Como analisar uma exposição de design?: abordagem semiótica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234616382024e0010

Palavras-chave:

objetos de design, exposições de design, instituições culturais, semiótica discursiva, linguagens

Resumo

Os objetos e soluções resultantes de projetos de design são muitas vezes desenvolvidos para passarem despercebidos pelos usuários, entrelaçados silenciosamente às práticas de vida cotidianas. Entretanto, em uma exposição de design, os produtos dessa atividade projetual são necessariamente postos em evidência. Em tais situações, para poder apreciar a proposta expositiva em jogo, que abordagem poderíamos adotar para analisar ou “ler” as linguagens em exibição? Recorremos, neste trabalho, aos fundamentos da Semiótica Discursiva, incluindo seus desdobramentos na Sociossemiótica, na Semiótica Plástica e nos estudos da estesia. Nosso objetivo é fazer uma retomada das principais contribuições semióticas dadas ao estudo de museus e de exposições de arte, visando avaliar se (e como) esse ferramental teórico-metodológico pode servir de alicerce para a análise de exposições de design. Como resultado, propomos um percurso analítico estruturado em quatro dimensões de leitura sucessivas e hierarquizadas – objeto, exposição, instituição cultural, território –, destacando a cada patamar o que há de específico no caso de projetos de design, e que, portanto, deve ser levado em conta quando tratamos da análise de uma exposição de design.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marc Barreto Bogo, La Sapienza

Designer gráfico por formação, mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e doutor em Comunicação e Semiótica pela mesma instituição, em dupla titulação com a Université de Limoges (França). Atualmente, é pesquisador de pós-doutorado na La Sapienza Università di Roma (Itália), com financiamente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É professor palestrante no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e pesquisador no Centro de Pesquisas Sociossemióticas da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (CPS).

Referências

BUORO, A. B. et al. Dinâmicas sociais nos territórios de culturas de São Paulo. Caderno de Discussão do Centro de Pesquisas Sociossemióticas, São Paulo, n. 19, dez. 2013.

BUORO, A. B. et al. “Relações contratuais e relações polêmicas nos territórios de cultura”. In: OLIVEIRA, A. C. (Org.). São Paulo público & privado: abordagem sociossemiótica. São Paulo: Estação das Letras e Cores e CPS Editora, 2014, p. 133-150.

FLOCH, Jean-Marie. Petites mythologies de l’œil et de l’esprit: pour une sémiotique plastique. Paris-Amsterdã: Hadès-Benjamins, 1985.

FLOCH, Jean-Marie. Identités Visuelles. Paris: PUF, 1995.

GREIMAS, A. J. Sémantique structurale. Paris: Larousse, 1966.

GREIMAS, A. J. Du sens. Paris: Seuil, 1970.

GREIMAS, A. J. Du Sens II. Paris: Seuil, 1983.

GREIMAS, Algirdas Julien; COURTÉS, Joseph. Dicionário de Semiótica. Tradução Alceu Dias Lima et al. São Paulo: Cultrix, 1983.

HAMMAD, Mannar. “Il Museo della Centrale Montemartini”. In: PEZINI, Isabella; CERVELLI, Pierluigi (Orgs.). Scene del consumo: dallo shopping al museo. Roma: Meltemi, 2006, p. 203-280.

LANDOWSKI, Eric. O olhar comprometido. Tradução Ana Claudia de Oliveira e Marcia da Vinci de Moraes. Revisão do autor. Galáxia, São Paulo, n. 2, 2001.

LEON, Ethel. IAC: primeira escola de design do Brasil. São Paulo: Blucher, 2014.

OLIVEIRA, Ana Claudia de. Estesia e experiência do sentido. CASA – Cadernos de Semiótica Aplicada, v. 8, n. 2, 2010.

OLIVEIRA, Ana Claudia de. “Sentidos e qualidades sensíveis – plásticas, rítmicas, estésicas”. In: OLIVEIRA, Ana Claudia de (Org.). Sociossemiótica II: sentido, estesia, gosto. Barueri, SP: Estação das Letras e Cores, 2021, p. 119-149.

PEZZINI, Isabella. Semiotica dei nuovi musei. Bari-Roma: Laterza, 2011.

PEZZINI, Isabella. “Modelli semiotici per lo studio del museo”. In: MARSCIANI, Francesco (Org.). Un etnosemiologo nel museo. Bolonha: Esculápio, 2021, p. 115-134.

PIRANI, Federica. Che cos’è una mostra d’arte. Roma: Carocci, 2010.

VERCELLONI, Matteo. Breve storia del design italiano: nuova edizione. 2. Ed. Roma: Carocci, 2014.

ZUNZUNEGUI, Santos. Metamorfosi dello sguardo: museo e semiotica. Tradução ao italiano de Luisa Scalabroni. Roma: Nuova Cultura, 2011.

Downloads

Publicado

2024-03-15

Como Citar

BOGO, Marc Barreto. Como analisar uma exposição de design?: abordagem semiótica. Palíndromo, Florianópolis, v. 16, n. 38, p. 1–23, 2024. DOI: 10.5965/2175234616382024e0010. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/23942. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção temática