Desatando nós: a importância da contextualização histórica e social para a fruição da arte têxtil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234616382024e0015

Palavras-chave:

arte têxtil, artesanato, tapeçaria

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo traçar um panorama da evolução das percepções acerca da arte têxtil ao longo do tempo, na busca por esclarecer certas noções que ainda na atualidade influenciam o julgamento das obras localizadas nesta categoria. Discutiu-se a importância da contextualização histórica e social de uma dada prática – no caso, o fazer artístico envolvendo fibras têxteis – para que esta possa ser fruída em todo seu potencial. O procedimento adotado foi a pesquisa bibliográfica. Identificou-se uma aproximação da prática artística envolvendo fibras têxteis com o artesanato e atividades femininas. Tal associação iniciou-se durante a Idade Média e intensificou-se a partir do Renascimento, coincidindo com a ideia do artista como gênio criador em contraponto à figura do artesão. Concomitante a este processo, o ideal da mulher como dona-de-casa, de atuação restrita ao ambiente doméstico, passou a ser associada às práticas têxteis. Posteriormente, os cânones modernistas dificultaram a aceitação das obras têxteis como objetos de arte, justamente pela associação com o artesanato a o contexto feminino. A partir da década de 1960 e ao longo da década de 1970, eminentemente na América do Norte, a atuação de vários artistas que se valiam do meio têxtil contribuiu para fomentar a discussão em torno da prática artística estudada e possibilitou que os conceitos tradicionais definidores da obra de arte fossem questionados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisa Rocha Bueno, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Mestranda no Programa de Pós-graduação em Design da UNESP (Bauru). Bacharel em Design com ênfase em Marketing pela ESPM do Rio de Janeiro. Membro do grAVA. FAAC - Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design UNESP - Universidade Estadual Paulista; CV: http://lattes.cnpq.br/9596202818430009; ORCID: https://orcid.org/0009-0008-2227-8165; er.bueno@unesp.br

Júlia Lasry Benchimol Lanza, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Mestranda em Design no Programa de Pós-graduação em Design da UNESP (Bauru). Bacharel em Artes Visuais (UNESP, 2023). Membro do grAVA. FAAC - Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design UNESP - Universidade Estadual Paulista; CV: http://lattes.cnpq.br/7861869006105346; ORCID: https://orcid.org/0009-0000-4314-9110; julia.lasry@unesp.br

Joedy Luciana Barros Marins Bamonte, Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Bacharel em Artes Plásticas (Mackenzie); mestre em Comunicação e Poéticas Visuais (UNESP); doutora em Ciências da Comunicação (USP/ECA); pós-doutora em Pintura (FBAUL/Portugal). Artista visual; docente do Curso de Artes Visuais (DARG) e do Programa de Pós-graduação em Design (FAAC/UNESP). Líder do Grupo de Pesquisas Poéticas em Artes Visuais (grAVA); Departamento de Artes e Representação Gráfica/ FAAC - Faculdade de Arquitetura, Artes, Comunicação e Design UNESP - Universidade Estadual Paulista; CV: http://lattes.cnpq.br/3926126789184059; ORCID https://orcid.org/0000-0002-9519-624X; joedy.bamonte@unesp.br

Referências

AUTHER, Elissa. String, felt and thread: the hierarchy of art and craft in American art. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2010.

CAUQUELIN, Anne. Arte contemporânea: uma introdução. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CIRILO, José; MELLO, Júlia. Artes da fibra. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, Secretaria de Ensino a Distância, 2019. Disponível em: https://acervo.sead.ufes.br/arquivos/pdf-artes-fibra.pdf. Acesso em: 2 nov. 2023.

CONSTANTINE, Mildred; LARSEN, Jack. Beyond craft: the art fabric. New York: Van Nostrand Reinhold, 1972.

GRIPA, Carolina Bouvie. A memória que se tece: o centro gaúcho da tapeçaria contemporânea. 2017. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Artes Visuais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

MEGGS, P. História do design gráfico. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

OLIVEIRA, Natália. Tramas contemporâneas na América Latina. Belo Horizonte: EBA-UFMG, 2022. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/51616/1/Tramas%20contempor%C3%A2neas%20na%20Am%C3%A9rica%20Latina.pdf. Acesso em: 2 nov. 2023

PARKER, Rozsika. The subversive stitch: embroidery and the making of the feminine. Nova Iorque: I. B. Tauris, 2010.

PEREIRA, Carolina; TRINCHÃO, Gláucia. O bordado como ferramenta educacional no brasil entre os séculos XIX e XX. Revista História da Educação (Online), v. 25, 2021. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/asphe/article/view/101244/pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

PEVSNER, N. Os pioneiros do desenho moderno: de William Morris a Walter Gropius. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SHINNER, L. La invención del arte. Barcelona: Ediciones Paidós Ibérica, 2004.

SIMIONI, Ana Paula Cavalcanti. Descosturando gêneros: da feminização das artes têxteis às subversões contemporâneas. In: OLIVEIRA, Ana Claudia de; CASTILHO, Katia (org.). Corpo e moda: por uma compreensão do contemporâneo. Barueri, SP: Estação das Letras e Cores Editora, 2008.

SORKIN, Jenni. Tactile begnnings. In: DESNESCHES, L.; KITINICK, A.; KLEIN, A.; SORKIN, J. Barbara Kasten: Stages. Zürich: JRP|Ringier, 2015, p. 148-169. Disponível em: https://www.academia.edu/25680726/Tactile_Beginnings_Barbara_Kasten_2015_. Acesso em: 2 nov. 2023

WARD, Lucina. Soft Sculpture. Parkes, ACT: National Gallery of Australia, 2009. Disponível em: nga.gov.au/Exhibition/softsculpture/pdf/softsculptureevents.pdf. Acesso em: 30. jun. 2021.

Downloads

Publicado

2024-03-08

Como Citar

ROCHA BUENO, Elisa; LANZA, Júlia Lasry Benchimol; BAMONTE, Joedy Luciana Barros Marins. Desatando nós: a importância da contextualização histórica e social para a fruição da arte têxtil. Palíndromo, Florianópolis, v. 16, n. 38, p. 1–25, 2024. DOI: 10.5965/2175234616382024e0015. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/24492. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção aberta