Considerações sobre música e política na República no final do século XIX e propostas programáticas para Ave, Libertas!, de Leopoldo Miguéz, e Série Brasileira, de Alberto Nepomuceno

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530408022023e0101

Palavras-chave:

música, política, república, Leopoldo Miguez, Alberto Nepomuceno

Resumo

Neste texto abordam-se política e música na época do início da República do Brasil. O objeto de estudo se concentra na carreira de dois compositores do período: Leopoldo Miguéz e Alberto Nepomuceno. Ambos os compositores foram republicanos convictos e importantes diretores do Instituto Nacional de Música no Rio de Janeiro. As obras abordadas, Ave, Libertas!, de Leopoldo Miguéz, e a Série Brasileira, de Alberto Nepomuceno, expressam em música homenagem, comemoração, nacionalismo. Também expressam elementos programáticos que, por vezes, não são explícitos. Por fim, o texto propõe para as obras programas inferidos a partir da estrutura musical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Norton Dudeque, Federal University of Paraná

Possui mestrado em Performance musical - University Of Western Ontario (1991), mestrado em Musicologia pela Universidade de São Paulo (1997), doutorado em Música (Ph.D.) - University of Reading (2002). Realizou estágio pós-doutoral no Kings College em Londres (2012). Atualmente é professor associado aposentado da Universidade Federal do Paraná e atua no Programa de Pós-Graduação em Música da UFPR. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teoria e análise musical, atuando principalmente nos seguintes temas: análise musical, musicologia, teoria musical, música brasileira dos séculos XIX e XX.

Referências

ALMEIDA, Renato. História Da Música Brasileira. Rio de Janeiro: F. Briquiet & Comp., 1942.

ALVIM CORRÊA, Sérgio Nepomuceno. Alberto Nepomuceno: Catálogo Geral. Rio de Janeiro: Funarte/INM, 1996.

ALVIM CORRÊA, Sérgio Nepomuceno. Leopoldo Miguéz, Catálogo de Obras. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Música, 2005.

ANDRADE, Mário de. Ensaio Sobre a Música Brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 1972.

ANDRADE, Mário de. Dicionario Musical Brasileiro. Org. Oneyda Alvarenga e Flávia Toni. São Paulo: Ministério da Cultura: Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo, 1989.

AZEVEDO, Luiz Heitor Corrêa de. 150 Anos de Música No Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

BOMFIM ANDRADE, Clarissa L. A Gazeta Musical: positivismo e missão civilizadora nos primeiros anos da República no Brasil. São Paulo: Editora UNESP, 2013.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 2006.

BRANDÃO, Dolores Castorino. A formação do acervo da Biblioteca Alberto Nepomuceno. Revista Brasileira de Música, n. 31, v. 1, p. 81-95, 2018.

BRASIL. Lei n.o 3.353, de 13 de maio de 1888. Declara extinta a escravidão no Brasil. Coleção de Leis do Brasil, 1888.

BRASIL. Decreto no 143, de 12 de Janeiro de 1890. Extingue o Conservatorio de Musica e crêa o Instituto Nacional de Musica. Coleção de Leis do Brasil, v. 1, fasc. 1o, p. 24 1890.

BRASIL. Decreto n.o 6.621, de 29 de agosto de 1907. Approva o regulamento do Instituto Nacional de Musica. Coleção de Leis do Brasil, 1907.

CARVALHO, Flávio. O retorno de Alberto Nepomuceno ao Rio de Janeiro em 1895: a recepção do compositor pelos jornais cariocas. Rotunda, n. 2, p. 57-89, 2003.

CASCUDO, Teresa. Relacões musicais luso-brasileiras em finais do século XIX. Camões: Revista de Letras e Culturas Lusófonas, v. 11, p. 136-141, 2000.

DUDEQUE, Norton. Realismo Musical, Nacionalismo e a Série Brasileira de Nepomuceno. Música em Perspectiva, n. 3, v. 1, p. 136-163, 2010.

DUDEQUE, Norton. Program, Tonality, and Sonata Deformation in Leopoldo Miguéz’s Symphonic Poems. Musica Theorica, v. 6, n. 2, p. 21-64, 2021a.

DUDEQUE, Norton. Ave, Libertas!, Op. 18 de Leopoldo Miguéz, Considerações Sobre a Estrutura Musical. Opus, v. 27, v. 1, p. 1-23, 2021b.

GUANABARINO, Oscar. Transcrições Guanabarinas: Antologia Crítica – O Paiz (1884–1889). Ed. Luiz Guilherme D. Goldberg, Amanda Oliveira e Patrick Menuzzi. Porto Alegre: LiquidBook, 2019a. v. 1.

GUANABARINO, Oscar. Transcrições Guanabarinas: Antologia Crítica – O Paiz (1890–1899). Ed. Luiz Guilherme D. Goldberg, Amanda Oliveira e Patrick Menuzzi. Porto Alegre: LiquidBook, 2019b. v. 2.

MAGALDI, Cristina. Music in Imperial Rio de Janeiro: European Culture in a Tropical Milieu. Lanham, Md.: Scarecrow Press, 2004.

MARCONDES, Marcos Antônio (ed.). Enciclopédia da Música Brasileira: popular, erudita e folclórica. 3. ed. São Paulo: Art: Publifolha, 2000.

MARTINS, Wilson. História da inteligência brasileira. São Paulo: Cultrix: EDUSP, 1977.

PEREIRA, Avelino Romero. Música, Sociedade e Política: Alberto Nepomuceno e a República Musical. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

PEREIRA, Avelino Romero. Leopoldo Miguéz, um Prometeu na República. Revista Brasileira de Música, v. 31, n. 1, p. 141-161, 2018.

PEQUENO, Mercedes Reis. Brazilian Music Publishers. Inter-American Music Review, v.9, n. 2, p. 91-104, 1988.

PEQUENO, Mercedes Reis. Impressão musical no Brasil. In: MARCONDES, Marcos Antônio (ed.). Enciclopédia da Música Brasileira: popular, erudita e folclórica. 3. ed. São Paulo: Art: Publifolha, 2000. p. 370-379.

SCHWARCZ, Lilia M. As barbas do imperador: D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

SCHWARCZ, Lilia M.; STARLING, Heloisa M. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

SOUSA, Miranda B. T. R. Nunes de. Brazilian Series by Alberto Nepomuceno: Race, Philosophy and Political Agency in Symphonic Music at the Turn of the Twentieth Century. Pittsburgh: University of Pittsburgh, 2020.

SQUEFF, Enio; WISNIK, José Miguel. O Nacional e o popular na cultura brasileira: música. São Paulo: Brasiliense, 2001.

VERMES, Mónica. Por uma renovação do ambiente musical brasileiro: O relatório de Leopoldo Miguez sobre os conservatórios europeus. Revista Eletrônica de Musicologia, v. 8, 2004. Disponível em: http://www.rem.ufpr.br/_REM/REMv8/rem8.html.

VIDAL, João. Formação germânica de Alberto Nepomuceno: estudos sobre recepção e intertextualidade. Rio de Janeiro: Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2014.

VOLPE, Maria Alice. Algumas considerações sobre o conceito de romantismo musical no Brasil. Brasiliana: Revista da Academia Brasileira de Música, v. 5, p. 36-46, 2000.

VOLPE, Maria Alice. Indianismo and Landscape in the Brazilian Age of Progress: Art Music from Carlos Gomes to Villa-Lobos, 1870s-1930s. Tese (Doutorado) – University of Texas, Austin, 2001.

Downloads

Publicado

2023-08-29

Como Citar

DUDEQUE, Norton. Considerações sobre música e política na República no final do século XIX e propostas programáticas para Ave, Libertas!, de Leopoldo Miguéz, e Série Brasileira, de Alberto Nepomuceno. Orfeu, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. e0101, 2023. DOI: 10.5965/2525530408022023e0101. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/23629. Acesso em: 15 abr. 2024.