Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento <p>Periódico de Artes Cênicas vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, do Centro de Artes, Design e Moda da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).<br /><strong>Periodicidade</strong>: Contínua<br /><strong>Ano de criação</strong>: 1997</p> <p> </p> pt-BR <p><strong>Declaração de Direito Autoral</strong><strong></strong></p><p>Os leitores são livres para transferir, imprimir e utilizar os artigos publicados na Revista, desde que haja sempre menção explícita ao(s) autor (es) e à <em>Urdimento</em>e que não haja qualquer alteração no trabalho original. Qualquer outro uso dos textos precisa ser aprovado pelo(s) autor (es) e pela Revista. Ao submeter um artigo à <em>Urdimento </em>e tê-lo aprovado os autores concordam em ceder, sem remuneração, os seguintes direitos à Revista: os direitos de primeira publicação e a permissão para que a Revista redistribua esse artigo e seus meta dados aos serviços de indexação e referência que seus editores julguem apropriados.</p><p> Este periódico utiliza uma <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR">Licença de Atribuição Creative Commons</a>– (CC BY 4.0)</p><p> </p> urdimento.ceart@udesc.br (Vera Collaço) portal.periodicos@udesc.br (Marcela Reinhardt de Souza) seg, 12 dez 2022 14:58:15 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Soledad: Peça de agitação https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23034 <p style="font-weight: 400;"><em>Soledad</em>: Peça de agitação - Espetáculo realizado em outubro de 2021, em Armação da Piedade, Florianópolis, SC. O espetáculo teve como atriz a Professora doutora Fátima Costa de Lima, com direção e dramaturgia de Mariana Corale.</p> <p style="font-weight: 400;"> </p> Mariana Corale Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23034 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 O realismo sedutor como metáfora para uma re-educação do corpo-arte https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23006 <p style="font-weight: 400;">Trata-se da resenha de uma obra intensa e complexa, no qual a autora cria o conceito metáfora realismo sedutor, com o objetivo de revisitar a apropriação do vocábulo teatro que ramifica para o binarismo real-ficção vindo associado à tradição aristotélica. A proposta nos faz pensar a educação do corpo na e para a arte, Ribeiro instiga a pensar que atuar não é interpretar o real, mas experimentá-lo através de um corpo intuitivo, que interfere e é interferido pelo meio social, político, econômico e cultural, de modo afetivo, por isso sedutor, revolucionário, transgressor. Nisso desafia o que se entende e o que se ensina a respeito da arte teatral, quando propõe rupturar com as telas do real e da representação que nos condicionam. investe em um corpo múltiplo, intempestivo artaudiano, que se desdobra ao longo do texto em outros conceitos corpos, maquinímicos, biopolíticos, antropofágicos, esteticamente emancipados.</p> Claudia Madruga Cunha, Thais Adriane Vieira de Matos Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23006 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 A Acessibilidade Cultural e as políticas públicas nos espaços culturais https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22248 <p style="font-weight: 400;">O presente artigo refere-se à pesquisa sobre Acessibilidade Cultural e as políticas públicas e seu principal objetivo é compreender a acessibilidade para/com/a partir da pessoa com deficiência no Espaço Xisto Bahia, localizado na cidade de Salvador – BA. Dessa forma, para a coleta de dados, realizou-se uma entrevista com a gestora, produtora cultural e artista Ninfa Cunha. Além de buscar uma revisão bibliográfica sobre o tema em questão, recorrendo às leis sobre Acessibilidade Cultural e seus desdobramentos. Por esse viés, o artigo busca analisar a importância das dimensões da acessibilidade atitudinal, comunicacional e arquitetônica para o acesso ao espaço cultural. Por fim, destacam-se os obstáculos enfrentados tanto pelo artista e espectador com deficiência para usufruir do espaço cultural acessível, como também as dificuldades encontradas por gestores e produtores culturais para tornar o espaço cultural acessível.</p> Carlos Alberto Ferreira da Silva, Antonia Paula Oliveira da Silva Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22248 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Teatro performativo no contexto das afasias: elaboração de procedimentos e pedagogias nas artes da cena https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22128 <p style="font-weight: 400;">Este artigo reflete sobre o ato teatral performativo e a coocorrência de semioses verbais e não verbais em contextos de afasia. A reconstituição de semioses multimodais pela afásica, não na ausência da afasia, mas na presença da afasia. Investiga a noção de densidade modal das semioses que se interconectam, visando salientar que elas são: distintas; que sua relevância na construção do sentido depende do recurso multimodal, da capacidade oral e motora da afásica, de recursos mais convocados e recorrentes na cena, do contexto de produção do sentido. Aprofunda interesses teóricos, estéticos, metodológicos e práticos acerca da encenação performativa com pessoas afásicas a fim de desenvolver um campo de estudos que contribua com as práticas e pedagogias de criação nas artes da cena.</p> Juliana Pablos Calligaris Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22128 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Anjo Negro, de Nelson Rodrigues: a caracterização do personagem Ismael https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22411 <p style="font-weight: 400;">Este artigo tem como objetivo refletir sobre a caracterização do personagem Ismael, na peça <em>Anjo Negro</em>, de Nelson Rodrigues. De modo mais específico, a análise busca demonstrar que Ismael, ao longo da peça, é construído – por suas palavras e ações, bem como pelas informações que os outros personagens apresentam sobre ele – como um “anjo negro”; imagem que evoca sentidos negativos, como a maldade, a crueldade e a morte. Tal representação é construída, principalmente, em contraste com a imagem de Elias, personagem que, na maioria dos atos, sobretudo para a personagem Virgínia, reflete a bondade, a pureza e a delicadeza, e cuja aparência física faz alusão à figura de um anjo comum do imaginário cristão.</p> Mayara Nunes da Silva Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22411 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Uma cena que (se) desplaza: experiências poéticas e políticas do Mapa Teatro https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22703 <p style="font-weight: 400;">O presente texto debate experiências poéticas e políticas desenvolvidas pelo grupo colombiano Mapa Teatro nas quais o espaço se apresenta como elemento disruptivo e produtor de <em>desplazamientos</em>. Ao fazer uso da noção de <em>desplazamiento</em>, o artigo busca colocar em evidência as múltiplas reconfigurações perceptivas produzidas em proposições como as envolvidas em projetos como <em>C'úndua e Anatomia de la violencia en Colombia</em>. Como fator comum, através das distintas espacialidades articuladas, tais criações possibilitam a desarticulação, mesmo que temporária, de determinadas estruturas ligadas aos impactos produzidos pelas diferentes formas de violência a que os territórios nomeados como América Latina seguem sujeitos.</p> <p> </p> Paola Lopes Zamariola Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22703 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Invenções do espaço-tempo: imaginários, narrativas e cabarés do sul do mundo https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22688 <p style="font-weight: 400;">O artigo aborda relações entre espaço cênico e espaço social através da reflexão sobre duas experiências artísticas, em diálogo com conceitos de diferentes autores(as), de diferentes áreas do conhecimento. As experiências aqui enfocadas compreendem, além da montagem de <em>Cidade Proibida</em>, da Cia Rústica de Porto Alegre, um campo mais difuso de experiências e fazeres, que identificamos como “cabarés do sul mundo”. A intenção deste trabalho é reconhecer e destacar saberes e práticas de pequenas produções no contexto das Artes Cênicas do sul do mundo, que com frequência se estruturam em construções compartilhadas, as quais subvertem a precariedade imposta pelo neoliberalismo vigente e inventam outros espaços-tempos em suas frestas. São os fazeres coletivos, corpóreos e festivos, que colapsam binarismos e podem inspirar imaginários e narrativas que anunciem futuros renovados.</p> <p> </p> Patricia Fagundes Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22688 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 A alegoria cômica como artifício cênico nas obras da Quasar Cia. de Dança (1989-1992) https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22314 <p style="font-weight: 400;">Este artigo se dedica a analisar as obras cênicas da Quasar Cia. de Dança em seus primeiros cinco anos, especialmente no período entre 1989 e 1992. O objetivo do estudo consiste em investigar historicamente, os detalhes do processo de configuração do humor como recurso cênico que caracterizou as obras da companhia goiana. Para tanto, a pesquisa faz uso de obras coreográficas, entrevistas e matérias publicadas pela imprensa escritas como fontes históricas, sendo a análise destes documentos orientada por teorias dos estudos de dança, história e história da arte.</p> Rafael Guarato Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22314 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Presença e ausência da representação na performance https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22483 <p style="font-weight: 400;">A performatividade, a partir da materialidade da cena, tem a pretensão para furar o semblante do dito “teatral” e promulga uma fuga do signo, do semântico, da ficção; mas nessa busca não restauraria a teatralidade e a representação em possibilidades outras? Na busca da oscilação e do desmascaramento da representação enquanto semblante, o performativo enquanto materialidade da cena não geraria outra representação, outro semblante na sensação e na percepção, mas sempre uma representação de um infinito irrepresentável em sua totalidade? Essa comunicação busca problematizar essas questões a partir da afirmação da impossibilidade da ausência da representação na materialidade da performance e para isso, problematiza o próprio conceito de materialidade e do real na cena contemporânea.</p> Renato Ferracini Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22483 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Caixa de ilusões: o corpo-político no espetáculo da Ânima companhia de Dança https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22351 <div> <p class="Corpo">Partindo do entendimento de que o corpo dançante é político, o presente artigo estabelece relações entre dança e política a partir dos discursos que são levados à cena no espetáculo <em>Caixa de ilusões</em>, da Ânima companhia de dança, dirigido pela coreógrafa Eva Schul.</p> </div> Thais Coelho da Silva, Mônica Fagundes Dantas Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22351 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 A Neo-commedia dell´arte ou “A Invenção de uma Tradição”: Carlo Boso e Leo de Berardinis, dois Capocomici Modernos https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23028 <p>O presente artigo estuda a <em>Commedia dell’arte </em>no século XX como uma “Tradição inventada”, seguindo a perspectiva dos estudos de Hobsbawm (1983), podendo ser nomeada de <em>Neo-Commedia dell’arte</em>. Para isso são apresentados dois breves estudos de caso dos encenadores Carlo Boso e Leo de Berardinis, com base nas peças <em>Il Falso Magnifico</em>[O Falso Magnífico] e<em>Il retorno di Scaramouche </em>[A Volta de Scaramouche].</p> Giulia Filacanapa; José Ronaldo Faleiro, Paulo Barlardim Borges, Douglas Kodi Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/23028 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Cidades, espaços teatrais e experiências artísticas: uma introdução https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22982 <p style="font-weight: 400;">Introduz-se neste artigo o dossiê temático organizado para revelar estudos atualizados sobre a questão dos espaços teatrais, das cidades, das diferentes experiências artísticas que ocorrem nos espaços urbanos públicos e semipúblicos de pequenas e grandes localidades. Os temas se estendem do Maranhão ao Rio Grande do Sul, mas contemplam também as cidades de Lisboa e Barcelona, demonstrando as múltiplas possibilidades do espaço para as artes cênicas.</p> Evelyn Furquim Werneck Lima, Leonardo Munk, Leonardo Marques de Mesentier, Isabel Maria Gonçalves Bezelga Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22982 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 O teatro nas cidades do século XIX e a dependência da trajetória nas políticas culturais contemporâneas https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22644 <p style="font-weight: 400;">Este artigo apresenta uma reflexão sobre os motivos pelos quais cidades que possuíam teatros no passado manifestam, atualmente, maior grau de institucionalidade de suas políticas culturais em relação às demais cidades. Para tanto, mediante estudo de caso do estado do Rio Grande do Sul, realizou-se um levantamento de dados históricos quanto à presença do teatro nas cidades e à institucionalidade das políticas culturais. A análise dos resultados se deu a partir de duas abordagens teórico-metodológicas: o conceito de <em>path dependence</em> e a concepção de comunidade cívica. Assim, confrontou-se a existência de certas institucionalidades centrais para as políticas culturais da atualidade com a existência de edifícios teatrais no século XIX. Verificou-se que, no século XIX, as cidades que possuíam movimentos teatrais a ponto de viabilizarem a construção desses edifícios deixaram um legado político e social; em média, tais cidades apresentam políticas culturais com maior grau de institucionalidade do que as demais. </p> Marcio Rogerio Olivato Pozzer Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22644 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 A tentativa de uma macropolítica de cultura na cidade de Campinas https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22691 <p style="font-weight: 400;">O objetivo do artigo é relatar a experiência de inauguração e os primeiros anos do Conselho Municipal de Política Pública de Campinas (CMPC). Como contexto teórico, parte-se dos entrelaçamentos entre micro e macropolíticas na área cultural, sobretudo no campo teatral. A metodologia para a pesquisa contou com entrevistas, questionários, presença em reuniões do Conselho e das Câmaras, além de análise de atas e de reuniões gravadas. Conclui-se que a experiência do CMPC, neste momento, é tão descolonizante de inconscientes quanto a micropolítica da arte.</p> Márcia Baltazar Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22691 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Teatro e memória urbana: a cidade do Rio de Janeiro como mutação de mágica https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22673 <div> <p>O artigo tem por objetivo refletir acerca da memória teatral da cidade do Rio de Janeiro, relacionando os truques cenográficos das mágicas e<span class="apple-converted-space"> </span><em>féeries</em><span class="apple-converted-space"> </span>às transformações urbanísticas em fins do século XIX e início do século XX. Para a análise, foi abordado o conceito de alegoria teatral, fundamentado na obra de Walter Benjamin e em pesquisas emergentes sobre a historiografia dos gêneros híbridos de teatro. Ilustrou-se o enfoque com exemplos de espetáculos encenados e por meio da sensibilidade de cronistas da época. Dessa maneira, levanta-se a discussão sobre o apagamento da memória urbana e teatral. </p> </div> <p> </p> Ana Paula Brasil Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22673 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Cultura popular e patrimônio: ecoam vozes do mar e da montanha https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22632 <p style="font-weight: 400;">A ocupação e a apropriação do espaço urbano, no campo artístico e estético, se configuram de maneira plural e multifacetada, comprovando, cada vez mais, a potência do espaço como um campo aberto à experimentação. Para ampliar esse diálogo, este artigo visa refletir sobre algumas questões que subjazem a essas iniciativas que se utilizam do patrimônio em suas múltiplas dimensões - tanto material como imaterial, e as inter-relações com os fazeres e saberes da cultura popular e cidade. Como práticas, foram analisados os trabalhos realizados em dois contextos distintos, porém, com características semelhantes no que se refere às relações entre arte, cidade e patrimônio: o Coletivo Cantareira, que é um movimento comunitário empenhado em dar continuidade a algumas tradições e singularidades da Ilha de Paquetá, RJ, e o Grupo de Teatro São Gonçalo do Bação, constituído por moradores do distrito rural de São Gonçalo do Bação, na cidade de Itabirito-MG, que, devido as suas dinâmicas artístico-culturais, constitui-se como um grupo de Teatro e Comunidade.</p> Liliane Mundim, Ramon Santana de Aguiar Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22632 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Fissuras urbanas: a atuação das sedes Luz do Faroeste e Teatro de Contêiner no território da Luz https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22637 <p style="font-weight: 400;">O presente trabalho discutiu a criação de fissuras espaço-temporais no sistema hegemônico capitalista/colonial, e por consequência, no território pelo qual ele se (re)configura – a cidade –, por meio de sedes de grupos teatrais. É por essa perspectiva que este texto investigou criação e atuação da Luz do Faroeste e Teatro de Contêiner – respectivamente sedes dos grupos teatrais Pessoal do Faroeste e Cia. Mungunzá – no território da Luz, localizado na região central da cidade de São Paulo. </p> Sara Fagundes Oliveira Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22637 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Reorientando fundamentos teatrais nas encenações site-specific https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22090 <p style="font-weight: 400;">Neste artigo problematizamos os fundamentos teatrais nas encenações <em>site-specific</em>, a fim de tramar conhecimentos que auxiliem na assimilação prática e conceitual dessa poética contemporânea. Para tal, partimos de abordagens teóricas, distinções de realizações criativas e exemplos históricos do teatro brasileiro.</p> Jose Jackson Silva Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22090 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Sonoridades em espaços cênicos alternativos – experiências de gestão do Espaço PÉ DiReitO https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22660 <p style="font-weight: 400;"> partir do diálogo entre sonoridades da cena e a experiência de 10 anos da gestão do Espaço PÉ DiReitO, localizado em periferia da capital do País, este artigo tem como objetivo apresentar possibilidades de resoluções criativas que viabilizem e potencializem aspectos sonoros de obras performáticas em circulação. Para isso, abordam-se aspectos acústicos e <em>riders</em> do espaço e de obras, lista de profissionais envolvidos nas sonoridades da cena, assim como inúmeros desafios e atribuições relacionadas aos gestores de espaços cênicos alternativos.</p> Pedro Martins, César Lignelli Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22660 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Mapas e Desejos: os Universos de Ensaio para uma Cartografia e O Escuro que te Ilumina no teatro de Mónica Calle https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22677 <p style="font-weight: 400;">O artigo estuda a viragem performativa no teatro de Mónica Calle – Casa Conveniente, em que a fala, aparentemente excluída, e a dramaturgia do corpo, em exacerbamento, se tornarão um modo de texto ausente. Para tal, comparam-se dois espetáculos, <em>Ensaio para uma Cartografia</em> e O<em> Escuro que te Ilumina</em>ou as <em>Últimas Sete Palavras de Cristo</em>, e seus universos de criação. Propôs-se uma cartografia performativa resultante dos mapas espaciais e subjetivos desses universos, efetuando uma historiografia da companhia, discutindo uma espectadoria da estética da encenadora e textualizando as experiências do corpo. Através de uma abordagem autoetnográfica, imergiu-se, de modo teórico e prático, no pulsar, no desejo, na resistência física e espiritual e na dialética singular-coletivo – características do trabalho artístico de Calle. Em regimes de escrita distintos, o artigo divide-se em duas partes: em I analisam-se as fases de criação dos dois universos e em II desenvolve-se um ensaio comprometido de investigador-performer.</p> António Figueiredo Marques Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22677 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Teatro que Roda invade a cidade: Ensaio acerca do espetáculo Das Saborosas Aventuras de Dom Quixote... https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22361 <p style="font-weight: 400;">No presente artigo, discorreu-se sobre a montagem do espetáculo de rua <em>Das saborosas aventuras de Dom Quixote de La Mancha e seu escudeiro Sancho Pança - um capítulo que poderia ter sido</em> (2006), uma livre adaptação do clássico <em>Dom Quixote de la Mancha</em> (1605), de Miguel de Cervantes, dirigida por André Carreira. O objetivo é compreender a ocupação do espaço urbano enquanto espaço cênico, investigando a rua como possibilidade dramatúrgica. Para a análise, elencou-se o conceito de teatro de invasão, proposto por André Carreira, e inaugurou-se a categoria de ‘organiCidade’. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com o diretor do espetáculo e os integrantes do grupo Teatro que Roda, as quais puderam elucidar o processo de criação do coletivo e de composição cênica proposta para a montagem. Compreende-se que a ocupação deste espaço social produz múltiplas camadas de significação da, para, com e pela rua e exige ampliar a noção de espacialidade no campo das Artes da Cena.</p> José Alencar de Melo, Natassia Duarte Garcia Leite de Oliveira Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22361 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 A carne fria - performance, espaços públicos e ativismo político na cena contemporânea https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22678 <p style="font-weight: 400;">Este artigo tem como objeto as performances realizadas desde 2012 pelo grupo <em>Anima Naturalis</em> em frente à Catedral de Barcelona, Espanha. A performance consiste na apresentação de 20 ativistas embalados, etiquetados e sujos de sangue artificial em bandejas iguais as usadas para a venda de carne nos mercados. Ao escolher esta performance nossa preocupação recai nos discursos cênicos daí imanentes que operam no corpo e no espaço urbano, buscando novas dimensões políticas, éticas e estéticas. Visamos ainda entender como a arte contemporânea profana a antiga imagem do corpo idealizado pela arte, afirmando, neste caso, a literalidade do corpo humano, problematizando-o e evocando as ambiguidades constituintes de nossa percepção do mesmo, a nível de sua fisicalidade, imagem e representação através de processos de cenificação performática.</p> Elizabeth Motta Jacob Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22678 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Corpo, espaço arquitetônico e cidade: experiências performativas no Centro Cultural São Paulo https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22690 <p style="font-weight: 400;">O presente artigo parte de experiências performativas do projeto <em>Corpo e Paisagem</em>, realizado no Centro Cultural São Paulo (CCSP), para refletir sobre as relações ali traçadas entre corpo, espaço arquitetônico e cidade. A partir da contextualização histórica da construção do CCSP e de seu projeto arquitetônico, o texto busca compreender como as experiências sensoriais do projeto <em>Corpo e Paisagem</em> proporcionaram uma leitura sensível dos espaços, a fim de percebê-los não apenas em suas evidências, como também em suas entrelinhas. Ao acessar uma espécie de inconsciente da arquitetura, as criações contextuais resultantes do projeto desenharam possibilidades de ação e ocupação dos espaços não reprodutoras de valores patriarcais, colonialistas e capitalistas presentes nas formas arquitetônicas e em suas regras de uso.</p> Laila Renardini Padovan Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22690 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Cidade e experiência estética: ocupar as ruas, para ocupar os currículos https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22687 <p style="font-weight: 400;">Há nas relações formativas contemporâneas a necessidade atitudinal e epistêmica de se fazer da cidade um espaço para que a experiência estética possa existir e, assim sendo, uma das maneiras para que tal premissa educativa, que resvala diretamente na formação de novos espectadores, possa se consolidar enquanto área de conhecimento e campo de experiência seria a ocupação regular dos espaços públicos por ações estéticas diversas, desse modo, as Universidades não estão fora deste contexto. Assim, de maneira ensaística, o trabalho a seguir levanta algumas reflexões sobre as potências formativas que a cidade pode oferecer na construção de artefatos estéticos e, ainda, algumas possíveis relações entre currículo, cidade e cultura na formação artística.</p> Abimaelson Santos Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22687 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Sensorialidade no espaço cênico: Vestido de Noiva | Roda Viva | Trate-me Leão https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22680 <p style="font-weight: 400;">O artigo trata a sensorialidade na condição de atributo dos espaços cênicos e arquitetônicos onde aconteceram montagens das peças <em>Vestido de Noiva</em>, <em>Roda Viva</em> e <em>Trate-me Leão</em>, as quais foram encenadas no Rio de Janeiro no Theatro Municipal em 1943, no Teatro Princesa Isabel em 1968, e no Teatro Dulcina em 1977, respectivamente. Apresentamos a forma sob a qual a “sensorialidade” promoveu a quebra da “quarta parede”, buscando demonstrar que tal situação proporcionou aos espectadores excepcional experiência imersiva que se tornou de interesse histórico. Destacamos que os teatros onde as três peças estrearam possuem palcos do tipo italiano; além disso, ressaltamos que, àqueles tempos ditatoriais, as referidas montagens de <em>Roda Viva</em> e <em>Trate-me Leão</em> foram censuradas e os atores foram vítimas de violência e agressões.</p> Delano Delfino, Cêça Guimaraens, Weber Schimiti Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22680 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Editorial https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22968 <p>Informações sobre o conteúdo da Urdimento v.3, n.45, 2022.</p> Corpo Editorial Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22968 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Expediente https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22916 <p>Apresenta o Corpo Editorial e Conselho de Pareceristas que compõe a <em>Urdimento</em> - Revista de Estudos em Artes Cênicas, v.3, n.45, dez. 2022.</p> Corpo Editorial Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22916 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Da rua à encenação: encontros entre dança e cidade https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22689 <p style="font-weight: 400;">Este artigo propõe adentrar em processos de criação coletivos em dança contemporânea que investem na cidade como matéria poética, estética e política, partindo da produção artística da Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros, grupo paulistano que tem como eixos de seu agir composicional a improvisação e a atuação nos espaços urbanos. Aqui, apontamos a experiência de criação do espetáculo <em>Espaços Invisíveis</em> (2013), na qual o processo foi dividido em um primeiro momento de ações performativas na cidade de São Paulo, e em um segundo momento, no qual o material criado na primeira fase na rua inspirou e originou a montagem para espaço não convencional. Assim, refletimos sobre como corporeidades, espaços e cidade têm se articulado no fazer da dança, para traçar paralelos entre o processo coletivo do grupo e as ideias de dança de ocupação, arte relacional e contextual, dialogando com discussões sobre os regimes espaciais e cinéticos nas cidades segundo Milton Santos e André Lepecki.</p> Clara Gouvêa do Prado Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22689 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Teatro nos trilhos: a encenação de Boca de Ouro dentro de um trem na região suburbana de Salvador https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22661 <p style="font-weight: 400;">O diretor teatral Fernando Guerreiro, um dos encenadores mais importantes da história do teatro na Bahia, redimensionou a relação entre o artista e a cidade ao montar o espetáculo <em>Boca de Ouro</em>, de Nelson Rodrigues, dentro de um trem em movimento pelo Subúrbio Ferroviário de Salvador. Com características do <em>site-specific</em>, a peça itinerante se tornou um marco na memória recente das artes cênicas na capital baiana. Além de ser exibida num espaço insólito e de deslocar o fazer teatral do centro para a periferia, também ganhou um caráter formativo e de mobilização social, através do diálogo do encenador e do elenco com líderes comunitários e da realização de oficinas de arte para os moradores da região suburbana.</p> Marcos Uzel Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22661 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 A ocupação do Armazém da Utopia na área portuária do Rio de Janeiro https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22679 <div> <p>O desafio para os grupos teatrais preocupados com o teatro socialmente engajado é reduzir os impasses do capitalismo por meio de atividades de artes cênicas em espaços alternativos para garantir o exercício da cidadania. A apropriação dos armazéns do patrimônio industrial não originalmente destinados ao teatro abriu novas possibilidades para as artes cênicas no Rio de Janeiro, além de trabalhar em diferentes escalas e produzir arquiteturas dramáticas. O entrevistado é o diretor teatral Luiz Fernando Lobo da Ensaio Aberto e comprova que a ocupação desse galpão centenário e desativado por um grupo teatral com longa trajetória na cena carioca é um ato de resistência. Lobo atribuiu ao prédio ocupado uma função social, significando um território de luta em um bairro histórico da periferia do Centro do Rio, como alternativa à lógica do <em>city-marketing</em> e do mercado imobiliário.</p> </div> Evelyn Furquim Werneck Lima Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22679 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 O martelo e o edifício: o encontro entre ofício e espaço pela experiência de um trabalhador cenotécnico no Theatro Municipal de São Paulo https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22670 <p style="font-weight: 400;">Na entrevista buscamos a compreensão do ofício cenotécnico em sua relação com os espaços e meios de trabalho; no caso de Aníbal Marques, tal encontro promove uma visão particular do trabalho cênico na relação de seu ofício com seu principal espaço de trabalho- o Theatro Municipal de São Paulo (TMSP), no qual exerce a função de chefe da equipe de cenotécnica desde 1992. A entrevista compõe um conjunto de registros de memórias coletadas durante o desenvolvimento da pesquisa de mestrado <em>Cenotenia, a criação dos operários da cena:</em> <em>Um estudo sobre as funções dos trabalhadores cenotécnicos da cidade de São Paulo</em>, desenvolvida no âmbito do NETOC/GPHPC e defendida no PPGAC/UFSJ.</p> Berilo Luigi Deiró Nosella, Priscila de Souza Chagas do Nascimento Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22670 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Conversas com Maurice Durozier https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22618 <p style="font-weight: 400;">Entrevista com Maurice Durozier, um dos atores mais antigos do Théâtre du Soleil, no qual ingressou em 1980 para o espetáculo <em>Richard II</em>. O encontro foi realizado entre outubro e dezembro de 2014, em um café próximo à Cartoucherie, sede do grupo em Paris. De forma despretensiosa, a conversa passou por temas como a transmissão no Théâtre du Soleil, a preparação e treinamento do ator, o trabalho com o texto e a vida em trupe.</p> Juliana de Lima Birchal Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22618 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300 Teatro na rua: quando a cidade invade a cena https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22946 <p style="font-weight: 400;">André Carreira (1960) inaugurou práticas e teorias de suma relevância para o teatro latino-americano. Neste diálogo, o diretor fala do início de sua carreira e das principais influências artísticas que permeiam sua história. Além disso, dá pistas do conceito de cidade e da noção do espaço urbano como dramaturgia e esclarece sua compreensão acerca dos termos espaços convencionais e não convencionais, teatro na cidade, teatro na rua, teatro de rua, dentre outros. A entrevista semiestruturada foi dividida em três partes: a primeira aborda os aspectos gerais acerca das formas teatrais e do espaço urbano; a segunda enfatiza o teatro na rua, e a terceira expõe a experiência com o grupo Teatro que Roda (Goiânia/Goiás/Brasil). A oportunidade do encontro se deu presencialmente, em 2014, na ocasião em que o entrevistado participava de um projeto na cidade de Goiânia. Carreira teve acesso à transcrição bruta do material, que também foi revisado por ele antes dessa publicação.</p> Natassia Duarte Garcia Leite de Oliveira, José Alencar de Melo Copyright (c) 2022 Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22946 seg, 12 dez 2022 00:00:00 -0300