirados do livro: A bússola do escrever, é possível relacionar esses textos com a tese “A representação da cidade de Florianópolis na visão dos artistas plásticos” da Professora Drª. Sandra Makowiecky. Realizando uma análise com meu projeto de dissertação: através da leitura de imagens, contexto histórico, bagagem do artista e memória.

O artigo possui os objetivos de compreender a importância de realizar uma pesquisa e analisa-la como elemento multiplicador de conhecimento.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Hübner Freitas, UDESC

CEART Centro de Artes, Departamento de Artes Visuais, Área de Artes Visuais.

Referências

ALVES, Alda Judith. “A revisão da bibliografia em teses e dissertações: meus tipos inesquecíveis – o retorno”. A bússola do escrever, São Paulo, Ed. CORTEZ, 2012.

DURAS, Marguerite. “Escrever”. Trad. De Rubens Figueredo. São Paulo: Ed. Rocco, 1994.

FREITAS, Maria Ester. “Viver a tese é preciso”. A bússola do escrever, São Paulo, Ed. CORTEZ, 2012.

MAKOWIECKY, Sandra. A representação da cidade de Florianópolis, na visão dos ar- tistas plásticos. Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas – DICH- UFSC – Florianópolis, 2003.

MAKOWIECKY, Sandra. Artigo “Orientação: Porque Ele é Ele e Eu Sou Eu”. In: Os Im- preteríveis da Pesquisa: considerações sobre o estado da pesquisa em/sobre artes.

Downloads

Publicado

2016-04-18

Como Citar

FREITAS, Aline Hübner. REFLEXÕES SOBRE A PESQUISA ACADÊMICA: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA, VIVÊNCIA E CONHECIMENTO. Palíndromo, Florianópolis, v. 8, n. 15, p. 074–082, 2016. DOI: 10.5965/2175234607132015074. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/7990. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Dossiê