Teatro nos trilhos: a encenação de Boca de Ouro dentro de um trem na região suburbana de Salvador

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1414573103452022e0302

Palavras-chave:

Site-specific, Boca de Ouro, Nelson Rodrigues, Teatro na Bahia

Resumo

O diretor teatral Fernando Guerreiro, um dos encenadores mais importantes da história do teatro na Bahia, redimensionou a relação entre o artista e a cidade ao montar o espetáculo Boca de Ouro, de Nelson Rodrigues, dentro de um trem em movimento pelo Subúrbio Ferroviário de Salvador. Com características do site-specific, a peça itinerante se tornou um marco na memória recente das artes cênicas na capital baiana. Além de ser exibida num espaço insólito e de deslocar o fazer teatral do centro para a periferia, também ganhou um caráter formativo e de mobilização social, através do diálogo do encenador e do elenco com líderes comunitários e da realização de oficinas de arte para os moradores da região suburbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Uzel, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Cultura e Sociedade pelo Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, pela Universidade Federal da Bahia (IHAC/UFBA). Doutorando em Artes Cênicas pelo PPGAC/UFBA. Mestre pela IHAC/UFBA. Graduado em Comunicação com habilitação em Jornalismo pela UFBA. Docente nos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Cinema e Audiovisual do Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE).

Referências

ANGRIMANI SOBRINHO, Danilo. Espreme que sai sangue: um estudo do sensacionalismo na imprensa. São Paulo: Summus, 1995.

CARTAXO, Zalinda. Arte nos espaços públicos: a cidade como realidade. O Percevejo Online, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, jan./jul., p. 2-16, 2009. Acesso em: 23 set. 2020. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/opercevejoonline/article/view/431/380.

ELIA, Andréa. Teatro nos trilhos: peça encenada dentro de um trem vira marco das artes cênicas na Bahia. Entrevista concedida ao autor do artigo, 2022.

FERRER, Maria Clara. Olhar para aquilo que não se vê. Ensaio sobre uma poética das distâncias nas práticas cênicas de Lia Rodrigues e Antônio Araújo. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênica, Florianópolis, v. 2, n. 38, ago./set. 2020. DOI: http:/dx.doi.org/10.5965/14145731023820200014. Disponível em:

https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18277/11925. Acesso em: 21 ago. 2022.

GUERREIRO, Fernando: Teatro nos trilhos: peça encenada dentro de um trem vira marco das artes cênicas na Bahia. Entrevista concedida ao autor do artigo, 2022.

MOTTA, Luiz Gonzaga. A narrativa mediada e a permanência da tradição: percurso de um anti-herói brasileiro. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, n. 38, jul./dez, p.185-212, 2011. Acesso em 20 set. 2020. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/estudos/article/view/9782.

PAVIS, Patrice. A análise dos espetáculos. Trad. Sérgio Sálvia Coelho. São Paulo: Perspectiva, 2008.

RIBEIRO, Carlos. Fantasia de ouro. A Tarde, Caderno 2, Salvador, 12 out. 2002, p. 1.

RODRIGUES, Nelson. Boca de Ouro: tragédia carioca em três atos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

ROUBINE, Jean-Jacques. A linguagem da encenação teatral. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.

SANTOS, Adriano Ferreira dos. A arte do espectador: diálogos criativos entre palco e plateia. 2020. Dissertação (Mestrado em Artes Cênicas) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2020.

SILVA, José Jackson; TORRES NETO, Walter Lima. Considerações sobre o conceito de site-specific no Teatro Brasileiro. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 2, n. 38, ago./set., 2020. Disponível em:

https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/18167/11937. Acesso em: 19 de agosto de 2022.

Downloads

Publicado

2022-12-12

Como Citar

UZEL, M. Teatro nos trilhos: a encenação de Boca de Ouro dentro de um trem na região suburbana de Salvador. Urdimento - Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 45, p. 1-16, 2022. DOI: 10.5965/1414573103452022e0302. Disponível em: https://periodicos.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/22661. Acesso em: 6 fev. 2023.